Imagem da matéria: Reino Unido bane derivativos de criptomoedas após acusações sobre a BitMEX
Foto: Shutterstock

A Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA) proibiu a venda de derivados de criptomoedas para clientes de varejo. A proibição entrará em vigor em 6 de janeiro de 2021.

A FCA considera esses produtos “inadequados” para clientes de varejo por vários motivos. Isso inclui a ausência de avaliações confiáveis, a prevalência de crimes financeiros entre esses produtos, extrema volatilidade de preços, bem como a falta de compreensão dos criptoativos por parte dos clientes de varejo e a ausência de razões legítimas para os clientes de varejo investirem nesses ativos.

Publicidade

“A volatilidade de preços significativa, combinada com as dificuldades inerentes de avaliar criptoativos de maneira confiável, coloca os consumidores de varejo em alto risco de sofrer perdas ao negociar derivativos. Temos evidências de que isso está acontecendo em uma escala significativa”, disse Sheldon Mills, diretor executivo interino de estratégia e competição da FCA.

Para se proteger contra esses danos, a FCA proibiu a venda, comercialização e distribuição desses produtos. A proibição é relevante para todas as empresas que atuam no Reino Unido ou a partir dele. “Essa proibição reflete a seriedade com que vemos o dano potencial para os consumidores de varejo nesses produtos. A proteção do consumidor é fundamental aqui”, acrescentou Mills.

Este anúncio foi feito menos de uma semana depois que a CFTC acusou a BitMEX de operar uma plataforma de negociação não registrada e de não implementar os procedimentos de lavagem de dinheiro adequados. Ao mesmo tempo, o departamento de justiça moveu ações criminais contra os proprietários da bolsa Arthur Hayes, Ben Delo e Samuel Reed, e prendeu seu CTO.

Desde que as acusações foram anunciadas, mais de US$ 400 milhões em Bitcoin foram retirados da troca de criptografia baseada em Seychelles.

Publicidade

As bolsas de derivados de criptomoedas no Reino Unido há muito se opõem que a FCA tome esse caminho. Em 23 de setembro de 2019, a bolsa Coinshares, sediada no Reino Unido, emitiu uma carta que se opôs publicamente a qualquer decisão da FCA de proibir a venda de derivados de criptomoeda para clientes de varejo.

Em contraste, a FCA estima que os clientes de varejo economizarão cerca de £ 53 milhões (R$ 360 milhões) por conta dessa proibição.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”