Banco suíço responde às criticas feitas pelo Goldman Sachs ao bitcoin

O chefe de Ativos Digitais do Swissquote examinou a apresentação do Goldman Sachs no Bitcoin e achou "ofensiva"

Por que a supremacia quântica vai beneficiar o bitcoin e as criptomoedas
Foto: Shutterstock


O chefe de ativos digitais da Swissquote respondeu ao Goldman Sachs após o banco ter negado o Bitcoin como uma classe de ativos.

Chris Thomas, do Swissquote Bank, publicou uma refutação ponto a ponto da crítica recente do Goldman Sachs ao Bitcoin, que Thomas considerou ser “muito unilateral, injusta com a comunidade de criptomoedas… e um desserviço à base de investidores do Goldman Sachs.”

Os slides vazados de uma apresentação do Goldman Sachs em 27 de maio revelaram a posição extremamente cética do banco de investimento em relação ao bitcoin. Além de afirmar que a criptomoeda não é uma classe de ativos, o relatório afirma que o Bitcoin oferece muito pouco em termos de lógica de investimento e, por fim, é volátil demais para usar.

Thomas repreendeu a opinião do Goldman Sachs de que o Bitcoin e a criptomoeda em geral não constituíam uma classe própria de ativos, escrevendo: “O mundo está testemunhando uma classe emergente de ativos sendo formada … Bitcoin e outros selecionados são a força motriz por trás do mudança de paradigma que está acontecendo”, escreveu Thomas.

“O Goldman Sachs está ignorando os fortes alicerces dessa classe de ativos emergente em um mundo onde muitos, se não todos, ativos serão tokenizados”, acrescentou.

A apresentação do Goldman Sachs enfatizou a extrema volatilidade do Bitcoin, observando sua queda de 37% em apenas um dia em 12 de março de 2020. Thomas apontou que essa volatilidade não é exclusiva das criptomoedas, apontando a grave queda nos preços do petróleo apenas um mês depois.

“Sim, o Bitcoin caiu 37% … E apenas um mês depois, os mercados de petróleo caíram 333% no espaço de 24 horas, uma queda quase 10x maior, atingindo uma mínima de US $ 40 negativo por barril”, escreveu ele, acrescentando: “Em dezembro de 2019, o Goldman Sachs previu que o preço médio do petróleo até 2020 seria de US$ 63 por barril”.



Thomas disse ao Decrypt que se sentia obrigado a oferecer uma refutação ao argumento desinformado e “insultuoso” do Goldman Sachs. Ele disse que a visão do banco sobre criptomoedas não é necessariamente típica de todas as principais instituições financeiras.

“Os bancos maiores estão com medo de serem deixados para trás, mas, por outro lado, querem se abrir para novas fontes de receita e oportunidades de investimento”, disse Thomas ao Decrypt. “O JP Morgan mudou de ideia e integrou duas das maiores empresas de criptomoedas no último mês.”

Não apenas o JP Morgan, mas o Bloomberg Intelligence acaba de lançar um relatório que nomeou Bitcoin e ouro como os “principais candidatos a crescer” este ano. Parece que o Goldman Sachs está em menor número.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br