Imagem da matéria: Banco Central faz reunião com WhatsApp e Meta; sistemas de pagamento devem estar na pauta
Foto: Shutterstock

Renato Dias de Brito Gomes, o diretor do Banco Central responsável pela Organização do Sistema Financeiro e Resolução, vai se reunir na tarde desta quinta-feira (3) com representantes das empresas Meta e WhatsApp.

Em encontro fechado para a imprensa, Gomes se reunirá com Yana Dumaresq Sobral Alves, Diretora de Políticas Públicas da América Latina da Meta Financial Technologies, e Guilherme Horn, Chefe do WhatsApp Brasil.

Publicidade

A reunião acontece no Rio de Janeiro e vai tratar de “assuntos de organização do sistema financeiro”, conforme indica a descrição do encontro na agenda oficial dos diretores do Banco Central. Não foram divulgados detalhes mais específicos da pauta da reunião. 

WhatsApp vs Banco Central

O encontro, no entanto, pode sinalizar um esforço das empresas para estreitar as relações com os reguladores brasileiros. 

O WhatsApp, uma empresa pertencente ao grupo Meta (ex-Facebook), já encontrou resistência no Banco Central para lançar ao público brasileiro produtos que se integram ao sistema nacional de pagamentos.

Quando o WhatsApp Pay — um serviço que permite aos usuários do aplicativo enviarem e receberem pagamentos via chat — foi lançado no Brasil em meados de 2020, o Banco Central interveio rapidamente para proibir a oferta do serviço, determinando na época que a Visa e a Mastercard suspendessem as atividades com o aplicativo.

A motivação do BC para a decisão foi “preservar um adequado ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato”. Apesar dessa justificativa, a intervenção do BC foi vista por integrantes do mercado financeiro como uma manobra para defender o Pix, que na época ainda não havia sido lançado.

Publicidade

As discussões sobre a liberação do WhatsApp Pay no Brasil se estenderam por quase um ano, até o serviço ser liberado pelo Banco Central em março de 2021.

A Meta segue testando produtos focados no setor de pagamentos. No final do ano passado, a empresa anunciou que um “número limitado de pessoas nos EUA” poderiam enviar criptomoedas por meio do WhatsApp, em um teste do Novi, o projeto de criptomoedas da Meta.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis! 

VOCÊ PODE GOSTAR
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken