Imagem da matéria: "Venho para enterrar o Bitcoin", diz economista-chefe de um dos maiores bancos do mundo
(Foto: Shuttertosck)

Durante uma entrevista ao program Fast Money da CNBC realizado na quinta-feira (29), Paul Donovan, economista-chefe do UBS, um dos maiores bancos do mundo, disse que as criptomoedas e o Bitcoin estão chegando ao fim do caminho.

Donovan conversava com a jornalista Melissa Lee por telefone quando comentavam sobre a atual situação do mercado de criptomoedas. Ela então perguntou:

Publicidade

“Você estava aguardando este momento do mercado para enterrar de vez o bitcoin?”, referindo-se a um artigo publicado por ele no início da semana intitulado ‘Venho enterrar bitcoin, não elogiá-lo’.

Uma imagem do artigo, que foi publicado internamente no blog do UBS, foi compartilhada pela jornalista do Bloomberg Julie Verhage em seu Twitter.

O executivo então respondeu que “qualquer pessoa bem educada em economia sabe que o Bitcoin não é uma moeda. Essas coisas não são e nunca serão moedas a qualquer momento no futuro. Elas são fatalmente falhas”.

Sobre a tecnologia blockchain, o executivo possui outro conceito.

“A tecnologia blockchain, o sistema de contabilidade distribuída — isso é diferente. Há uma proposta econômica lá; e há um certo ‘hype’ em torno dela, mas, para sair falando que o Bitcoin vai substituir o dólar, é absolutamente precipitado”, disse ele.

Publicidade

Mesmo com o mercado em alta em dezembro do ano passado, quando o bitcoin quase bateu a casa dos US$ 20 mil, Donovan já dizia se tratar de uma bolha e que aquilo poderia ser destrutivo a longo prazo, como mostra outra reportagem.

Ele relembrou aquele período durante a conversa com Lee.

“Desde o final do ano passado, era bastante óbvio que isso terminaria mal, infelizmente, para algumas das pessoas que não estavam protegidas por nenhum tipo de regulamentação e foram sugadas pelo processo”, disse ele.

Donovan acredita que a criptomoeda pode estar em sua “fase terminal”, pois perder 80% de valor “não é saudável”.

O principal problema, segundo ele, é o fato de que o bitcoin “nunca será uma reserva de valor”.

Ele explicou:

“Todo economista sabe que a reserva de valor tem a ver com equilibrar oferta e demanda e, com criptomoedas, você não pode controlar a oferta em resposta à queda na demanda”.

Há tempos o executivo do UBS vem tentando desmistificar a crença dos entusiastas do bitcoin de que a criptomoeda é o futuro da economia.

Publicidade

Assim como outros céticos, Donovan já comparou a adesão a criptoativos com a ‘febre das tulipas’, fenômeno financeiro que aconteceu em de 1637 na Holanda.


BitcoinTrade

Baixe agora o aplicativo da melhor plataforma de criptomoedas do Brasil
Cadastre-se e confira todas as novidades da ferramenta, acesse: www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética
Imagem da matéria: História indica que 3º trimestre é o pior para o Bitcoin, mas será que 2024 vai surpreender?

História indica que 3º trimestre é o pior para o Bitcoin, mas será que 2024 vai surpreender?

Terceiro trimestre é historicamente o período de menor ganho para o Bitcoin, mas uma possível queda de juros nos EUA pode mudar o cenário em 2024
bitcoin

Manhã Cripto: Bitcoin recua 2,2% apesar da queda da inflação nos EUA

Embora os dados macroeconômicos atuais sejam positivos, o Bitcoin ainda busca estabilidade em meio às preocupações pontuais dos investidores
Fachada de um prédio da BlackRock na Califórnia, EUA

Investidores seguem confiantes no Bitcoin e ETF da BlackRock tem maior captação desde março

Desde março o ETF de Bitcoin à vista da BlackRock não captava mais de R$ 2,9 bilhões em um único dia