Imagem da matéria: Saída de CZ da Binance marca uma nova era para o mercado de criptomoedas | Opinião
Changpeng “CZ” Zhao, CEO da Binance (Foto: Decrypt)

No dia 21 de novembro, Changpeng “CZ” Zhao deixou seu cargo de CEO da Binance. Desde julho de 2017, quando a exchange foi oficialmente lançada, Zhao exercia o cargo de diretor executivo da empresa.

Não foi, porém, uma saída facultativa. Binance e Zhao são alvos do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) pela suposta prática dos crimes de evasão de sanções, lavagem de dinheiro e intermediação de transferências monetárias sem licença.

Publicidade

O DoJ ofereceu um acordo de US$ 4,3 bilhões para interromper as investigações, e CZ deveria se declarar culpado em uma das acusações. Para a Binance, contar com um diretor executivo admitidamente culpado por uma conduta criminosa seria um duro baque, e a única solução foi a saída de Zhao.

O que se extrai de curioso desse episódio é que nenhum dos acontecimentos impactou duramente o mercado de criptomoedas. Os preços das criptomoedas, inclusive, passaram por valorizações horas após a notícia da saída de CZ do cargo de CEO da Binance.

É possível, então, que os investidores já tenham entendido que esse acontecimento marca uma nova era do mercado de criptomoedas. E uma nova era promissora.

Entrada dos institucionais e a nova era

Para entender esse novo momento de criptomoedas, é preciso olhar para a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC). Na mesa do regulador, 11 pedidos sobre ETFs ligados ao preço de varejo do Bitcoin (BTC) aguardam aprovação.

Publicidade

Apesar das tentativas de aprovar um ETF de Bitcoin nos EUA desde 2013, a SEC sempre negou os pedidos, alegando que a aprovação facilitaria uma suposta manipulação do mercado. Por isso, o país conta apenas com ETFs ligados aos preços dos contratos futuros de BTC.

Em junho deste ano, contudo, a BlackRock enviou um pedido ao regulador, manifestando sua vontade de lançar um ETF de Bitcoin. Trata-se da maior gestora do mundo, com quase US$ 8,6 trilhões de ativos sob gestão. Não demorou para que outros pedidos fossem encaminhados na sequência.

A expectativa, de acordo com Eric Balchunas e James Seyffart, ambos analistas de ETF da Bloomberg, é que os pedidos sejam aprovados no primeiro trimestre de 2024. A aprovação é vista como a principal abertura do mercado de Bitcoin para os investidores institucionais. E essa é a nova era.

Nesse novo período, os reguladores estadunidenses não podem mandar a mensagem errada para as instituições financeiras tradicionais que pretendem entrar no mercado. A saída forçada de CZ da Binance é, então, uma mensagem às instituições tradicionais que o mercado cripto está sendo observado. E, às empresas do mercado cripto, uma mensagem de que andar fora da linha não será mais tolerado.

Publicidade

O que isso muda?

Para as empresas que sempre procuraram se enquadrar, gostando disso ou não, dentro das regras, essa nova fase do mercado é bastante positiva. Andar nas zonas cinzas que a legislação deixa em aberto é tentador, pois gera margens de lucros maiores e abre possibilidades para novos produtos.

Quando a conta chega, no entanto, ela sempre vem alta. Agora, as plataformas do mercado cripto que focam no bem estar de seus usuários terão incentivos para lançar produtos, com a certeza de que não haverão concorrentes pegando atalhos.

Isso serve tanto para as empresas que já existem quanto para os players tradicionais que observam o mercado cripto de longe, mas ainda não tinham confiança para se arriscar. É provável que mais capital, novos produtos e novos investidores adentrem o mercado cripto a partir de agora.

E isso vale para o mundo todo, principalmente para o Brasil. Com o Banco Central prestes a emitir as normas que conduzirão o mercado de criptoativos local, focadas em inovação e acolhimento, a segurança para as empresas do setor aumentará. E isso não passará despercebido.

Uma nova era, onde o Bitcoin será cada vez mais presente nas plataformas financeiras, chegando em camadas cada vez mais profundas da sociedade, se aproxima.

Publicidade

Sobre o autor

Luiz Parreira é fundador e CEO da startup Bipa.

You May Also Like
Imagem da matéria: Michael Saylor não está vendendo: "A MicroStrategy tem uma estratégia alavancada para o Bitcoin"

Michael Saylor não está vendendo: “A MicroStrategy tem uma estratégia alavancada para o Bitcoin”

O cofundador da MicroStrategy destaca a atração dos ETFs de Bitcoin por fundos institucionais, sinalizando uma mudança significativa nos investimentos de capital
Imagem da matéria: Carteira Recomendada do MB Research indica Bitcoin como principal ativo do mês

Carteira Recomendada do MB Research indica Bitcoin como principal ativo do mês

Para a Carteira Conservadora, os analistas do MB Research dividiram 70% em Bitcoin, 23% em Ethereum e 7% em Solana.
Imagem da matéria: Bitcoin quebra a resistência dos $50K, sinalizando possível início da Bull Run, enquanto a Pullix se prepara para lançamento em breve

Bitcoin quebra a resistência dos $50K, sinalizando possível início da Bull Run, enquanto a Pullix se prepara para lançamento em breve

Impulso positivo no mundo das criptomoedas também está preparando o terreno para o lançamento iminente da Pullix (PLX)
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Gustavo Scarpa comenta processo contra Willian Bigode: “Favorável”

O jogador que investiu cerca de R$ 6 milhões em um suposto negócio de criptomoedas do ex-companheiro de clube acredita que será ressarcido