Imagem da matéria: Vírus finge ser tradutor do Google para infectar computadores e minerar criptomoedas
Foto: Shutterstock

Milhares de computadores ao redor do mundo foram infectados por um vírus de mineração de criptomoedas, escondido em um falso aplicativo do Google Tradutor para desktop — um produto que a empresa não disponibiliza.

A ameaça estava ativa desde 2019 em pelo menos 11 países, mas foi identificada pelos especialistas da Check Point Research (CPR) apenas no final de julho. Em relatório publicado no início da semana, a empresa deu detalhes sobre o vírus chamado “Nitrokod”, criado por hackers turcos.

Publicidade

Quando o usuário baixa o aplicativo falso e o vírus escondido é executado, sua máquina é conectada a um servidor externo para obter a configuração do minerador XMRig, que passa a usar o poder computacional da vítima para minerar a criptomoeda Monero (XMR).

O vírus Nitrokod pode ter tido um alto alcance pois estava disponível para download em sites populares como Softpedia e Uptodown. Além disso, ele também aparecia no topo do Google quando os usuários pesquisaram “Download do Google Translate Desktop”, como mostra a imagem abaixo:

do vírus aparece no topo das pesquisas por “Google Translate Desktop download”
Link do vírus aparece no topo das pesquisas por “Google Translate Desktop download” (Fonte: Check Point Research)

Como funciona o vírus Nitrokod

Na análise da Check Point Research, Nitrokod é um trojan criado com um mecanismo de desaceleração para que a infecção da máquina ocorra em vários estágios.

“Após a instalação inicial do software, os invasores atrasam o processo de infecção por semanas e excluem rastros da instalação original. Isso permitiu que a campanha operasse com sucesso fora do radar por anos”, aponta o relatório.

Publicidade

O vírus só é executado pela primeira vez após um mês da instalação do programa, neste caso, do Google Tradutor para desktop. No seu código, há seis estágios de infecção agendados para acontecer ao longo do tempo.

Nesses estágios, o vírus exclui os rastros deixados no computador e passa a analisar o que existe na máquina do usuário. Se tiver antivírus instalado, ele o desativa, bem como altera as regras de firewall para permitir conexões de rede maliciosas. Por fim, instala silenciosamente o minerador para extrair o poder computacional da máquina da vítima.

Essa prática fraudulenta é apelidada de “cryptojacking”, e acontece quando um vírus infecta uma máquina para minerar criptomoedas sem o consentimento do usuário, direcionando o lucro da mineração para a carteira do hacker.

Ele pode ser espalhado de diferentes formas, seja no download de softwares, como no caso do falso Google Tradutor, como de filmes e séries piratas. O risco também existe em sites sem a necessidade de download, como em alguns jogos online.

Publicidade

Aprenda a ganhar dinheiro com Cripto
Você pode ter acesso a um curso exclusivo com os maiores especialistas em cripto para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Garanta sua vaga aqui!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Memecoins como a EPIK estão se tornando cada vez mais populares no universo das criptomoedas. Isso é bom ou ruim?
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance
Imagem da matéria: Bitso lança carteira Web3 para facilitar conexão com aplicativos DeFi

Bitso lança carteira Web3 para facilitar conexão com aplicativos DeFi

Bitso Web3 Wallet suporta Ethereum, Polygon, Arbitrum, Base e Optimism e permite acesso a mais de 2 mil tokens
Celular com logotipo da BInance

Binance anuncia fim do suporte a uma stablecoin que afetará pares com Bitcoin e Ethereum

A exchange também anunciou a listagem de novos pares de negociação com Lira turca