Imagem da matéria: Quais são os países mais ameaçam o sistema financeiro mundial, segundo o GAFI
Foto: Shutterstock

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou na quinta-feira (18) uma lista com os países que mais ameaçam o sistema financeiro mundial. O relatório, que trata sobre jurisdições que possuem deficiências estratégicas na prevenção de crimes financeiros, foi elaborado pelo Grupo de Ação Financeira contra Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo (GAFI/FATF).

Segundo publicação da autarquia no início deste mês, a medida, que é acompanhada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), permite que os participantes do mercado tenham acesso a subsídios atualizados no “indispensável e constante” processo de racionalização e monitoramento das suas operações e dos seus clientes. 

Publicidade

As jurisdições listadas pelo Gafi possuem deficiências significativas em seus regimes de combate à lavagem de dinheiro, ao financiamento do terrorismo e ao financiamento da proliferação de armas de destruição em massa. Quando isso ocorre, o Gafi convoca seus membros e indica às jurisdições que apliquem medidas de devida diligência reforçada.

Os países que estão sob monitoramento intensificado no momento são:

  • Albânia;
  • Barbados;
  • Botswana;
  • Burkina Faso;
  • Camboja;
  • Ilhas Cayman;
  • Gana;
  • Jamaica;
  • Ilhas Mauricio;
  • Marrocos;
  • Myanmar;
  • Nicarágua;
  • Paquistão;
  • Panamá;
  • Senegal;
  • Síria;
  • Uganda;
  • Iêmen;
  • Zimbábue. 

“O Gafi exorta essas jurisdições a concluírem a implantação de seus planos de ação de forma eficiente e dentro dos prazos propostos”, diz o relatório.

Ainda de acordo com a CVM, divulgação da lista é parte da articulação que Núcleo de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo da Superintendência Geral (SGE) tem com o Gafi, assim como as Superintendências de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) e de Relações com Investidores Institucionais (SIN).

Gafi e criptomoedas

Em junho de 2019, o Gafi introduziu os primeiros padrões globais para lidar com os riscos de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo com criptomoedas. No mês seguinte,  passou a considerar ainda mais as ações criminosas que envolviam o mercado.

Publicidade

Na época — em que a criptomoeda Libra do Facebook já era discutida no mundo todo —  o secretário-executivo do Gafi para a América Latina (Gafilat), Marconi Costa Melo, disse que uma das principais preocupações é sobre o anonimato das transações.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos