Imagem da matéria: Vídeo: Polícia captura acusado de aplicar golpe de R$ 60 milhões com pirâmide financeira
Foto: Polícia Civil do Pará/Divulgação


A Polícia Civil do Pará prendeu nesta quinta-feira (12) o empresário Olavo Renato Martins Guimarães, suspeito de aplicar um golpe de R$ 60 milhões por meio da pirâmide financeira ‘Wolf Invest’. Ele foi capturado no município de Indaiatuba, a cerca de 100 quilômetros da capital São Paulo.

A estimativa é que Guimarães, acusado de estelionato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e associação criminosa, tenha feito pelo menos 500 vítimas só em Belém (PA).

Publicidade

O delegado responsável pelo caso, Walter Resende, disse que pediu o sequestro dos bens do empresário: “No total, o bloqueio deve chegar a R$ 43 milhões, que pertenciam às vítimas lesadas. Nossa expectativa é que esse montante seja devolvido aos investidores”, disse.

Na operação, a polícia também apreendeu aparelhos eletrônicos, celulares e outros documentos que vão ajudar na investigação.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Guimarães.

Promessa de lucro alto

Por meio da Wolf Invest, o acusado oferecia serviços de gestão em operações e investimentos de valores mobiliários, além de day trade no mercado Forex. A empresa nunca teve autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para oferecer títulos financeiros ou captar recursos.

Em 2019, o regulador comunicou o mercado que tanto Guimarães quanto a empresa exerciam a atividade de forma ilegal.

Para atrair clientes, o acusado oferecia rendimento de 10% ao mês em cima dos aportes, além de comissões para aqueles que conseguissem atrair novos membros.

Parte do dinheiro captado, no entanto, era usado para pagar os investidores mais antigos, em um clássico esquema de pirâmide financeira.

Publicidade

Vítimas

Só no Tribunal de Justiça do Pará Guimarães responde a quase uma centena de processos. No início do ano, uma família inteira relatou para a reportagem do Domingo Espetacular ter perdido R$ 300 mil no esquema fraudulento.

Outra investidora afirmou que perdeu uma parte do dinheiro que ela tinha guardado da venda de uma casa.

Para Artêmio Ferreira Picanço, advogado que defende algumas pessoas lesadas, a prisão é um desfecho favorável de um caso que deixou um rastro de prejuízo. “É uma prova de que as coisas acontecem”.

Talvez você queira ler
Mulher dentro de um carrinho de supermercado segura alegre sacolas com compras

Black Friday Cripto: Veja 7 promoções para aproveitar nesta sexta

As empresas cripto brasileiras vão oferecer descontos em taxas de negociação, cashback em dobro na compra de criptomoedas, bônus especiais por indicação e muito mais
Agentes da PF e Receita cumprindo mandados de apreensão

Polícia Federal derruba quadrilha de doleiros que usava criptomoedas para praticar evasão de divisas

Na estimativa das autoridades, o esquema criminoso movimentou pelo menos R$ 4 bilhões de forma ilegal
Ricardo e Camila, criadores do projeto Bitcoin é Aqui posam para foto

Conheça a pequena cidade brasileira que se tornou local com maior taxa de adoção do Bitcoin no mundo

Município do Rio Grande do Sul adota o Bitcoin como meio de pagamento para cortes de cabelo e cafés e chegando até em terrenos
cédulas de 100 e 200 reais

Cresce número de brasileiros que sacam dinheiro em caixas eletrônicos

De acordo com o levantamento, 54% dos pesquisados disseram que o saque é uma das principais operações realizadas cotidianamente