Imagem da matéria: YouTube e Twitter do exército britânico são invadidos por hackers para promover golpes com criptomoedas

O exército britânico anunciou que retomou o controle de suas redes sociais Twitter e o Youtube, que foram vítimas de uma invasão hacker no domingo (3).

Os invasores mudaram a foto perfil do Twitter para fazer divulgação de uma coleção de NFTs, a Bapesclan. Os hackers também realizaram postagens com ameaças ao Paquistão.

Publicidade

Já a conta do YouTube também sofreu uma invasão, de forma simultânea, promovendo uma falsa live com anúncios sobre criptomoedas. Ainda não há informações sobre quem fez ou qual grupo realizou a invasão, até o momento.

O primeiro comunicado de forma oficial, em relação ao ataque, veio através da assessoria de imprensa do Ministério da Defesa.

“Estamos cientes de uma violação das contas do Twitter e do YouTube do Exército e uma investigação está em andamento. O Exército leva a segurança da informação muito a sério e está resolvendo o problema. Até que a investigação seja concluída, seria inapropriado comentar mais”, comunicou o perfil.

Canal do exército britânico no Twitter após invasão de hackers. Fonte. Twitter

As transmissões ao vivo no canal oficial do YouTube traziam antigas imagens do bilionário Elon Musk discutindo criptomoedas, atraindo os expectadores para links que apontavam para golpes envolvendo Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

Publicidade

A fala de Musk, na verdade, ocorreu em uma conferência que a Ark Invest organizou em junho do ano passado.

Nesse tipo de ação hacker, é comum a transmissão de uma live com imagens, voz e legendas modificadas para enganar os investidores de criptomoedas. Geralmente há uma oferta “imperdivel”, como “envie BTC e receba o dobro de volta”; mas é tudo enganação. Se o investidor enviar dinheiro, normalmente perde tudo.

Após a recuperação da conta, a instituição fez uma postagem para os seguidores. O perfil possui atualmente 363,7 mil seguidores.

“Pedimos desculpas pela interrupção temporária do nosso feed. Conduziremos uma investigação completa e aprenderemos com este incidente. Obrigado por nos seguir e o serviço normal será retomado agora”, ressaltou o perfil.

Publicidade

Flamengo invadido

No final de junho, hackers de bitcoin e criptomoedas que agem no YouTube também invadiram o canal FLA TV, que pertence ao Flamengo, um dos maiores clubes do futebol do Brasil.

O clube não informou  — nem antes nem depois do ataque — sobre a invasão cibernética em seu canal com mais de 6,5 milhões de inscritos. No entanto, relatos e prints do vídeo que circularam nas redes sociais e sites de notícias revelam que houve uma falsa live com o empresário Michel Saylor, dono da Microstrategy, falando sobre bitcoin.

O jornal esportivo Lance, que repercutiu a notícia, confirmou a invasão com o diretor de comunicações do clube, Bernardo Oliveira, que na ocasião disse que a situação já estava sendo normalizada, como já havia ocorrido durante a produção deste texto. A publicação compartilhou um print.

“O canal teve o controle tomado. Os comentários das publicações foram desativados. Junto a isso, uma live foi iniciada, com o título: “THE MOST GLOBAL CONFERENCE With Michael Saylor! Microstrategy June 2022!”, escreveu também pela manhã o site Coluna do Fla, que publica notícias sobre o Clube.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Empresário "vende" Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

Empresário “vende” Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

O discurso de formatura da Ohio State University incluiu defesa do Bitcoin e cantorias que chocaram o público
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Novo estudo do LAPIN apresenta melhores práticas para regulação de criptomoedas no Brasil

White paper feito pelo LAPIN com apoio da Ripple traz diversos pontos e dados para ajudar na regulação do setor de criptomoedas brasileiro
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade