Imagem da matéria: Advogados do criador da FTX tentam tirá-lo da prisão mais uma vez
Foto: Shutterstock

A equipe jurídica de Sam Bankman-Fried, o criador da falida exchange FTX, pediu mais uma vez a sua libertação temporária, desta vez até seu próximo julgamento, marcado para começar no dia 3 de outubro.

Em uma carta enviada na segunda-feira (25) ao juiz Kaplan, os advogados destacaram a necessidade da liberação de seu cliente para a efetiva “preparação da defesa [dele].”

Publicidade

Ao destacar que “o Tribunal já apontou que entende as dificuldades de preparar um caso complexo para julgamento”, eles explicaram que o acesso limitado às provas permitidas ao seu cliente constitui um obstáculo à preparação adequada do julgamento.

“Afirmamos que estamos achando extremamente difícil, como uma questão prática, preparar-nos adequadamente para o julgamento com as restrições de acesso atualmente em vigor”, escreveram.

Durante os últimos meses, a equipe jurídica de SBF fez vários pedidos para a libertação do seu cliente, que foram todos rejeitados.

Leia mais: A ascensão e queda desastrosa de Sam Bankman-Fried, o criador da FTX

Milhares de páginas de material

Os advogados do Bankman-Fried enfatizam a grande quantidade de provas que devem rever com o seu cliente, sublinhando a necessidade de mais tempo.

Publicidade

“O governo nos forneceu uma lista de mais de 50 testemunhas em potencial, milhares de páginas de 3.500 materiais e mais de 1.300 exposições”, escrevem os advogados de Bankman-Fried na carta.

Eles acrescentam ainda que uma parte significativa disso são registros financeiros intrincados, adicionando camadas de complexidade ao caso.

Consequentemente, eles expressaram preocupações significativas sobre a capacidade de representar efetivamente seu cliente durante o próximo julgamento, citando o tempo limitado de consulta quando o tribunal não está em sessão.

Para resolver isso, os advogados elaboraram uma proposta detalhada para a libertação de Bankman-Fried no dia 2 de outubro, um dia antes do julgamento, sob certas condições estipuladas.

Dentro desta proposta, é especificado que, fora do horário do Tribunal, Bankman-Fried passará seu tempo no escritório deles, em um espaço de trabalho aprovado ou em uma residência temporária na cidade de Nova York, que será supervisionada por um guarda de segurança profissional.

Publicidade

Após os procedimentos judiciais de cada dia, ele poderá reunir-se com os seus advogados para os preparativos essenciais para o julgamento. Para garantir ainda mais a segurança, um guarda de segurança privado se encontrará com Bankman-Fried todas as noites no local de seus advogados e supervisionará seus movimentos entre sua residência temporária e o tribunal.

Enquanto estiver na sua residência temporária, Bankman-Fried ficará isolado de todos os dispositivos eletrônicos e plataformas em linha, sem a permissão de visitas.

Além disso, de acordo com a proposta, o fundador da FTX “consentirá com uma ordem de silêncio que o proibirá de falar com qualquer pessoa durante o julgamento, exceto seus advogados, outros membros da equipe de defesa, seus pais e seu irmão.”

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Ethereum na frente de gráfico

Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Subindo menos que outras criptomoedas em 2024, o Ethereum pode se recuperar e superar seus pares nos próximos meses, avalia a Coinbase
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”
Craig Wright posa para foto

Craig Wright mentiu “extensiva e repetidamente” sobre ser o criador do Bitcoin, diz juiz

“As tentativas do Dr. Wright de provar que ele era/é Satoshi Nakamoto representam um abuso muito sério do processo deste tribunal”, disse o juiz