Imagem da matéria: Binance interrompe operações em Israel por não ter licença local para atuar no país
Foto: Shutterstock

O governo de Israel obrigou a Binance a interromper as operações de criptomoedas no país pelo fato de a corretora não ter se cadastrado junto ao órgão regulatório local. A informação foi divulgada em reportagem do jornal israelense Globes nesta quinta-feira (17).

Segundo o jornal, Moshe Barkar, chefe da Autoridade de Mercados de Capitais, entrou em contato com a exchange para que ela esclarecesse suas atividades em Israel. Até a intervenção, a Binance tinha uma versão do seu site em hebreu, aceitava a moeda local (Shekel) e tinha por volta de 200 mil clientes.

Publicidade

O órgão regulador disse: “Após a intervenção da Autoridade de Mercados de Capitais, a Binance parou de comercializar para israelenses e todas as atividades focadas em Israel até examinarmos a questão do seu licenciamento”.

Em entrevista ao portal Coindesk, “Ben Samocha, fundador da corretora israelense CryptoJungle, confirmou que a versão em hebreu da plataforma saiu do ar e o sistema não aceitas mais shekels, a moeda local.

O Globes afirma que a Binance é uma das únicas empresas que operavam no mercado financeiro de Israel sem uma licença e que o receio era um êxodo de capitais: “Um dos grandes problemas na realização de atividades na Bolsas de Valores que não cumprem as regras de regulamentação é que será muito difícil para os investidores devolverem o dinheiro ao sistema financeiro em Israel”.

Binance sob olhares atentos

A Binance vem passando pelo escrutínio de agências reguladoras ao redor do mundo. Na quarta-feira (16) foi divulgado que a Comissão de Valores Mobiliários e de Câmbio dos EUA (ou SEC, na sigla em inglês) está analisando conexões entre a corretora de criptomoedas Binance US e duas empresas de trading ligadas ao CEO da Binance Changpeng Zhao (ou CZ) – Sigma Chain AG e Merit Peak Ltd –, de acordo com um artigo publicado pelo Wall Street Journal (ou WSJ).

Publicidade

Segundo as fontes anônimas do WSJ, a agência quer saber a natureza do envolvimento de CZ e se as relações eram adequadamente informadas aos clientes. Uma investigação aberta não necessariamente indica uma irregularidade.

Embora haja poucas informações disponíveis sobre a Merit Peak, Sigma Chain AG está sediada em Zug, na Suíça, local que atraiu empresas e organizações cripto, como a Ethereum Foundation e Tezos.

De acordo com documentos corporativos, CZ foi presidente da empresa até setembro de 2019. Seu atual presidente é Chen Guagying, listado como diretor executivo em alguns dos documentos da Binance.

As fontes do WSJ dizem que CZ continuou controlando a Sigma Chain e a Merit Peak desde o ano passado.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO
Imagem da matéria: Braiscompany: Justiça já entregou todos os documentos para extraditar donos da pirâmide

Braiscompany: Justiça já entregou todos os documentos para extraditar donos da pirâmide

O casal que fundou a Braiscompany está em prisão domiciliar na Argentina, enquanto os países negociam extradição
Números e letrs douradas sob um placa formam símolo do Real brasileiro

5 vantagens da tokenização de ativos do mundo real (RWA) | Opinião

Para o autor, a custódia de RWA tokenzados é um elemento crucial para a democratização do acesso aos investimentos
Pessoa olha para scanner da Worldcoin

Hong Kong bane Worldcoin por coleta de dados “desnecessária e excessiva”

A Worldcoin chegou a escanear o rosto e a íris de 8.302 indivíduos durante sua operação em Hong Kong, segundo autoridades