SBF da FTX no Congresso dos EUA
Criador da FTX, Sam Bankman-Fried no Congresso dos EUA (Foto: Reprodução)

A Forbes divulgou na terça-feira (28) sua lista anual 30 Under 30, um compilado dos mais brilhantes empreendedores de 30 anos ou menos que têm revolucionado o mundo dos negócios. Uma novidade deste ano foi a publicação no dia seguinte de um “Hall da Vergonha” (Hall of Shame), composto por personalidades que a Forbes destacou no passado, mas que só decepcionaram.

“Muitos ex-alunos com menos de 30 anos tornaram-se titãs da tecnologia, CEOs e até bilionários. Alguns acabaram sendo um fracasso, ou muito pior”, escreveu.

Publicidade

A Forbes relembrou várias personalidades controversas listadas no passado e que viraram caso de polícia, como Sam Bankman-Fried, ex-CEO da falida corretora de criptomoedas FTX, que apareceu na lista em 2021.

Sam Bankman-Fried

Principal destaque da “lista da vergonha”, SBF está sob custódia do sistema prisional e prestes a ser condenado nos EUA. Ele foi o responsável por uma das maiores fraudes no mundo das criptomoedas, conforme concluiu a justiça americana no início deste mês.

SBF usou os fundos de clientes para tanto para seu próprio luxo quanto para fraudes através da empresa de negociação Alameda Research, através de uma apropriação indébita de US$ 10 bilhões.

Quando debutou na 30 Under 30 da Forbes em 2021, aos 29 anos, o americano tinha um patrimônio líquido estimado em mais de US$ 26 bilhões. Agora, ele corre o risco de enfrenta até 110 anos de prisão, com a sentença final saindo em março do ano que vem.

Publicidade

Caroline Ellison

Caroline Ellison, que comandava a Alameda Research, braço de investimentos da FTX, apareceu na 30 Under 30 em 2022 pela área de finanças. Ex-namorada de SBF, a americana se declarou culpada de fraude eletrônica e conspiração por transferir bilhões em fundos de clientes da FTX para cobrir perdas na Alameda.

Por sua participação no esquema, ela também enfrenta uma pena máxima de 110 anos, mas provavelmente receberá uma punição mais leve graças à sua cooperação no processo.

Martin Shkreli

Outro destaque na lista dos empresários infelizes da Forbes é o nova-iorquino Martin Shkreli, que ficou conhecido como “Pharma Bro”, com duas condenações dos EUA. Shkreli apareceu na lista 30 Under 30 da Forbes em 2013, relembra o site.

Ele alcançou notoriedade depois de aumentar o preço de um medicamento usado para tratar infecções parasitárias de US$ 17,50 para US$ 750. Em 2017, Shkreli foi condenado a quatro anos de prisão por deturpar informações financeiras e tentar manipular ações.

Publicidade

Quando veio a notícia que SBF havia sido julgado culpado de todas as sete acusações que pesavam sobre ele, do presídio, Shkreli enviou suas condolências: “Sinto-me mal por ele”, escreveu. “Não há vitória para ninguém aqui.”

Lucas Duplan 

Lucas Duplan fundou a empresa fintech Clinkle, que arrecadou US$ 30 milhões em sua rodada inicial de empresas como Peter Thiel e Andreessen Horowitz.

O plano de Duplan para pagamentos móveis nunca produziu um produto viável, os funcionários pediram demissão e os investidores exigiram seu dinheiro de volta.

Cody Wilson

Ativista dos direitos das armas, Cody Wilson também faz parte da lista da vergonha. Enquanto estudante de direito, ele ficou famoso por postar projetos online que permitiam a qualquer pessoa imprimir em 3D uma arma funcional.

Em 2019, ele foi fichado como agressor sexual depois de pagar US$ 500 para fazer sexo com uma garota de 16 anos.

Publicidade

Steph Korey

A lista da vergonha traz também o nome de Steph Korey, cofundadora da Away, uma empresa de malas, onde ela envergonhou o campo de administradores ao intimidar colegas de trabalho e implementou uma carga de trabalho severa.

Outros destaques da lista são James O’Keefe, fundador do Project Veritas acusado de utilizar indevidamente fundos de doadores para fins pessoais, e Phadria Prendergast, editora-chefe da revista Women Of The City, que foi acusada de violações éticas de jornalismo.

Cripto segue forte na lista 30 Under 30

Embora o número de personalidades do mundo das criptomoedas tenha caído neste ano, a Forbes não se esquivou de homenagear 14 profissionais da área de blockchain na lista 30 Under 30.

A edição deste ano traz o cofundador da Chipper Cash, Ham Serunjogi, liderando a lista. Os nomes de maior destaque na lista de finanças deste ano incluem também o especialista em ativos digitais da BlackRock, Maxwell Stein, o cofundador e CTO da MoonPay, Victor Faramond, o fundador do Uniswap Labs, Hayden Adams, e a diretora da The Graph Foundation, Eva Beylin.

You May Also Like
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) supera US$ 59 mil e Câmara aprova regime de urgência para votar PL que segrega cripto

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) supera US$ 59 mil e Câmara aprova regime de urgência para votar PL que segrega cripto

Forte demanda de investidores por ETFs sinaliza maior confiança no mercado: Índice de Medo e Ganância atingiu 82
Imagem da matéria: Gemini vai devolver US$ 1,1 bilhão para clientes do programa Earn

Gemini vai devolver US$ 1,1 bilhão para clientes do programa Earn

A Gemini se encaminha para fazer a devolução total das criptomoedas dos participantes do programa Earn — incluindo ganhos de mercado
Imagem mostra mix de moeda de bitcoin, formulário de imposto e bandeira dos EUA

Receita Federal dos EUA contrata ex-executivo da Binance para fiscalizar traders de criptomoedas

A contratação do executivo se soma aos esforços do IRS na fiscalização da área de ativos digitais
Imagem da matéria: Caixa vai testar uso de Drex para pagamentos do Bolsa Família em abril

Caixa vai testar uso de Drex para pagamentos do Bolsa Família em abril

Nos próximos meses, a Caixa Econômica vai começar a testar o uso do real digital como forma de pagamento do Bolsa Família