Alvo da CVM, dono da Midas Trend culpa Urpay por atraso de saques e intimida clientes

Midas Trend
Foto: Reprodução


Midas Trend é mais uma empresa que promete dobrar o capital dos investidores em poucos meses e, sem surpresa, está tendo problemas com saques dos clientes. A empresa alega que o motivo do transtorno é o mesmo que aconteceu no caso da Unick Forex, que foi o bloqueio de contas pela Urpay.

Deivanir Santos, CEO da empresa, confirmou o impasse com a Urpay durante uma live no Youtube na terça-feira (29). Ele também aproveitou para criticar alguns clientes que têm reclamado dos atrasos.

“Os clientes aí que estão falando bobagem, estou lidando com criança, pessoas infantis”, disse. Segundo ele, alguns clientes estão dando tiro no próprio pé por ameaçarem de ir na polícia.

Ele disse:

“Vocês estão dando um tiro no próprio pé, porque, se de fato, se popularizar e realmente acontecer, quem vai ter problemas são vocês, pô”.

E, de certa forma, intimidou:

“A empresa vai ter problema? Vai ter. Mas pode ter certeza absoluta que a consequência pior vai estar na mão de vocês”.



Em outro vídeo no Youtube, Deivanir apresenta a Midas Trend como uma empresa de produtos digitais. Já no site oficial, a descrição é de o negócio é do segmento de educação e tecnologia, para que pessoas aprendam a operar no mercado de criptomoedas.

No entanto, tanto no formato de negócio, com rendimentos estratosféricos, quanto no ‘plano de carreira’, que depende de bônus binário, há sinais típicos de esquemas de pirâmide financeira.

E não são só os altos rendimentos. Para quem chegar a ‘diamante’, ‘imperial’ etc, os prêmios prometidos são de esbugalhar os olhos: viagens, carros de luxo, casas, entre outros.

Robô Midas Trend

De acordo com algumas publicações de clientes em redes sociais, vê-se que a empresa vende licença de uso de um suposto robô de arbitragem chamado ‘Botmidas’, que seria ‘o responsável’ pelas operações com criptomoedas que geram os rendimentos. 

Em busca no Youtube, é possível encontrar pessoas convidando para participar da empresa e oferecendo rendimentos de até 40% ao mês para quem utilizar os robôs.

Em uma simples apresentação de um divulgador da Midas Trend de Goiás, chamado Vauberti Freitas, que além da Midas ele divulga uma gama outros negócios parecidos, mostra como o dinheiro pode render apenas comprando ‘licença de bots’.

“Você trocaria R$ 534 reais por R$ 2.397? Eu troquei com certeza”, disse ele, sugerindo que aquele teria sido seu lucro. O vídeo foi publicado há cerca de dois meses.

Para comprar as licenças dos bots, que que pode custar até R$ 8 mil, é preciso entrar na rede de alguém e comprar um curso. Ativado, o usuário pode começar a investir, que é botar o robô para operar.

CVM investiga Midas Trend

Contudo, os rendimentos gerados pelo suposto robô, além das outras promessas de lucro da empresa, não condizem com a realidade do mercado financeiro no mundo.

Inclusive, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) recomenda que antes de investir, a pessoa consulte o site da autarquia para saber se o negócio possui autorização para atuar.

Diferente do afirmado pelo CEO da empresa no vídeo, existe sim um processo contra a Midas Trend na CVM. Contudo, está correndo em sigilo, o que impossibilita de ser consultado.

Questionada pelo Portal do Bitcoin na quarta-feira (30), a assessoria da CVM disse que o processo tramita sob segredo porque foi juntado documento sigiloso a ele.

Midas Trend no Reclame Aqui

Desde que começaram algumas reclamações no Reclame Aqui, há cerca de três meses, a empresa sequer havia respondido algum de seus clientes. Isso lhe rendeu um selo na plataforma de empresa ‘não recomendada’.

Também na quarta, a empresa começou a responder às queixas sobre atrasos nos saques, reiterando o problema com a Urpay. “Rompimento com a Urpay ocorreu de maneira abrupta”, explicou a um cliente de Campinas (SP) que fez pedido de saque há 15 dias.

Ainda em resposta, a empresa indicou a nova solução: ‘seu banco’, chamado Midas Pay. Conforme explicou, será por meio dele que serão efetuados os pagamentos — em consulta no site do Banco Central, a reportagem não encontrou nenhuma instituição com nome ou com vínculo a ‘Midas Pay’.

O Portal do Bitcoin solicitou por email uma posição da Urpay sobre a alegação de Santos. Em resposta, ainda na quarta (30), a empresa disse que o assunto já foi comunicado ao setor jurídico, que posteriormente responderia à reportagem.

Até o fechamento desta publicação, o setor jurídico da Urpay não entrou em contato.

Leia também