Apresentador da CNBC e investidor Jim Cramer
Foto: Shutterstock

O apresentador da CNBC, Jim Cramer, que está à frente do programa ‘Mad Money’ há mais de 15 anos, afirmou na segunda-feira (21) que vendeu quase todos os seus bitcoins por causa das tensões geradas pela China e também por receio dos recentes ataques ransomwares. Para ele, a criptomoeda não decola mais por conta dessas duas razões.

“Vendi quase todo o meu bitcoin. Não preciso disso”, disse ele durante o programa Squawk on the Street, jornal da CNBC voltado para notícias de Wall Street. No entanto, há cerca de dois meses, Cramer usou seu lucro em bitcoin para quitar uma hipoteca.

Publicidade

Repressão da China e ransomwares

Sobre o país asiático, Cramer disse que quando a China vai atrás de algo, eles tendem a fazer o que querem, pois lá não é uma democracia e sim uma ditadura. Ele acrescentou que o governo chinês acredita que o Bitcoin é uma ameaça direta ao regime por ser um sistema que está fora de seu controle.

Acerca dos recentes ataques ransomwares, Cramer citou o caso da operadora de dutos americana Colonial Pipeline, que no mês passado ficou paralisada devido à criptografia feita pelos hackers em sua parede. Sem uma saída de emergência para problema que surgiu sem precedentes, a empresa acabou pagando US$ 4 milhões em bitcoin (referentes a 75 BTCs na época) para os cibercriminosos.

“Em nosso país, acho que está fora de nosso controle quando se trata de ransomware e duvido que a Colonial seja a primeira empresa a pagar”, disse o apresentador, acrescentando que “o Departamento de Justiça, o FBI, o Fed e o Tesouro poderiam se unir e dizer: ‘OK, rapazes, se vocês pagarem o resgate iremos atrás de vocês’”.

Quitou hipoteca com bitcoin

Jim Cramer começou a dar atenção ao Bitcoin quando o mercado de criptomoedas estava em um de seus auges, em 2017. Na época, contudo, sua opinião era de que investir na moeda era “puro jogo de azar”, chegando a compará-la ao “dinheiro do jogo Banco Imobiliário”.

Publicidade

No entanto, suas perspectivas mudaram ao longo do tempo. Sem citar uma data, ele já chegou a afirmar que comprou a criptomoeda quando ela custava US$ 12 mil. Em fevereiro deste ano, quando ele passou a citar o Bitcoin como uma tecnologia empolgante e uma alternativa de investimento para quem tem dinheiro parado e sem rendimento. Seu comentário foi registrado no programa Squawk Box da CNBC.

Em abril, Cramer não hesitou em afirmar que havia quitado uma hipoteca usando os lucros de seu investimento em bitcoin. “Agora tenho uma casa — e tudo — porque comprei essa moeda”, concluiu.

VOCÊ PODE GOSTAR
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
Celular com gráficos de ações e criptomoedas em queda no fundo

Preço de tokens BRC-20 da rede Bitcoin despencam antes do halving — Runes é o culpado?

Em semana crucial para a principal rede de criptomoedas, a ORDI caiu mais de 40%
Imagem da matéria: Corretoras batem recorde de negociações enquanto suas reservas de Bitcoin despencam

Corretoras batem recorde de negociações enquanto suas reservas de Bitcoin despencam

A alta das criptomoedas em março resultou em um recorde de negociações e queda drástica das reservas de Bitcoin das corretoras
moeda de bitcoin e ethereum com gráfico ao fundo

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) supera US$ 72 mil com halving cada vez mais próximo; ETH dispara 6%

É a primeira vez que o Bitcoin bate a marca de US$ 72 mil desde meados de março