Imagem da matéria: Trader tem 42% de lucro ao comprar criptomoedas de lista da Coinbase antes da divulgação oficial
(Foto: Shutterstock)

Na terça-feira (12), horas após a Coinbase publicar um artigo que revelava os tokens que poderiam ser listados em sua corretora, Jordan Fish, ex-gestor de produtos que utiliza o pseudônimo Cobie no Twitter, identificou uma carteira Ethereum que havia adquirido mais de US$ 400 mil nos tokens que constavam no artigo.

O problema é que o usuário que controla a carteira — a atividade de negociação que está publicamente visível na blockchain Ethereum — havia colocado os tokens em sua “sacola de compras” três minutos antes de a lista ter sido publicada.

Publicidade

O trader parece ter focado apenas em tokens sendo considerados para listagem na Coinbase, sugerindo um conhecimento avançado da lista antes de esta ser publicada. Isso pode caracterizar o crime de informação privilegiada (insider information, como a prática é conhecida em inglês).

Agora, os tokens adquiridos pela carteira valem mais de US$ 572 mil, resultando em um retorno sobre o investimento de 42% em menos de 24 horas.

Na terça-feira, a Coinbase não havia reconhecido a negociação incomum e possivelmente antiética em nenhuma de suas contas no Twitter nem respondido ao pedido por comentário do Decrypt.

Suspeita

O artigo da Coinbase no Medium, anunciando as novas listagens de tokens, foi publicado na segunda-feira (11) às 10h05 (horário de Brasília).

Publicidade

Na terça-feira, um pouco antes das 11h, Cobie havia identificado a carteira, que continha seis dos tokens mencionados no artigo da Coinbase antes de sua publicação.

 

“Encontrei um endereço ETH que comprou centenas de milhares de dólares de tokens exclusivamente mencionados na publicação de Listagem de Ativos da Coinbase cerca de 24 horas antes de ser publicado”, tuitou, incluindo uma captura de tela que mostrava grandes aquisições em indexed (NDX), kromatika (KROM), dappradar (RADAR), rac (RAC), dfx token (DFX) e paper (PAPER).

A carteira gastou US$ 88.942,48 comprando KROM, US$ 80.023,48 em DFX, US$ 72.299,45 em RADAR, US$ 70.635,74 em RAC, US$ 64.864,59 em NDX e US$ 27.309,96 em PAPER.

A mera consideração para listagem na corretora de criptomoedas Coinbase é suficiente para fazer o preço de um token disparar até 60% mesmo por um momento.

Publicidade

Desde a publicação do artigo da Coinbase, cada um desses tokens aumentou drasticamente. Na tarde de terça-feira, KROM subiu 40%; DFX, 42%; RADAR, 53%; RAC, 22%; NDX, 42%; e 63%, PAPER.

É importante reiterar que os tokens ainda não estão disponíveis na Coinbase e podem não ser listados. Neste momento, só estão sendo considerados para listagem.

A publicação alerta que usuários que tentarem acrescentar esses tokens à sua conta na Coinbase antes de uma listagem oficial podem sofrer uma perda permanente de fundos.

A similaridade com o escândalo antiético de negociação no OpenSea foi mencionada por um usuário no Twitter. Ele zombou que a Coinbase havia contratado Nate Chastain, o ex-líder de produtos do OpenSea, que havia renunciado após alegações de ter usado informações privilegiadas para se aproveitar de tokens não fungíveis (ou NFTs, na sigla em inglês) antes de as listagens estarem disponíveis.

 

Em setembro, o OpenSea havia confirmado que um funcionário havia usado “carteiras descartáveis” e informações privilegiadas para se beneficiar com os NFTs antes de virarem coleções exclusivas no OpenSea.

Publicidade

Dois dias depois, Nate Chastain deixou a empresa e o OpenSea anunciou que havia contratado uma empresa externa para ajudar a revisar e recomendar mudanças às suas políticas para funcionários.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

Stacks, uma rede de escalonamento de Bitcoin, não é mais objeto de investigação da SEC depois que a agência não recomendou nenhuma ação de fiscalização
donald trump

Bitcoin sobe e memecoins chegam a saltar 70% após ataque contra Trump

Memecoins inspiradas em Trump saltaram após um ataque contra ele, e o Bitcoin subiu – e os apostadores do mercado de previsão acham que isso ajudou sua campanha
Imagem da matéria: BitMEX se declara culpada de violar lei de sigilo bancário nos EUA

BitMEX se declara culpada de violar lei de sigilo bancário nos EUA

O Departamento de Justiça dos EUA disse que a BitMEX se envolveu em “evasão intencional” das leis combate à lavagem de dinheiro
Imagem da matéria: Grayscale lança fundo para oferecer exposição  a protocolos que conectam blockchain e IA

Grayscale lança fundo para oferecer exposição a protocolos que conectam blockchain e IA

“Os protocolos de IA baseados em blockchain incorporam descentralização, acessibilidade e transparência”, diz Grayscale