Imagem da matéria: Banco mais antigo da Tailândia anuncia compra de maior corretora de criptomoedas do país
Foto: Shuttestock

O Siam Commercial Bank (SCB), banco privado mais antigo da Tailândia, está há poucos meses de entrar para o mundo das criptomoedas. A instituição, com 114 anos de existência, irá pagar US$ 536 milhões pela participação majoritária na exchange de criptomoedas Bitkub, empresa regulada pela Comissão de Valores Mobiliários do país, segundo comunicado publicado nesta terça-feira (02).

O SCB já registrou o pedido no órgão regulador e na Bolsa de Valores da Tailândia (SET) o pedido para agregar 51% da Bitkub na SCB Securities (SCBS), holding de investimentos do grupo. De acordo com o prospecto, a plataforma é responsável por 92% das negociações de ativos digitais da Tailândia e negociou, de janeiro a setembro de 2021, um volume de mais de US$ 30 bilhões. 

Publicidade

“O investimento na Bitkub baseia-se no reconhecimento de oportunidades significativas de crescimento no ramo de ativos digitais e permitirá o SCBS ser o principal acionista para desenvolver ainda mais o ecossistema de ativos digitais na Tailândia”, disse o SCB.  A nota acrescenta que o grupo espera que a aquisição seja concluída até o primeiro trimestre de 2022. 

Criptomoedas na Tailândia

As autoridades tailandesas que fiscalizam o mercado financeiro passaram a ser mais rigorosas neste ano, tanto com usuários das criptomoedas quanto com as empresas que operam no setor.

Em maio, por exemplo, a Agência de Combate à Lavagem de Dinheiro da Tailândia (AMLO) determinou que a partir de setembro as exchanges de criptomoedas deveriam introduzir no KYC (sigla em inglês para ‘Conheça seu Cliente’) a verificação de identidade através de um sistema de escaneamento chamado ‘dip chip’.

A obrigatoriedade, contudo, força os novos usuários a comparecerem pessoalmente na empresa para fornecer uma cópia digital do seu documento de identidade.

Publicidade

Outra gigante da Tailândia também começou a dar os primeiros passos no mercado cripto neste ano,a holding Jasmine International (JAS), empresa do setor de telecomunicação e TI, que deu sinal verde para sua subsidiária Jasmine Telecom Systems (JTS) construir um centro de mineração de Bitcoin no sudoeste asiático, onde pretende antes de 2024.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Policial algemando suspeito durante a noite

Suspeito de roubar quase R$ 10 milhões da Pump.fun é preso em Londres

Jarett Dunn, ex-funcionário da plataforma Pump.fun, foi preso na Inglaterra acusado de golpe de quase R$ 10 milhões