Imagem da matéria: Startup Levanta US$ 20 Milhões para Criar ''Youtube no Blockchain''

Uma startup do Vale do Silício, a Lino, está se preparando para criar um YouTube com um sistema de distribuição de conteúdo de vídeo descentralizado e coletivo que pretende cortar o intermediário para recompensar mais justamente os criadores de conteúdo.

A empresa, que enfrenta a concorrência do Streamspace, Flixxo, Viuly e Stream, que está desenvolvendo conceitos similares, recebeu um voto de confiança de US$ 20 milhões do proeminente investidor chinês Zhenfund durante uma venda de token privada, anunciou hoje.

Publicidade

Explicando a missão da empresa, seu site diz que o YouTube possui “enorme poder” sobre os criadores e se concentra em maximizar o lucro, o que pode entrar em conflito com seus criadores reais.

O site continua:

A solução é criar um meio de distribuição descentralizado, que garanta que todo o valor do conteúdo seja distribuído diretamente aos criadores de conteúdo e contribuintes afiliados, sem passar por uma entidade de propriedade privada como intermediário.

Os tokens LINO da empresa operarão como moeda do sistema e serão obtidos criando e compartilhando conteúdo, bem como do desenvolvimento de infra-estrutura e aplicações em cima do blockchain Lino. Em outras palavras, os usuários que executam nodes para hospedar conteúdo irão ganhar tokens, assim como os criadores de conteúdo, de acordo com uma publicação no Medium.

“Nós acreditamos em redes de entrega de conteúdo descentralizadas, peer-to-peer (CDN)], mas os projetos atuais parecem não estar prontos para estabilidade e custos”, afirma o site da Lino.

Em vez disso, procuram fornecer um CDN descentralizado através de um sistema de leilão, que os fundadores acreditam que manterá um alto padrão de trabalho na plataforma, de acordo com a TechCrunch.

Publicidade

O valor do conteúdo será determinado pelo envolvimento humano com ele, o que o Lino argumenta evitará fraude e bots de manipularem o sistema. As transações serão gratuitas. O “sistema de leilão” é um reflexo desse engajamento – usuários com conteúdo mais interessante ou novo receberão mais recompensa do que aqueles que produzem conteúdo menos interessante.

O presidente-executivo da Lino, Wilson Wei, disse à TechCrunch que esperava que os criadores de conteúdo obtenham três a cinco vezes os lucros que eles fazem no YouTube ou no site do concorrente, Twitch.

Enquanto o projeto não é lançado – será lançado ainda este ano – Wei expressou confiança. Ele disse à TechCrunch:

“Toda a economia de conteúdo é enorme, mas acreditamos no conceito de organização descentralizada. Por que não fazemos isso e começamos toda a revolução a partir do conteúdo de vídeo?”

Será que o gigante youtube tem chance de ser desbancado por uma tecnologia descentralizada?

Leia Também: Bitcoin Chega a US$ 6.500, Menor Patamar em 3 Meses

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
Imagem da matéria: Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Grupo criou aplicação para conectar via blockchain produtores de energia e estações de abastecimento, com a mira no mercado de carros elétricos