Imagem da matéria: BC da Irlanda alerta para influencers pagos para promover criptomoedas
Imagem ilustrativa (Foto: Shutterstock)

O Banco Central da Irlanda (BCI) publicou um alerta aos consumidores sobre investimentos em criptomoedas classificando-as como ativos altamente arriscados e especulativos que têm tido apoio de influencers nas redes sociais. O aviso faz parte de uma campanha de reguladores europeus que supervisionam o mercado financeiro, segundo o comunicado da entidade na terça-feira (22).

“O Banco Central enfatiza novamente que as criptomoedas são altamente arriscadas e especulativas e podem não ser adequadas para clientes de varejo. Em particular, as pessoas precisam estar atentas aos riscos de anúncios enganosos, principalmente nas redes sociais, onde os influenciadores estão sendo pagos para anunciar esses ativos”, diz o BCI.

Publicidade

De acordo com Derville Rowland, diretora geral da Financial Regulator, órgão que regula o mercado financeiro na Irlanda, no país e em toda a União Europeia há níveis crescentes de publicidade e promoção agressiva de investimentos em criptomoedas.

Ela acrescentou que, embora as pessoas possam ser atraídas para esses investimentos pelos altos retornos anunciados, a realidade é que eles carregam um risco significativo.

“Antes de comprar criptomoedas você precisa saber que pode perder todo o dinheiro investido. Os retornos rápidos ou altos prometidos não parecem bons demais para ser verdade?”, disse a diretora que também é presidente do Comitê Permanente de Gestão de Investimentos da Autoridade Europeia de Mercados de Valores Mobiliários(ESMA).

Em outro ponto, Rowland ressaltou que o investidor de criptomoedas não tem o respaldo legal no país. “As pessoas também devem estar cientes de que, se as coisas derem errado, você não terá as proteções que teria se investisse em um produto regulamentado”, concluiu.

Publicidade

Parlamento Europeu e as criptomoedas

Na semana passada, a Comissão dos Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu (ECON) votou contra um texto do Projeto de Lei “Diretiva de Mercados de Criptoativos” que limitava a mineração de Bitcoin, ou seja, previa a proibição do sistema Prova de Trabalho (PoW — sigla para Proof of Work em inglês), usado para emitir novas criptomoedas.

A disposição, no entanto, poderia ter exigido que criptomoedas como bitcoin mudassem para mecanismos considerados mais ecológicos pelos reguladores. Em resumo, isso foi deixado de lado e uma emenda alternativa foi aprovada, adicionando a mineração de bitcoin à taxonomia de finanças sustentáveis ​​da União Europeia que pode ter início em 2025.

Portal do Bitcoin Summit

O primeiro evento do Portal do Bitcoin será gratuito e online! Jogos NFT, movimentações em Brasília, como receber investimentos na sua startup de criptomoedas e muito mais. Inscreva-se aqui: https://portaldobitcoin.uol.com.br/summit/

Talvez você queira ler
Cristiano Ronaldo, craque da seleção portuguesa

Cristiano Ronaldo é alvo de ação coletiva de US$ 1 bilhão por promover a Binance

A Binance firmou parceria com craque português em meados de 2022, incentivando a venda e promoção de seus próprios NFTs
Imagem da matéria: Memecoin inspirada em Charlie Munger decola 31.000% após morte do bilionário

Memecoin inspirada em Charlie Munger decola 31.000% após morte do bilionário

Como o falecido Munger receberia a notícia de que sua morte enriqueceu pelo menos alguns aficionados por shitcoin? Não muito bem.
Imagem da matéria: Minerador transfere 1.000 bitcoins da "era Satoshi" que estavam parados há 13 anos

Minerador transfere 1.000 bitcoins da “era Satoshi” que estavam parados há 13 anos

Em 2010, essa quantia de Bitcoin era equivalente a apenas US$ 100; hoje, valem US$ 40 milhões
Dedo indicador apoia bolo de dinheiro em forma digital

Tokenização amplia acesso ao mercado de capitais e reduz custos, diz especialista em evento anual do Drex

Executiva defende mudanças regulatórias para possibilitar que a tokenização avance ainda mais no Brasil