Twitter, Elon Musk
Shutterstock

O anúncio feito por Elon Musk na sexta-feira (8) de que iria cancelar acordo de compra do Twitter parece não ser o capítulo final da saga e sim mais um episódio de uma longa novela. Os próximos passos devem ter como cenário os tribunais norte-americanos, mais especificamente os do estado de Delaware.

Minutos após Elon fazer o anúncio, o presidente do Twitter, Bret Taylor, divulgou um comunicado que a empresa irá à Justiça para que o acordo de compra por US$ 44 bilhões seja cumprido.

Publicidade

“Nós estamos comprometidos em fechar esta negociação nos preços e termos que foram acordados com Musk e planejamos tomar ações legais para que o acordo seja cumprido. Nós estamos confiantes que vamos vencer na Corte de Chancelaria de Delaware”.

Musk e Twitter tinham definido previamente que qualquer disputa judicial seria resolvida na corte de Delaware, um palco tradicional de disputas legais de aquisições e fusões entre empresas.

Segundo o portal da Bloomberg, as decisões em geral demoram alguns meses para ser tomadas e muitas vezes é estabalecido um acordo entre as partes para evitar uma longa e desgastante batalha judicial.

O dono da Tesla se comprometeu a pagar US$ 54,20 por ação. Na sexta-feira (8) a ação da empresa estava cotada em US$ 36,81.

Publicidade

Vida e morte da oferta de Musk

Na sexta-feira (8), o CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, retirou sua oferta de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter.

O empresário se ofereceu para comprar a plataforma de mídia social em abril, no entanto, ficou no “vai e vem” conforme seus comentários nos últimos meses provocaram ampla especulação sobre o fato de que sua compra poderia não se concretizar.

“Por quase dois meses, Musk buscou os dados e informações necessários para ‘fazer uma avaliação independente da prevalência de contas falsas ou spam na plataforma do Twitter’”, diz uma carta do empresário ao Twitter segundo The Verge. “O Twitter falhou ou se recusou a fornecer essa informação”, continua.

Musk já havia adquirido uma participação de 9,2% na plataforma de rede social, onde tem 100 milhões de seguidores. Ele ofereceu US$ 54,20 por ação para adquirir o restante da empresa, e o conselho do Twitter recomendou por unanimidade a aceitação do acordo em junho.

Publicidade

No entanto, parecia cada vez mais que Musk estava querendo desistir do acordo. Ele havia citado anteriormente preocupações com spam e a atividade de bots automatizados na plataforma, sugerindo que o Twitter não estava fornecendo as informações solicitadas.

Musk disse em maio que o acordo estava “temporariamente suspenso”, e sua equipe jurídica enviou uma carta ao conselho geral do Twitter em junho alegando que a empresa não estava atendendo às suas demandas por dados.

“A última oferta do Twitter de simplesmente fornecer detalhes adicionais sobre as metodologias de teste da própria empresa, seja por meio de materiais escritos ou explicações verbais, equivale a recusar as solicitações de dados de Musk”, dizia a carta dos advogados de Musk.

Sua equipe alegou que foi uma “clara violação legal” dos termos do acordo e que Musk pode tentar sair do acordo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de ethereum à frente de ilustração de cadeado

A SEC vai finalmente aprovar os ETFs de Ethereum? Entenda

Vence no fim desta semana o prazo para a SEC aprovar ou não alguns pedidos de ETFs de Ethereum e a expectativa agora é mais positiva do que nunca
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas