Imagem da matéria: Ronaldinho Gaúcho vira garoto-propaganda de corretora brasileira que tem parceria com Ripple
(Foto: Shutterstock)

A Frente Corretora de Câmbio contratou o ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho para ser garoto-propaganda de uma plataforma baseada em tecnologia blockchain. Segundo a empresa, o objetivo é aumentar a visibilidade da instituição junto à comunidade de brasileiros no exterior.

Conforme publicou a corretora, Ronaldinho foi contratado para representar exclusivamente o novo produto da companhia chamado ‘Simple’.

Publicidade

Trata-se de uma plataforma de remessas expressas e compra de papel-moeda baseada em tecnologia blockchain, criada em parceria com a Ripple.

“O carisma do craque, associado à sua grande notoriedade internacional e volume de seguidores, completam as razões desta união”, escreveu em nota a corretora.

Sergio Sabino, diretor de marketing da Frente, reforçou ao citar que alguns atributos de Ronaldinho tem tudo a ver com o novo produto: “A simplicidade dele fora de campo e a objetividade dele em campo”.

A Frente Corretora de Câmbio possui escritórios em várias cidades do Brasil. Dentre elas, São Paulo, onde fica a sede, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, entre outras.

Ronaldinho e os negócios

A últimas empresas relacionadas ao setor financeiro que Ronaldinho havia promovido não tiveram um bom desfecho. Após indícios de pirâmide financeira na 18K Ronaldinho, em nota, o Ministério Público de São Paulo (MPE) se manifestou:

Publicidade

“Este é um procedimento pré-investigatório, com a finalidade de apenas colher informações preliminares e deliberar sobre uma eventual instauração de procedimento investigatório”.

No mês passado, o ex-craque da Seleção depôs, como testemunha, no MPE, na cidade de Barueri.

O órgão havia recebido uma denúncia de prática de pirâmide e a empresa passou a ser investigada por oferecer rendimentos de até 2% ao dia.

Em julho, Comissão de Valores Mobiliários (CVM) mandou suspender as atividades de Forex da LBLV, empresa que também tinha como garoto-propaganda o ex-jogador.

O órgão regulador emitiu um alerta após verificar que a LBLV estaria promovendo captação irregular de clientes para operações no mercado Forex, que é proibido no Brasil.

Publicidade

No final do mesmo mês, uma reportagem da Folha revelou que a Justiça do Rio Grande do Sul havia bloqueado dezenas de imóveis no nome de Ronaldinho. O motivo teria sido um acúmulo de dívidas referentes a multas e impostos.

O processo, portanto, acabou afetando a locomobilidade do ex-jogador, pois a Justiça reteve seu passaporte.

O documento acabou sendo liberado em setembro após um acordo dele e de seu irmão, Assis, com o MP.

Embaixador do Turismo

No início de setembro, Ronaldinho virou embaixador do turismo no Brasil após ser nomeado pela autarquia especial do Ministério do Turismo, a Embratur.

O objetivo é que o ex-jogador divulgue o Brasil e suas belezas nas redes sociais. Só no Instagram, Ronaldinho Gaúcho possui cerca de 50 milhões de seguidores.


BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns