Imagem da matéria: Pool de mineração que criticava NFTs no Bitcoin cede à pressão e passa a incluir Ordinals nos blocos
Foto: Shutterstock

Luke Dashjr, um importante desenvolvedor do Bitcoin Core e crítico dos Ordinals, pode ter mudado de opinião sobre os ativos do tipo NFT. Ou, no mínimo, sua empresa está indo além de sua própria posição de linha dura em relação ao formato.

Na quinta-feira (21), a Ocean Mining, empresa por trás do pool de mineração com o mesmo nome, disse que os mineradores agora podem decidir se querem processar blocos de Bitcoin que contenham transações não financeiras. Anteriormente, o pool proibia essas atividades.

Publicidade

Embora o anúncio não os tenha mencionado expressamente, muitos usuários de Bitcoin especulam que o “spam” mencionado pela Ocean em seu anúncio se refere às inscrições Ordinals extremamente populares que inundaram a rede do Bitcoin em 2023.

Inicialmente lançadas pelo colega desenvolvedor do Bitcoin Core, Casey Rodarmor, em janeiro, as inscrições Ordinals — semelhantes aos NFTs — são ativos digitais inscritos em um satoshi, a menor denominação de um Bitcoin. Elas têm sido controversas entre alguns usuários de Bitcoin, mesmo quando geram taxas imensas para os mineradores.

“Um Bitcoin descentralizado é um Bitcoin em que os mineradores decidem o que vai para os blocos, e não os pools”, disse a Ocean no Twitter. “O objetivo final da Ocean é tornar isso uma realidade e, hoje, damos mais um passo em direção à nossa visão de construção descentralizada de modelos de blocos.”

A Ocean, que recentemente levantou US$ 6,2 milhões em uma rodada de investimentos liderada pelo cofundador do Twitter e da Block, Jack Dorsey, diz que oferecerá várias políticas de modelos de blocos para dar aos mineradores o controle sobre o que mineram.

Publicidade

Com a atualização, diz a Ocean, os mineradores podem escolher entre três opções de política de modelo de bloco: Ocean Recommended, que se concentra no que a empresa chama de transações financeiras “reais” com o mínimo de spam; Bitcoin Core com o filtro de spam “Ordisrespector”; e o Bitcoin Core não modificado, espelhando outros pools com menos transações financeiras, mas mais “spam” — ou seja, transações de Ordinals e tokens BRC-20.

“Feliz Natal”, disse Dashjr no Twitter, respondendo a um tweet que citava o apoiador dos Ordinals (e cofundador da Taproot Wizards), Udi Wertheimer, sobre a atualização.

Polêmica dos Ordinals continua

Enquanto alguns entusiastas dos Ordinals davam a volta de vitória, outros viam seu comentário menos como uma capitulação e mais como uma provocação desleal.

“É estranho que a Ocean afirme que os blocos com transações Ordinals incluídas têm as ‘menores’ transações financeiras”, disse o apresentador do podcast The Mining Pod, Will Foxley, ao Decrypt. “Uma olhada rápida em um explorador de blocos no último ano mostraria que os blocos com inscrições normalmente têm o maior número de taxas e, portanto, teriam o maior número de transações financeiras.”

Publicidade

“Isso é tão mesquinho”, tweetou o historiador pseudônimo da NFT e colecionador de Ordinals, Leonidas.

“Essa é a maneira de Luke Dashjr se curvar diante dos Ordinals e, ao mesmo tempo, preservar sua imagem”, disse Leonidas. “Com os Ordinals respondendo por 55% das transações de Bitcoin nos últimos sete dias e membros proeminentes da comunidade Bitcoin, como Adam Back, apoiando isso, não demos à Ocean outra escolha a não ser capitular e começar a minerar JPEGs.”

“Isso é provavelmente o mais próximo que chegaremos de ter Luke acenando a bandeira branca em sua campanha para censurar as transações dos Ordinals”, continuou ele. “Os JPEGs no Bitcoin vieram para ficar e todo o ecossistema dos Ordinals está comemorando neste momento.”

Desenvolvedor de longa data do Bitcoin Core e oponente declarado do Ordinals, Dashjr rotulou as inscrições como “spam” na blockchain do Bitcoin e sugeriu anteriormente que os desenvolvedores do Bitcoin implementassem uma “filtragem de spam” para bloquear as transações Ordinals.

“A mineração descentralizada é necessária para a saúde do Bitcoin a longo prazo e só pode ser mantida se os mineradores fizerem as partes inteligentes da mineração”, disse Dashjr. “Isso envolve a execução de Nós, a construção de modelos de blocos e a decisão independente de quais transações serão incluídas na blockchain.”

Embora os detratores reclamem que as inscrições dos Ordinals entopem a rede, mais de 50 milhões de inscrições foram feitas desde janeiro de 2023, incluindo inscrições vinculadas ao BRC-20, um padrão para tokens fungíveis cunhados na blockchain do Bitcoin. O BRC-20 levou a uma proliferação de memecoins criadas sobre o Bitcoin.

Publicidade

“Primeiro eles ignoram você, depois riem de você, depois brigam com você, depois você vence”, tweetou Wertheimer, repetindo a famosa citação que foi atribuída a Mahatma Gandhi e a outras figuras históricas.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

You May Also Like
Imagem da matéria: Bilionário mexicano critica governos e dá 4 motivos para comprar Bitcoin

Bilionário mexicano critica governos e dá 4 motivos para comprar Bitcoin

Ricardo Salinas, um dos homens mais ricos do México, acredita no potencial do Bitcoin em crescer no longo prazo, além de ser uma ótima opção para diversificação de carteira
Imagem da matéria: A semana no Cripto Twitter: o Bitcoin está tão forte que até Elizabeth Warren quer aproveitar

A semana no Cripto Twitter: o Bitcoin está tão forte que até Elizabeth Warren quer aproveitar

Com HODLers, investidores de ETFs e até ações relacionadas ao Bitcoin voando alto, é interessante o quanto as pessoas não se importam
Imagem da matéria: Bitcoin continua a subir enquanto US$ 147 milhões em posições vendidas são liquidadas

Bitcoin continua a subir enquanto US$ 147 milhões em posições vendidas são liquidadas

Quem apostou na queda do preço do Bitcoin está perdendo: mais de US$ 79 milhões em posições vendidas de BTC foram eliminadas
polícia civil do ceará apreende carros de luxo

Polícia apreende R$ 14 milhões em bens de grupo suspeito de golpe com criptomoedas; influencer é um dos alvos

Durante a operação “Restauração” na sexta-feira, agentes da Polícia Civil do Ceará sequestraram carros de luxo, imóveis, criptomoedas e outros bens