Imagem da matéria: Banco Santander deve devolver R$ 1,4 milhão que reteve do Mercado Bitcoin, ordena Justiça
Foto: Shutterstock

A Justiça de São Paulo ordenou que o banco Santander restitua definitivamente o Mercado Bitcoin em R$ 1.421.581,47, em 15 dias, sob pena de multa e honorários em 10% sobre esse valor. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (24) no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

A ordem é referente ao cumprimento de sentença que havia sido proferida pela juíza Renata Baião em 2018. Contudo, após a decisão de 1º grau, o banco recorreu para tentar reverter a situação.  

Publicidade

O Mercado Bitcoin, mesmo após ganhar a causa teve ainda de apresentar embargos de declaração. Isso porque a 19ª Vara Cível de São Paulo teria cometido um erro quanto ao valor da condenação principal. Na decisão anterior aos embargos, a Justiça ordenou a devolução de R$ 184.437,07, que acabou sendo corrigido para R$ 1,4 milhão.

Com a decisão, a instituição bancária terá de restituir a corretora no valor atualizado no dia do pagamento por meio de depósito judicial junto ao Banco do Brasil. 

Mercado Bitcoin x Santander

O caso chegou à Justiça por meio de uma petição feita pelo Mercado Bitcoin após sofrer o bloqueio de sua conta corrente. O Santander justificou sua conduta afirmando que havia suspeita de “fraudes bancárias” efetuadas por alguns clientes da exchange.

Na época, a magistrada entendeu que o ato da instituição financeira foi abusivo, uma vez que ele não deve apreender recursos da corretora “em razão de operações fraudulentas realizadas por terceiro”.

Publicidade

Baião afirmou que o banco sabia exatamente quem eram os responsáveis pela fraude e que não havia sentido em se bloquear a conta da corretora. O Portal do Bitcoinacompanhou o caso pelo qual a magistrada havia condenado o banco a fazer a devolução dos mais de um milhão ao Mercado Bitcoin retidos pelo Santander.

O banco apelou e o caso foi parar na 19ª Câmara de Direito Privado. A relatora do caso, Daniela Menegatti Milano, no entanto, manteve a decisão de 1º grau. 

O Santander, então, mais uma vez tentou reverter a situação. O Recurso Especial, porém, que seria levado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) sequer foi admitido.

Diante desse cenário, o Mercado Bitcoin resolveu pedir o cumprimento de sentença em novembro do ano passado. Contudo, como houve um erro quanto ao valor devido, a corretora de criptomoedas teve de apresentar embargos declaratórios.

Publicidade

A Justiça, então, acolheu os embargos a fim de corrigir o erro sobre o valor que era devido na condenação. E, assim ao invés de ordenar que o Santander devolvesse R$ 184.437,07, a 19ª Vara cível de São Paulo mandou que o banco restituísse a corretora de criptomoedas em R$ 1.421.581,47. 

Resposta do banco

Procurada pela reportagem, a instituição bancária afirmou, por meio de sua assessoria de comunicação, que “o Santander não se manifesta sobre casos que estão sub judice”.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024