Imagem da matéria: Senador dos EUA sugere que reguladores deveriam proibir criptomoedas
(Foto: Shutterstock)

O senador Sherrod Brown sugeriu que as Agências Federais dos EUA, como a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) e a Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities (CFTC), deveriam “talvez” considerar a proibição de criptomoedas.

No entanto, durante uma sessão “Meet the Press” da NBC, ele também admitiu que essa proibição seria “muito difícil” porque a indústria cripto poderia começar a operar no formato offshore.

Publicidade

Referindo-se aos vários reguladores nos EUA, ele disse: “Queremos que eles façam o que precisam fazer e, ao mesmo tempo, talvez proibi-las, embora seja muito difícil fazer isso, porque elas começariam a operar no formato offshore e quem sabe como isso funcionaria.”

O senador também apontou numerosos incidentes para apoiar suas reivindicações, não apenas o recente colapso da FTX, mas também questões como “a ameaça à segurança nacional dos cibercriminosos coreanos até o tráfico de drogas e tráfico de seres humanos, além do financiamento do terrorismo e todas as coisas que podem existir no universo cripto.”

No início deste mês, Brown pediu uma abordagem colaborativa entre diferentes órgãos governamentais no que se refere ao controle do setor cripto, dizendo em uma declaração que “atualmente as agências reguladoras não têm uma visão abrangente das atividades das entidades de criptoativos.”

Brown, que ocupa uma cadeira Democrata pelo estado de Ohio desde 2007, não é a única figura importante no governo dos EUA que está apoiando veementemente uma regulamentação mais rígida do setor cripto.

Publicidade

A senadora Elizabeth Warren revelou um novo projeto de Lei que regulamenta as criptomoedas no início deste mês, apelidado de Lei de Combate à Lavagem de Dinheiro por Ativos Digitais (em tradução livre).

O projeto de Lei de Warren visa forçar os provedores de criptoativos a oferecer demonstrações financeiras auditadas e impor requisitos de capital de padrão bancário mais alinhados com o que se espera das instituições financeiras tradicionais. A lei também daria à SEC maiores poderes para regular essa classe de ativos. 

Setor de criptomoedas e offshore

Ao contrário da declaração de Brown, o futuro regulatório incerto nos EUA já está impulsionando a indústria cripto no exterior.

Brian Armstrong, o CEO da Coinbase, enfatizou em um tweet que “a FTX.com era uma exchange offshore não regulamentada pela SEC.”

Armstrong continuou e afirmou: “O problema é que a SEC não conseguiu criar clareza regulatória aqui nos EUA, muitos investidores americanos (e 95% da atividade comercial) foram para o exterior”, acrescentando que punir “as empresas americanas por isso não faz sentido.”

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem robótica surge em sala escura de informática

IA de Elon Musk tem a segurança mais fraca, enquanto chat da Meta se destaca, diz pesquisa

Pesquisadores usaram uma abordagem de manipulação lógica linguística para perguntar ao Grok como seduzir uma criança
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Segregação patrimonial no mercado cripto será tema de audiência pública na Câmara

Na justificativa para a audiência, o deputado Aureo Ribeiro disse que práticas adotadas por algumas exchanges despertam “graves preocupações”
Celular com logotipo da BInance

Binance lista 6 novos pares de negociação com USDC e lira turca

A corretora também vai incluir os novos pares em seu serviço de robôs de negociação (trading bots)
Imagem da matéria: Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

O Bitcoin começou o dia cotado a US$ 71 mil; agora, seu preço desaba para a US$ 66 mil