Imagem da matéria: Banco Central do Uruguai cria plano de trabalho para regulamentação das criptomoedas
Foto: Shutterstock

O Banco Central do Uruguai (BCU) anunciou na última sexta-feira (1) que estabeleceu um plano de trabalho como o primeiro passo para a regulamentação das criptomoedas e de empresas do setor. Por conta da ausência de leis específicas, a entidade também emitiu uma série de recomendações para usuários do sistema financeiro. 

O grupo de trabalho, segundo a entidade, foi constituído internamente e capacitado interdisciplinarmente para se dedicar ao estudo de instrumentos e operações com criptomoedas. Como resultado desse processo, o grupo chegou a um conceito de atividade que já pode inclusive estar coberto pela regulamentação em vigor.

Publicidade

A sequência agora, segundo o BCU, é promover neste último trimestre um diálogo com os players do setor e o relacionamento com outros reguladores e organismos internacionais. O objetivo é aprofundar o conhecimento na regulação e fiscalização destas atividades. O maio avanço, contudo, deve ocorrer em 2022.

“Essas interações contribuirão para o aperfeiçoamento do arcabouço conceitual, com vistas a uma abordagem regulatória que contribua para os objetivos mencionados”, ressaltou a entidade, acrescentando que no fim do ano será preparada uma proposta de modificação das disposições legais em vigor, a fim de estabelecer um quadro claro para avançar na regulamentação do novo mercado.

“Oportunamente, será detalhado o roteiro das atividades a serem desenvolvidas durante o ano de 2022 com o objetivo de avançar nas definições institucionais sobre o tema. Todas essas ações estão alinhadas à política do BCU de fornecer mais informações e recomendações a quem já opera com ativos virtuais, bem como a todos os usuários do sistema financeiro”, concluiu o órgão.

Banco Central do Uruguai faz alerta

Na ausência de uma regulamentação específica acerca das criptomoedas, o Banco Central do Uruguai emitiu uma série de recomendações aos usuários do sistema financeiro e ao público em geral. A entidade levou em consideração que ofertas de retornos elevados são geralmente associadas a riscos e o usuário deve, portanto, recorrer a informações fiáveis das partes que envolvem as negociações.

Publicidade

“Esses instrumentos podem ter o potencial de contribuir para o desenvolvimento e a eficiência do sistema financeiro e de pagamentos, mas podem gerar novos riscos ou agravar os existentes, na ausência de regulamentação específica para mitigá-los”, alertou o órgão, que enumerou os avisos sobre atividades com criptomoedas:

“i) Esses instrumentos não têm curso legal, como o peso uruguaio, não foram emitidos nem contam com o aval de nenhum banco central. 

ii) Atualmente, a emissão e comercialização desses instrumentos não são atividades enquadradas na atuação do Banco Central do Uruguai e, portanto, não estão sujeitas a regulamentação específica. Consequentemente, aqueles que operam com esses instrumentos não estão amparados pelas medidas de proteção ao usuário fornecidas por entidades reguladas e fiscalizadas por este Banco Central.

iii) Alguns ativos virtuais podem estar expostos a grande volatilidade de preço ou cotação e pode haver dificuldades para sua conversão para pesos uruguaios ou outras moedas. As instituições financeiras não são obrigadas a processar transações associadas a ativos virtuais e os comerciantes não são obrigados a aceitá-las como meio de pagamento.

Publicidade

iv) Pelas suas características, alguns ativos virtuais favorecem o anonimato e a irreversibilidade das transações, aspectos que podem expor quem com eles opera a riscos significativos, como o risco de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo ou fraude.”

Projeto de Lei no Uruguai

Em agosto deste ano, o senador uruguaio Juan Sartori, do Partido Nacional, apresentou um projeto de lei que visa regular o bitcoin e todo o mercado de criptomoedas no país.

Ao falar sobre a proposta pela primeira vez no Twitter, Sartori disse que o Uruguai quer ser pioneiro no mundo a estabelecer o uso legítimo, legal e seguro nos negócios relacionados à produção e comercialização de moedas virtuais.

VOCÊ PODE GOSTAR
Mão segurando celular com o logo da carteira de criptomoedas MetaMask

MetaMask lança sistema para acabar com prática que drena dinheiro dos usuários do Ethereum

Smart Transactions busca fazer com que clientes sejam protegidos da prática de máximo valor extraível na blockchain Ethereum
Imagem da matéria: Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Meta é que comunidade de programadores crie soluções na XRP Ledger, blockchain privada da empresa e que tem o token nativo XRP
Cauda de baleia sob um mar de moedas de bitcoin

Baleia acorda de sono de uma década para mover R$ 217 milhões em Bitcoin

Carteira recebeu a quantia de 687,33 BTC no dia 12 de janeiro de 2014, quando a cotação do Bitcoin estava em US$ 917
Imagem da matéria: Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

“Alcançamos nosso objetivo e agora, de acordo com o planejado, é hora de nos aposentarmos”, disseram os desenvolvedores do drenador de carteiras cripto