Imagem da matéria: Venezuela testa pagamentos com Bitcoin para alguns passaportes
(Foto: Shutterstock)

O governo da Venezuela parece estar testando aceitar Bitcoin como pagamento pela emissão de passaportes e outros documentos oficiais para cidadãos que residem fora do país.

Embora o governo de Nicolás Maduro não tenha emitido uma declaração oficial sobre o assunto, a opção de pagar em Bitcoin pode ser uma resposta às recentes dificuldades que a Venezuela experimentou no processamento de pagamentos transfronteiriços. Isso tem sido especialmente desafiador para qualquer empresa estatal devido às sanções econômicas unilaterais que o governo dos EUA impôs contra a Venezuela.

Publicidade

Os rumores sobre a opção de pagamento em BTC para passaportes surgiram na noite de terça-feira (23), principalmente no Reddit. O usuário iguano80 compartilhou uma imagem no subreddit r/Bitcoin do serviço de processamento de pagamento que exibia o Bitcoin como uma opção de pagamento. O pagamento com cartão de crédito está temporariamente suspenso devido aos efeitos das sanções.

Hoje, no entanto, Marbellis Linares, chefe de imprensa da Sunacrip na Venezuela, disse via Twitter que a opção de pagamento com Bitcoin não é de fato em funcionamento mas negou relatos de que o serviço é falso.

Linares estava respondendo a uma reportagem do site latino-americano Criptonoticias, que pôde verificar a opção solicitando um passaporte através do consulado venezuelano em Buenos Aires, Argentina.

Por exemplo, a opção não parecia estar disponível para ninguém na Venezuela; nesse caso, os únicos pagamentos aceitáveis ​​ainda são bolívares – a moeda fiduciária oficial – e petros, a criptomoeda apoiada pelo Estado.

Publicidade

No entanto, vários usuários em vários países confirmaram via mídia social que a opção de pagamento BTC apareceu no site da SAIME nesta manhã. Desde então, no entanto, a opção de pagamento foi bloqueada. Isso combinado com as declarações de Linares no Twitter sugerem que o governo da Venezuela pode estar simplesmente realizando um teste.

A adoção de criptomoedas na Venezuela tornou-se gradualmente uma estratégia política do governo Maduro, como forma de contornar os efeitos das sanções econômicas. O governo venezuelano já permitiu pagamentos em criptomoeda Petro para vários serviços públicos, incluindo o pagamento de gasolina.

O banco público nacional da Venezuela também está adaptando sua infraestrutura para incluir serviços de criptomoeda, e o governo de Maduro admitiu recentemente o armazenamento de Bitcoin e Ethereum como parte de suas reservas internacionais.

À medida que as sanções se intensificam e a guerra econômica entre nações rivais esquenta, parece que a criptomoeda, incluindo o Bitcoin, pode se tornar uma última linha de defesa – para melhor ou para pior.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

Estado dos EUA investe R$ 510 milhões em ETF de Bitcoin da BlackRock

O investimento foi confirmado hoje pelo Conselho de Investimentos do Estado de Wisconsin (SWIB)