Imagem da matéria: Animador do “The Witcher” anuncia jogo NFT que mistura cyberpunk com terror
(Foto: Shutterstock)

Marcin Kobylecki, que anteriormente trabalhou nos jogos “The Witcher” e “Cyberpunk 2077”, quer levar um toque de fantasia mais sombrio ao nascente metaverso com um novo projeto: “DRKVRS”.

Kobylecki está liderando o desenvolvimento criativo do jogo NFT “DRKVRS” em colaboração com Aleph Zero. Aleph Zero é uma blockchain proof of stake (ou PoS, na sigla em inglês) lançada em novembro de 2021, que possui o token nativo AZERO para impulsionar a rede.

Publicidade

Kobylecki também atuou como produtor-executivo do curta de animação “Katedra”, dirigido por Tomasz Bagiński.

Ele contou ao Decrypt que sua experiência com computação gráfica e efeitos especiais em jogos como “The Witcher” está ajudando a direcionar o desenvolvimento de “DRKVRS”.

“‘The Witcher’ é um bom exemplo, pois é um jogo estilizado”, explicou ele ao Decrypt. “Então, [para o] nosso universo, DRKVRS, criamos um [jogo] estilizado e tentamos encontrar um novo visual para esses tipos de projetos.”

“Metaverso” é um termo popular utilizado para descrever o que provavelmente será a próxima geração da internet e dos jogos.

Entusiastas cripto consideram jogos “play to earn”, como Axie Infinity, um elemento fundamental do que o metaverso pode ser. Mas gamers fora do mundo cripto não demonstraram muito interesse nesses jogos.

Publicidade

Alguns jogadores expressaram bastante hostilidade à adição de ativos digitais aos games, como no caso da Team17, que tinha planos de lançar tokens não fungíveis (ou NFTs) desenvolvidos no Ethereum baseados na franquia de videogame “Worms” em fevereiro.

Porém, enfrentou críticas instantâneas de fãs que consideraram a iniciativa como, no mínimo, uma tentativa de ganhar dinheiro e, no máximo, um esquema de pirâmide.

Jogos “play to earn” são videogames em que o jogador pode obter recompensas com valor real via criptomoedas ou NFTs.

Já NFTs são tokens não fungíveis, criptograficamente exclusivos que comprovam a propriedade de conteúdos. Jogos blockchain permitem que usuários tenham a propriedade de itens do jogo, como skins, vestuário ou imóveis virtuais.

Publicidade

Nova visão para o metaverso

“DRKVRS” visa mudar a percepção dos jogos de metaverso apenas como esquemas play-to-earn. Seus desenvolvedores afirmam que o objetivo é produzir um jogo desenvolvido primeiro por profissionais da indústria dos jogos, fundindo sua vivência com a tecnologia blockchain.

“Com a experiência de Marcin e de sua equipe, estamos muito empolgados em ver o que sairá disso”, explicou o cofundador da Aleph Zero, Antoni Zolciak. “Toda a noção por trás do ‘DRKVRS’ é como fazê-lo parecer triste e sombrio.”

(Imagem: DRKVRS)

Os colaboradores do jogo incluem os populares escritores poloneses de fantasia, ficção científica e horror, Łukasz Orbitowski e Jacek Dukaj.

Segundo Zolciak, dois tokens serão usados no “DRKVRS”: um token negociável, SPECK, e um segundo, chamado God’s Blood, que será usado no jogo. A Aleph Zero irá fornecer a infraestrutura necessária para transferências de tokens, votação e emissão de tokens.

Os planos do “DRKVRS” incluem uma organização autônoma descentralizada (ou DAO) para supervisionar a governança e votações em desenvolvimentos do jogo.

Publicidade

Uma DAO é uma estrutura organizacional em que o controle é espalhado em vez de ser hierárquico. DAOs utilizam contratos autônomos em uma blockchain e participantes utilizam tokens de governança para votar em ações propostas.

“Visamos permitir que a comunidade tenha suas próprias ideias e permitam a recompensa de criadores independentes”, afirmou Zolciak.

“DRKVRS” leva jogadores às profundezas de uma besta cósmica e ancestral chamada Leviathan. Jogadores vão explorar a cidade de Babalon (em homenagem à deusa Thelema).

Essa “distopia trans-humanista” atua como o núcleo central para que jogadores interajam entre si, avancem na história e tomem escolhas morais e complexas.

Zolciak afirma que a equipe geralmente se refere ao trabalho de Tomasz Bagiński, ilustrador polonês que também criou os cenários cinematográficos para “The Witcher” e “Cyberpunk 2077”.

“É basicamente o mesmo estilo, e a galera opera nesse tipo de setor, onde podem resgatar a beleza da escuridão, digamos assim”, explicou.

(Imagem: DRKVRS)

Mas Kobylecki afirma que jogadores não devem ficar na expectativa de um simples jogo de fantasia ou cyberpunk, e sim uma mistura de ambos. “Não será ‘The Witcher’”, explicou. “Será diferente do ‘Cyberpunk’, com uma mistura de Guillermo Del Toro e suas criaturas.”

Publicidade

De acordo com Kobylecki, “DRKVRS” ainda está nas etapas iniciais de desenvolvimento e o meio no qual o jogo irá aparecer ainda não foi decidido. “Ainda não sabemos se será uma aplicação autônoma ou uma aplicação em um site. Então precisamos decidir isso”, explicou.

(Imagem: DRKVRS)

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Aprenda a ganhar dinheiro com Cripto
Você pode ter acesso a um curso exclusivo com os maiores especialistas em cripto para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Garanta sua vaga aqui!

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15
Imagem da matéria: Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Grupo criou aplicação para conectar via blockchain produtores de energia e estações de abastecimento, com a mira no mercado de carros elétricos