Imagem da matéria: Startups de criptomoeda arrecadaram US$ 759 milhões no terceiro trimestre
Foto: Shutterstock

Um fundo de capital de risco de criptomoedas analisou os números: projetos de criptomoeda arrecadaram US$ 759 milhões no terceiro trimestre deste ano, quase o quádruplo do que foi arrecadado no segundo semestre, quando o tumulto em torno da pandemia do coronavírus estava em força máxima.

A Outlier Ventures relatou que os projetos de criptomoedas arrecadaram US$ 227 milhões em setembro por meio de 97 negócios, US$ 278 milhões em agosto em 24 negócios e US$ 254 milhões em julho com 29 negócios. Em comparação com todo o segundo trimestre deste ano, a Outlier descobriu que as empresas de criptomoedas haviam arrecadado apenas US$ 200 milhões.

Publicidade

Em parte, é preciso agradecer é o surgimento do DeFi, ou finanças descentralizadas, protocolos financeiros não custodiais que permitem emprestar suas criptomoedas ou negociá-las em bolsas descentralizadas.

Em setembro, os negócios de DeFi e Fintech representaram dois terços do financiamento total, ou seja, US$ 157 milhões. Em agosto, eles representavam 62% dos negócios e em julho 72,4%. Em comparação, em todo o ano de 2020, eles representaram 40% dos negócios.

Tudo isso é um avanço em relação ao primeiro semestre deste ano, quando o investimento em criptomoedas era considerado algo imprudente – o mercado de ações havia levado os traders a momentos loucos.

De acordo com a equipe de pesquisa russa Grom, os capitalistas de risco de criptomoedas investiram metade do esperado em rodadas de financiamento da Série A, em meio à pandemia deste ano, em comparação com o ano passado.

Publicidade

Pegando dados da Crunchbase e Coindesk, a equipe de pesquisa russa da Grom descobriu que o valor médio investido nas rodadas de financiamento da Série A – geralmente a primeira grande rodada de financiamento para startups em estágio inicial – foi de US$ 10,4 milhões este ano; no primeiro semestre de 2019, as empresas de blockchain arrecadaram uma média de US$ 21 milhões.

A pesquisa da Grom analisou 34 investimentos da Série A através de dados disponíveis publicamente. Os investimentos de capital de risco privado ou aqueles não divulgados, além dos acordos de criptomoedas de back-alley foram deixados de fora da pesquisa, assim como os investimentos em startups mais maduras, como rodadas de financiamento da Série B ou C.

Então, por que a mudança repentina? Existe o óbvio: “É por causa do coronavírus”, disse Bohdan Zapototskyi, gerente de relações públicas da Grom, que também contribuiu para o relatório, à Decrypt.

“É por causa das restrições que podem ter sido impostas à movimentação de capital, [particularmente] nos Estados Unidos – a capital dos investimentos.” Com o colapso da economia global, “os investidores estão menos dispostos a arriscar seu dinheiro em investimentos de risco”, disse ele. E o que é mais arriscado do que criptomoedas?

Publicidade

Mas há mais coisas a considerar do que apenas esse ponto, descobriram os pesquisadores. Em meio à incerteza, o financiamento foi mais consistente este ano – ou seja, houve poucos investimentos malucos e extraordinários neste ano, pois os VCs entraram no jogo buscando segurança. Em 2019, o spread entre as maiores e menores transações era de US$ 198,7 milhões.

O maior investimento (de longe) foi na rodada de financiamento de séria A da exchange Bithumb, sendo um valor de US$ 200 milhões. Em 2020, o spread foi de apenas US$ 29,2 milhões – o maior foi de US$ 31,2 milhões na rodada da Série A para a Lightnet.

Compare esses fatos com o atual momento. “Você pode estar rindo dos memes de mineração de criptomoedas”, escreveu a gerente de investimentos da Outlier, Ana-Maria Yanakieva em sua atualização de julho, “mas os investidores estão vendo um potencial real”.

Desde a carta de Yanakieva, agora sabemos que alguns dos projetos em que os investidores viram potencial, acabaram não dando certo. Yanakieva certamente acertou em uma coisa em sua postagem de julho: os memes eram engraçados.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro
Imagem da matéria: Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Meta é que comunidade de programadores crie soluções na XRP Ledger, blockchain usada pela empresa e que tem o token nativo XRP
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide