Imagem da matéria: Procuradora conta detalhes da apreensão de mais de R$ 200 milhões em criptoativos no caso da GAS Consultoria
Procuradora Ana Batti conta detalhes da operação contra a GAS em evento (Foto: Fernando Martines/Portal do Bitcoin)

A procuradora da Fazenda Nacional, Ana Batti, relembrou os bastidores da apreensão de criptoativos durante a operação da Polícia Federal que prendeu Glaidson Acácio dos Santos, o Faraó do Bitcoin, e criador da GAS Consultoria.

O relato foi feito por Batti neste sábado (10), durante painel de debates no Bitsampa, que ocorre na cidade de São Paulo durante todo o final de semana. O Faraó foi preso em agosto de 2021 e continua em cárcere, agora respondendo também por homicídio. 

Publicidade

“Me ligaram às cinco horas da tarde do dia anterior e falaram: ‘Ana, vamos deflagrar a operação amanhã, não deu tempo de você vir para o Rio de Janeiro, então infelizmente vamos deixar a parte cripto para outro momento’. Eu disse que não, que a parte cripto pode ser recuperada de qualquer lugar, eu não preciso ir para o Rio de Janeiro”, afirma. 

A procuradora conta que criou uma conta em uma corretora ainda naquela tarde e que sua estratégia era transferir todos os valores para o seu CPF pessoal e depois para o Ministério Público Federal, que naquele momento não tinha uma carteira de criptomoedas para receber a apreensão. 

“Abri a conta rapidinho, fizemos para várias carteiras. E a blockchain permite auditoria: qualquer pessoa pegar a carteira que fizemos a apreensão e verificar que de fato naquela carteira só tinham aqueles criptoativos que a gente apreendeu”, disse. Batti até brincou que disse aos colegas que naquele ano iria “se lascar com a Receita”. 

A servidora montou um mini centro de operações em seu gabinete e passou a dar suporte de forma remota para a operação que ocorria no estado do Rio de Janeiro. Chegou às cinco da manhã e logo o trabalhou começou a dar frutos. 

Publicidade

“Achamos 78 milhões de reais em uma carteira, minha mão tremia. Transferi para a conta que a gente tinha criado. Perguntou se eu queria pagar uma taxa mais alta para confirmar a transação mais rápido e eu confirmei”, relembra. 

Passadas mais algumas horas, o montante apreendido em criptoativos naquele momento era na ordem de R$ 200 milhões. 

“Liguei para todo mundo da Polícia Federal ir para o meu gabinete. A gente fez a maior apreensão de cripto da história do Brasil”. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
Imagem da matéria: Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

O usuário foi atingido por fogos de artifício em uma live de divulgação do seu token
Imagem da matéria: Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

O executivo Leo Kahn destacou no Ethereum Rio 2024 que apesar dos custos, indústria cripto deve incentivar ao máximo a descentralização
Imagem da matéria: Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Se a SEC aprovar os pedidos de ETF de Ethereum nesta quinta-feira, enviará um sinal positivo que pode levar o ativo a disparar, assim como ocorreu com o Bitcoin em janeiro