Imagem da matéria: OpenSea nega suporte para hard forks "rebeldes" do Ethereum
Foto: Shutterstock

O OpenSea, maior mercado de tokens não fungíveis (NFT) do setor, não vai apoiar outras versões “não oficiais” da rede do Ethereum que podem surgir após a Fusão. A empresa escreveu na quarta-feira (31) que está comprometida em dar suporte “exclusivamente aos NFTs da rede Ethereum atualizada” para o sistema de proof-of-stake (PoS).

O gigante do setor NFT acrescentou que qualquer bifurcação (fork) do Ethereum — um termo técnico para quando uma blockchain se divide em duas — não será suportada no OpenSea, como forma de garantir a transição mais suave possível após a fusão.

Publicidade

O OpenSea é o primeiro mercado NFT que abriu as portas no Ethereum em 2017 e agora suporta mais de 80 milhões de NFTs e cerca de US$ 31 bilhões em volume total desde que começou a operar, de acordo com o DappRadar.

NFTs são tokens baseados em blockchain que comprovam a propriedade de um item no ambiente digital, seja arte, música ou terrenos virtuais. Eles são construídos em redes como Ethereum e negociados em marketplaces como o OpenSea.

Espera-se que o evento de fusão, uma das maiores atualizações do Ethereum que vai mudar o mecanismo de consenso da rede do atual proof-of-work (PoW) para o proof-of-stake (PoS), ocorra em algum momento entre os dias 10 e 16 de setembro. 

Um grupo de mineradores, no entanto, se organiza para realizar um hard fork da blockchain do Ethereum para manter viva uma versão da rede onde a mineração tradicional continua existindo.

Publicidade

Leia também: Fusão do Ethereum: Rebelião dos mineradores será uma ameaça? Analistas respondem

Circle se une à posição da OpenSea sobre Fusão

Embora o OpenSea tenha sinalizado que não suportará nenhuma versão bifurcada do Ethereum, outras plataformas do setor das criptomoedas adotaram uma postura muito diferente.

A exchange Bitfinex, por exemplo, disse que forneceria opções aos traders caso a fusão causasse uma nova versão da rede do Ethereum. Agora, há duas versões do ether listadas na corretora, uma sendo a original e outra o ETHW, baseado no sistema PoW.

A Coinbase também está considerando dar ao token bifurcado ETHW um lugar na exchange para “criar um campo de jogo nivelado”. “Qualquer token ETH bifurcado será revisado com o mesmo rigor que qualquer outro ativo listado em nossa bolsa”, garantiu a empresa.

Mas a Circle, a empresa por trás da segunda maior stablecoin do mundo, USD Coin (USDC), juntou-se à posição do OpenSea, afirmando que seu “único plano é apoiar totalmente a rede Ethereum PoS atualizada”.

Publicidade

Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Solana encontra solução para lentidão e apressa validadores a atualizar "o mais rápido possível"

Solana encontra solução para lentidão e apressa validadores a atualizar “o mais rápido possível”

Os desenvolvedores da Solana criaram uma correção para o congestionamento e pedem ajuda dos validadores nos testes
silhueta de homem com celular e logo da coinbase no fundo

Coinbase entra com recurso contra decisão em caso contra a SEC

Ao interpor o recurso, a Coinbase alega motivos substanciais para divergências de opinião, segundo disse o site The Block citando uma pessoa familiarizada com o caso
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Executivo da Binance que fugiu da Nigéria é localizado e pode ser extraditado

Autoridade queniana disse que não é simplesmente prender, pois Nadeem Anjarwalla é de família influente que “tem o apoio de algumas pessoas poderosas”
Imagem da matéria: Arthur Hayes está pessimista em relação ao halving do Bitcoin — aqui está o motivo

Arthur Hayes está pessimista em relação ao halving do Bitcoin — aqui está o motivo

O ex-CEO da BitMEX espera que o halving do Bitcoin “adicione gasolina a uma grande queima de criptoativos”