Imagem da matéria: Após Medidas, China Representa Menos de 1% do Volume Global de Bitcoin

As negociações entre Bitcoin (BTC) e a moeda chinesa Renminbi (RMB) estão representando menos de 1% do volume global, segundo dados divulgados pelo Banco Centra da China (PBOC) na rede de notícias oficial Xinhua no último sábado (09).

Nos primórdios, quando as bolsas chinesas foram responsáveis por cerca de 90% do volume total de negociações de criptomoedas, o medo se espalhou no setor bancário e o país iniciou uma dura imposição contra as exchanges.

Publicidade

Na ocasião, foram fechadas diversas bolsas e outras plataformas que se encontravam em lançamento através de nas Ofertas Iniciais de Moedas (ICO).

A proibição forçou grandes corretoras como Huobi, OKCoin e BTCC a se mudarem para países mais favoráveis. As plataformas, então, começaram a se acomodar em Cingapura, Coréia do Sul, Japão, Estados Unidos, Malta, o que lhes permitiu continuar suas atividades e até mesmo crescer significativamente.

No entanto, o governo chinês se gabou por ter tido ações rápidas o suficientes para garantir segurança a seus bancos e investidores tradicionais. O PBOC havia afirmado que os ICOs “perturbaram seriamente a ordem econômica e financeira”.

“As medidas oportunas dos reguladores têm efetivamente evitado o impacto nos preços das criptomoedas e liderado a tendência regulatória global”, disse Zhang Yifeng, analista de blockchain da companhia de cartões de crédito Zhongchao.

Publicidade

Apesar da perseguição severa a ICOs e criptomoedas, a China tem investido fortemente em projetos de tecnologia Blockchain. Os chineses também são os líderes em mineração de Bitcoin e o tem projetos de um criptoativo nacional.

Autoridades do PBOC e órgãos reguladores do governo chinês também prometeram apoiar estruturas regulatórias globais convincentes, caso fossem criadas.

O cerco continua

A China não deve suspender a proibição do comércio de bitcoins em breve, que agora também se estende a plataformas de negociação no exterior, anotou a CCN. O banco central bloqueou um total de 110 sites, incluindo Binance e Huobi, segundo o relatório.

Além disso, os reguladores chineses também estão supostamente trabalhando com grandes plataformas de pagamento on-line, como a Alipay, para reprimir o comércio P2P (peer-to-peer). Até o momento já foram desativadas cerca de 3.000 contas.

O governo chinês também começou a classificar as criptomoedas este ano. Na última rodada, o Bitcoin ficou em 17º lugar, enquanto a criptomoeda EOS foi a primeira colocada em todos os quesitos, que foram fundamentos tecnológicos, aplicabilidade, usabilidade no mundo real e nível de inovação.

Publicidade

 

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin à vista já controlam mais de 1 milhão de BTC

Mais da metade dos US$ 70,5 bilhões em fundos está praticamente dividida entre Grayscale e BlackRock
Cristiano Ronaldo veste camisa da Binance

Cristiano Ronaldo lança nova coleção de NFTs enquanto é alvo de processo de US$ 1 bilhão com a Binance

O anúncio do jogador chega 27 dias depois de os EUA condenarem o criador da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, a 4 meses de prisão
bitcoin brilhando na mão

Semler Scientific investe US$ 40 milhões em Bitcoin e ações disparam 25%

As ações da Semler Scientific subiram 25% após a entidade anunciar a adoção do Bitcoin como principal ativo de reserva do tesouro
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito