Imagem da matéria: YouTube bane canal do Bitcoin.com, de Roger Ver, mas volta atrás
Ver é o maior difusor do Bitcoin Cash (Foto: Reprodução/Youtube)

Um banimento seguido por um restabelecimento do canal Bitcoin.com no Youtube fez com que Roger Ver, o propagador do Bitcoin Cash (BCH) e presidente executivo da plataforma, criticasse tanto a empresa de streaming quanto os bitcoiners.

De acordo com o IBTimes, o Youtube afirmou que houve um erro no processo de tomada de decisão. Roger Ver, no entanto, diz que o problema foi causado por defensores do Bitcoin Core — o bitcoin original.

Publicidade

Indignado com o banimento do canal na última sexta-feira (13), Ver usou outra rede social para publicar sua crítica à plataforma e aproveitou para jogar a culpa nos defensores do BTC.

Segundo ele, a exclusão do canal — com cerca de 40 mil inscritos — aconteceu sem motivo. No entanto, na ocasião, o Youtube alegou violação dos termos de serviço da plataforma.

Ver então disparou contra empresa de streaming. Conforme explicou ao Cointelegraph, houve uma falsa denúncia contra o canal que reivindicava direitos autorais de um vídeo que estava no ar havia três anos.

Uma única investida contra o Bitcoin.com havia sido feita pela ONErpm (plataforma que oferece um serviço de distribuição de músicas, semelhante ao Spotify), mas que não havia sido aceita pelo Youtube.

Publicidade

Em um vídeo no Reddit, Ver sugeriu que a ação do Youtube pode ter acontecido por conta de denúncias maldosas feitas por maximalistas do Bitcoin, tachando o Bitcoin Cash como um golpe. Isso seria uma afronta por ele não atribuir ao BTC um conceito de reserva de valor, disse.

Roger Ver disse ainda que já é hora de considerar plataformas alternativas de streaming para compartilhamento de vídeo, citando as plataformas memo.cash e lbry.tv, como “resistentes à censura”.

Bitcoin no Youtube

O banimento de canais com conteúdo relacionados ao mercado de criptomoedas tem virado notícia desde o fim do ano passado, com ações que foram apelidadas na comunidade cripto de ‘Operação de Natal’ do Youtube.

Na ocasião, vários Youtubers tiveram seus canais excluídos após strikes sucessivos. O strike é somente um aviso que antecede um possível banimento do canal. Canais como o de Ivan On Tech e Chris Dunn, por exemplo, que possuíam mais de 200 mil seguidores, foram eliminados.

Publicidade

Em janeiro, por exemplo, O YouTube continuou a punir canais sobre criptomoedas. O Canal Dinheiro, mantido pelo youtuber Marcos Eduardo Rui Costa, foi apagado após três strikes — todos em menos de três meses e de vídeos publicados, na época, há pelo menos um ano.

O mesmo aconteceu com o conhecido trader de bitcoin Tone Vays, que atua no mercado desde 2013. Em meados de abril ele também amargou o banimento no Youtube. Seu vídeo falava sobre a valorização do bitcoin e questionava a lenta recuperação da S&P 500 (Dow Jones).

No mesmo mês, outros canais foram prejudcados: Dash Dinheiro Digital; Bitnada; CryptoTchaps; Playnegócios; Étopasaber; Ronaldo Silva.

Nem mesmo o analista da CVM Davi Batista, que começou a falar recentemente sobre o mercado, ficou de fora. Seu canal, no ar desde 2014, foi deletado sem aviso prévio, ou seja, sem sem strikes.


BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos