Imagem da matéria: Polícia apreende 522 bitcoins de grupo acusado de fraudar processos judiciais na Bahia
Foto: Shutterstock

O Ministério Público da Bahia comunicou na quinta-feira (30) que abriu denúncia contra cinco suspeitos de integrarem uma organização criminosa que fraudava processos judiciais. Os investigados foram presos durante a ‘Operação Inventário’, iniciada em setembro do ano passado.

Com um dos investigados foram encontrados 522 bitcoins, avaliados atualmente em cerca de R$ 140 milhões. A polícia apreendeu também mais de 120 cartões em nome de terceiros e empresas, computadores, celulares e HDs, diz a nota do MP.

Publicidade

O órgão pediu à Justiça a manutenção da prisão preventiva de parte do grupo, formada por Heliana Souza Gonçalves, Daniel Campos Carneiro Mehlem e Fábio Almeida. O MP solicitou também a condenação de Carlos Alberto Almeida de Aragão e Marco Aurélio Fortuna Dórea, além de bloqueio de bens de três dos acusados.

“Com base no levantamento dos alvarás fraudulentos, o MP pediu ainda a indisponibilidade de bens de Heliana, Daniel Campos e Fábio Almeida no valor de R$ 1 milhão, adquiridos como produto e proveito dos crimes”, descreveu a nota.

Operação Inventário

Segundo o MP, a ‘Operação Inventário’ ocorreu em duas fases, ambas nos meses de setembro de 2020 e 2021, após suspeita de fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário da Bahia. Conforme descreveu o órgão, a organização criminosa envolve advogados e serventuários, ou seja, o esquema teve a colaboração direta de prestadores de serviços do órgão baiano que falsificavam documentos.

Os acusados podem ser processados e condenados pela prática de crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude processual e uso de documento falso, conforme apurou os indícios o Gaeco — Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas.

Publicidade

A força-tarefa é formada por promotores de Justiça, além de servidores e policiais, e uma de suas principais frentes de atuação é investigar eventuais ações e relações de agentes públicos em organizações criminosas.

Ainda segundo a nota do MP-BA, a Operação Inventário foi efetivada por meio de esforço conjunto da Polícia Civil, através do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom); da Polícia Rodoviária Federal, por meio da Superintendência Regional na Bahia; e da Polícia Militar, por meio da Companhia Independente de Policiamento Especializado do Nordeste (CIPE – Nordeste).

VOCÊ PODE GOSTAR
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
Donald Trump ex-presidente dos EUA

Donald Trump recebe compradores de seus NFTs em jantar de luxo

O ex-presidente resolveu aproveitar o dia de folga do Tribunal de Nova York para receber os apoiadores no resort de luxo Mar-a-Lago
Nathalia Arcuri falando em evento

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria de conteúdo via blockchain

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria via blockchain e promovem educação financeira de criptoeconomia gratuita