Imagem da matéria: Universidade americana vai fazer staking de criptomoedas para gerar receita
Universidade de Wyoming. Foto: Divulgação

O Wyoming, nos Estados Unidos, já deu as boas-vindas a bancos de criptomoedas e a investimentos em blockchain. Agora, o estado norte-americano está se envolvendo ainda mais com o setor.

Em um projeto de lei de assinado pelo governador no mês passado, o Wyoming reservou US$ 4 milhões para um programa de staking de criptomoedas a ser administrado pela Universidade do Wyoming, a única instituição pública de ensino superior do estado.

Publicidade

O staking, que equivale a bloquear a criptomoeda para que possa ser usado para validar transações de blockchain e cunhar novos tokens, é uma maneira popular para os detentores de criptomoedas colocarem seus ativos para trabalhar e obter algum lucro. O ‘Programa de Estipulação de Criptomoedas da Universidade de Wyoming’ oferece uma visão de possíveis fontes alternativas de receita para as universidades públicas, que – mesmo antes da pandemia do coronavírus – enfrentavam restrições orçamentárias.

Depois que o estado aprovar o plano de gastos da universidade, a instituição terá US$ 4 milhões para gastar em nós operacionais (computadores que estão conectados e sustentando a rede blockchain) e acumulando criptomoedas para desenvolver “pools de staking” – que permitem que usuários de criptomoedas coloquem tokens e comecem apostar sem que eles próprios precisem de nenhum conhecimento técnico – em pelo menos três criptomoedas.

A receita gerada irá primeiro para o pagamento de despesas operacionais, com até US$ 4 milhões de lucro indo para a conta de investimentos e projetos estratégicos da universidade. Qualquer lucro além desse montante é destinado a “programas e atividades de blockchain na universidade e faculdades comunitárias em todo o estado”.

O estado recorreu à conta de investimentos para financiar projetos de construção, incluindo uma expansão da faculdade de direito da universidade.

Publicidade

Para executar o staking, o projeto de lei também estabelece um “conselho consultivo de criptomoeda” a ser co-presidido por líderes de um comitê estadual focado em blockchain, tecnologia financeira e tecnologia de inovação digital. Os membros incluem o diretor de investimentos do estado, três especialistas em blockchain a serem nomeados pelo governador e um membro nomeado pelo presidente da Universidade do Wyoming.

Um pool de staking é semelhante a um pool de mineração, mas específico para blockchains de prova de aposta (PoS), que dependem de detentores de tokens para bloquear suas moedas para verificar as transações. Os pools de staking se referem a usuários que combinam seus recursos para validar novos blocos, aumentando assim suas chances de ganhar as recompensas de criptomoedas associadas. Dependendo do blockchain, os pools de staking podem exigir que os usuários bloqueiem suas moedas em uma carteira digital, o que significa que eles não podem usar os tokens por um determinado período. A Cardano (ADA), que usa prova delegada de aposta, permite que os usuários participem de um pool de apostas e mantenham o controle de seus tokens, por exemplo.

Quanto a qual das três cadeias de PoS será escolhida, o token ADA de Cardano parece uma escolha lógica. Os criadores de Cardano, da empresa IOHK, estabeleceram o laboratório ‘Wyoming Advanced Blockchain Lab’ no campus no ano passado. O local, com o apoio do corpo docente, está usando US$ 50.000 em fundos para criar e manter um staking de Cardano.

Há muito tempo o Wyoming está à frente da curva em relação à tecnologia de blockchain. Em 2019, o estado aprovou uma série de projetos de lei criando uma estrutura regulatória de boas-vindas para criptomoedas. Em 2020, as empresas Kraken e Avanti receberam licenças estaduais para estabelecer “bancos de criptografia” no estado, permitindo-lhes manter criptomoedas em nome dos clientes e fornecer outros serviços financeiros especializados. E apenas no mês passado, o estado norte-americano legalizou explicitamente as organizações corporativas autônomas descentralizadas que usam tokens em um blockchain para facilitar a tomada de decisões.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump cobrará R$ 5 milhões de quem quiser dividir mesa com ele em evento de Bitcoin

Uma foto com Trump também custará caro aos participantes, indo de R$ 330 mil a R$ 550 mil
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética