Imagem da matéria: Binance compra participação na Forbes por US$ 200 milhões
Foto: Shutterstock

Binance, a maior corretora de criptomoedas do mundo, está fazendo um investimento de US$ 200 milhões na revista Forbes.

Segundo o CNBC, o investimento estratégico fará com que a Binance seja um dos dois maiores acionistas da Forbes. A corretora terá dois diretores dentre nove no comitê da revista como parte do plano para fundir a empresa de mídia em uma Companhia com Propósito Especial de Aquisição (SPAC, na sigal em inglês).

Publicidade

SPAC é uma empresa criada especificamente para levantar dinheiro por meio de uma oferta pública inicial para adquirir um negócio e então se tornar uma companhia de capital aberto.

Após a fusão com a SPAC a Magnum Opus Acquisition Limited, a Forbes será listada na Bolsa de Valores de Nova York (ou NYSE) com o código de negociação FBRS.

“Com o investimento da Binance na Forbes, agora temos a experiência, a rede e os recursos da principal corretora cripto do mundo e uma das inovadoras em blockchain de maior sucesso”, afirmou Mike Ferdele, CEO da Forbes.

A Forbes se descreve como uma “empresa de mídia global, com foco em negócios, investimentos, tecnologia, empreendedorismo, liderança e estilo de vida”.

A empresa de mídia é conhecida por seu ranking dos bilionários do mundo, apesar de Changpeng Zhao (ou CZ), CEO da Binance, ainda não ter aparecido na lista. O Billionaires Index de sua adversária Bloomberg estima que a fortuna de CZ seja de US$ 96 bilhões.

Publicidade

O investimento da Binance reflete a crescente influência do setor de criptomoedas, que alocou milhões em lobbying, patrocínios esportivos e aquisições.

Cada vez mais, iniciativas de fusão e aquisição (ou M&A, em inglês) agora estão se estendendo fora dos confins limitados do setor cripto. Em janeiro, foi noticiado que a corretora cripto BitMEX queria adquirir o Bankhaus von der Heydt, um dos bancos mais antigos da Alemanha.

A aquisição da Forbes pela Binance acontece conforme a corretora lida com problemas regulatórios.

Em janeiro, uma investigação da Reuters descobriu que CZ alegadamente ignorou preocupações expressadas por funcionários seniores sobre as verificações de “conheça seu cliente” (ou KYC) da corretora, dentre outras lacunas regulatórias.

“Conforme Web 3 e tecnologias blockchain avançam e o mercado cripto amadurece, sabemos que a imprensa é um elemento essencial para criar uma ampla conscientização e educação para consumidores”, afirmou CZ.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Fundo de criptomoedas brasileiro suspende saques após gestora ser alvo de operação da PF

Fundo de criptomoedas brasileiro suspende saques após gestora ser alvo de operação da PF

Um ordem judicial proibiu quaisquer resgates e liquidações dos fundos cripto geridos pela Titanium Asset
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Aprovação de ETF de Bitcoin nos EUA é uma “questão de quando, não se”, diz Grayscale

Embora reconheça que os prazos sejam incertos, a Grayscale garante que a aprovação de um ETF de Bitcoin à vista nos EUA é inevitável
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Senado aprova projeto de lei que cria imposto para criptomoedas mantidas em corretoras fora do Brasil

Alíquota de 15% faz parte de um plano mais amplo de tributar fundos exclusivos e offshores de brasileiros mantidos no exterior
Smartphone com logo da Binance sob uma mesa de vidro

Binance libera saques para tokens excluídos e lista nova stablecoin lastreada em euro

A corretora vai dar mais 20 dias para os usuários sacarem seus fundos; veja data