Joe Biden posa para foto
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Foto: Shutterstock)

Se você acompanha esta coluna de perto desde o início de 2022, provavelmente notou que, embora os preços das criptomoedas tenham sido tão voláteis como sempre, em termos gerais, eles não mudaram muito nos últimos meses.

Com uma capitalização de mercado de US$ 742 bilhões, o Bitcoin é claramente o líder de mercado e, muitas vezes, você pode medir a temperatura do mercado global de criptomoedas simplesmente observando o desempenho do Bitcoin. E enquanto toda semana apresenta novos sinais de integração constante da criptomoeda nos principais mercados, o Bitcoin ainda não saiu da faixa de US$ 40 mil em 2022.

Publicidade

A criptomoeda favorita do mundo atualmente é negociada em cerca de US$ 39 mil – crescimento insignificante nos últimos sete dias. O principal rival Ethereum caiu 2,5% esta semana, sendo negociado a US$ 2.582 no momento em que este artigo foi escrito.

Em uma semana em que poucos preços mudaram drasticamente, duas moedas tiveram ganhos modestos: A Terra (LUNA) subiu 5,8%, para US$ 89,86, enquanto o Polkadot (DOT) saltou 6,6%, para US$ 18,18.

No outro extremo desse espectro, Solana caiu 8,3% esta semana, para US$ 81,48 no momento da redação, e Cosmos caiu 8,7%, para US$ 27,42.

As novidades da semana

Na segunda-feira, surgiram notícias de que os reguladores do Chipre – uma nação da União Europeia, apesar de sua geografia – aprovou o lançamento da FTX Europe, agora a segunda afiliada da popular exchange FTX após o lançamento da FTX US em maio de 2019. Um porta-voz da FTX confirmou ao Decrypt que a exchange também começará em breve a atender o Oriente Médio.

Publicidade

Algumas semanas atrás, a União Europeia adicionou uma disposição pedindo a proibição da mineração de criptomoedas com uso intensivo de energia e prova de trabalho (PoW) a um conjunto de projetos de regulamentos. A votação da legislação foi adiada devido a preocupações de que o projeto de pacote “pode ser mal interpretado como uma proibição de fato do Bitcoin”, de acordo com Stefan Berger, presidente do Comitê de Economia do Parlamento Europeu.

O texto em questão foi reformulado para esclarecer que os regulamentos não são inequivocamente uma proibição do Bitcoin, e a votação está programada para acontecer nesta segunda-feira (14).

Nos Estados Unidos, a peça central do ciclo de notícias sobre criptomoedas nesta semana foi o presidente Joe Biden. O presidente norte-americano assinou uma ordem executiva que estabelece uma estratégia para a regulamentação de criptomoedas. Na centro do debate está a necessidade de proteger “consumidores, investidores e empresas nos Estados Unidos”. Provavelmente, nem é preciso dizer que as preocupações com a segurança nacional também se enquadram diretamente em sua competência.

A ordem executiva não introduz nenhuma legislação específica, em vez disso, convoca as agências existentes – a FTC, SEC e CFTC – para coordenar os esforços de regulamentação.

Publicidade

Também requer que várias autoridades importantes – como a Agência de Proteção Ambiental – enviem um relatório ao presidente que examinará o “potencial dessas tecnologias para impedir ou avançar nos esforços para combater as mudanças climáticas em casa e no exterior”.

As reações ao anúncio de Biden variaram. Por um lado, cresceu otimismo de que em breve haverá clareza nas regulamentações e medidas de conformidade. Por outro, o cinismo de que o pedido se concentrou demais nas moedas digitais do banco central (CBDCs), que muitos consideram antitético ao ethos fundador da cripto de descentralização.

A Coreia do Sul elegeu na quarta-feira um novo presidente, Yoon Suk-yeol, que é amigo das criptomoedas e prometeu revisar o que considera regulamentos “irracionais”. O presidente eleito descreveu sua abordagem política ideal como “um sistema de regulação negativa” que garantirá que a indústria de criptomoedas “não tenha preocupações”.

Na quinta-feira, a Warner Bros. anunciou que estava colaborando com a empresa de cartas e jogos de tabuleiro Cartamundi para criar mais de 6 milhões de cards físicos inspirados na DC Comics que virão com NFTs resgatáveis. Os cartões devem sair ainda este mês.

Nesse mesmo dia, a gigante global de pagamentos Stripe começou a oferecer aos clientes a capacidade de usar o aplicativo como método de pagamento para transações de criptomoedas e NFT.

Publicidade

A Stripe também lançou sua própria coleção NFT chamada Cube Thingies. Os rendimentos dos NFTs vão para a Watsi, organização sem fins lucrativos de saúde. Em um anúncio separado, a empresa disse que escolheu FTX, FTX US, Nifty Gateway, Just Mining e Blockchain.com para seu pivô Web3 este ano.

Finalmente, as empresas americanas ainda não estão conseguindo obter a aprovação da SEC para um ETF spot de Bitcoin. Na quinta-feira, a agência federal recusou os pedidos da gestora de investimentos NYDIG e do provedor de ETF Global X.

*Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin empilhadas em formato de torre

Alta do Bitcoin vai além de Trump e fundamentos mostram possível forte recuperação, diz analista

Beto Fernandes, analista da Foxbit, afirma que os próprios fundamentos do Bitcoin explicam a valorização e ressalta relação oferta e demanda
Imagem da matéria: Memecoins inspiradas em Trump saltam após decisão da Suprema Corte dos EUA

Memecoins inspiradas em Trump saltam após decisão da Suprema Corte dos EUA

Suprema Corte decidiu que Trump não pode ser processado e julgado por atos que cometeu enquanto era presidente dos EUA
Lionel Messi jogador de futebol durante partida pela seleção da Argentina

Tokens da Argentina e Espanha despencam mais de 20% após títulos; entenda por quê

Tokens oficiais das seleções da Argentina e Espanha caíram entre 22% e 25% após as vitórias de domingo
Carteira de couro aberta mostra várias criptomoedas físicas

As 9 criptomoedas que podem disparar em julho

Analistas ouvidos pelo Portal do Bitcoin indicam quais criptomoedas têm potencial de alta para o mês de julho