Imagem da matéria: Adesão do bitcoin por El Salvador pode apresentar riscos ao sistema financeiro dos EUA, dizem senadores
Foto: Shutterstock

Na quarta-feira (16), senadores americanos apresentaram uma proposta legislativa que pede ao Departamento do Estado que escreva um relatório sobre a Lei de Bitcoin de El Salvador e desenvolva um plano para “mitigar possíveis riscos ao sistema financeiro americano”.

A proposta de lei, chamada de Lei de Responsabilização por Criptomoedas em El Salvador (ou ACES, na sigla em inglês), foi apresentada pelos senadores Jim Risch, Bob Menendez (membro e presidente do Comitê de Relações Estrangeiras) e Bill Cassidy.

Publicidade

Em um comunicado de imprensa, os senadores afirmaram que a Lei de Bitcoin de El Salvador “gera preocupações significativas” e sua legislação proposta dá ao Departamento do Estado 60 dias para elaborar um relatório sobre a adesão de bitcoin pelo país centro-americano, caso o projeto de lei seja aprovado.

O bitcoin, a maior criptomoeda por capitalização de mercado, é uma moeda corrente em El Salvador, um país pequeno e empobrecido da América Central.

Nayib Bukele, o excêntrico presidente “millennial” do país, propôs a lei em 2021, que foi aprovada e entrou em vigor em setembro.

A lei pede que empresas aceitem bitcoin como pagamento se tiverem meios tecnológicos para aceitá-lo. O governo até tem uma carteira chamada Chivo utilizada pelos cidadãos e distribuiu US$ 30 em bitcoin para incentivar o uso.

Publicidade

“A adesão do bitcoin como moeda corrente por El Salvador gera preocupações significativas sobre a estabilidade econômica e integridade financeira de um vulnerável parceiro comercial dos EUA na América Central”, afirmou Risch.

“Essa nova política tem o potencial de enfraquecer a política de sanções dos EUA, dando autonomia a agentes malignos, como a China, e organizações criminosas.”

“Nossa legislação bipartidária busca por mais esclarecimentos sobre a política de El Salvador e exige que a administração mitigue possíveis riscos ao sistema financeiro dos EUA”, complementou.

No Twitter, o presidente Bukele respondeu ao chamar os legisladores de “boomers”. “Não somos sua colônia, seu jardim ou a frente de sua casa. Fiquem fora de nossos assuntos internos. Não tentem controlar algo que vocês não controlam”, tuitou.

Publicidade

A Lei de Bitcoin foi criticada pelo Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional (ou FMI) e, até mesmo, o JP Morgan. Em janeiro, o FMI pediu novamente que El Salvador desistisse da iniciativa.

Cidadãos do país protestaram contra a lei (e o que consideram ser um governo cada vez mais autoritário) diversas vezes (mas, segundo pesquisas, o presidente ainda é bastante popular entre residentes).

Periodicamente, o presidente Bukele tuita quando compra bitcoin e garante que o faz com seu próprio celular e pelado.

Em novembro, a equipe do Decrypt foi a El Salvador, descobrindo que grandes empresas, como McDonald’s e Starbucks, aceitam a criptomoeda, mas que muitos cidadãos comuns ainda estão confusos com a tecnologia.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

MB lança Fist, primeiro token de Renda Variável Digital no setor de energia elétrica

O investimento, disponível pela primeira vez para pessoa física, possui validade de 30 anos, com dividendos que variam de 0,9% a 1,2% ao mês
Cláudio Barbosa, um dos criadores da pirâmide Trust Investing

Foragido desde 2022, único líder da Trust Investing que escapou é preso em Santa Catarina

Cláudio Barbosa foi a pessoa responsável por negociar diretamente com a GAS Consultoria e o “Faraó do Bitcoin”
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica