homem em fundo escuro
Shutterstock

Um adolescente de 17 anos faturou US$ 150 mil após influenciar milhares de pessoas a comprar uma coleção de tokens não fungíveis (NFTs) que sequer existia, conforme revelou o The Block.

Conhecido na comunidade da Solana (SOL) como Mr. Iconic, o jovem golpista se passava por um artista digital e conseguiu atrair os olhares para a sua coleção “Iconic”, supostamente formada por 8 mil NFTs de ilustrações 3D de estatuetas.

Publicidade

Em um grupo do Discord, Mr. Iconic exibiu 14 obras de arte como modelo da coleção. Na quinta-feira (30), aconteceu a pré-venda de um primeiro lote de 2 mil NFTs, cada um valendo 0,5 SOL.

Assim que o site da pré-venda foi ao ar, os interessados logo começaram a comprar os NFTs e rapidamente a pré-venda se esgotou.

A surpresa chegou quando os compradores foram checar os NFTs que mintaram em suas carteiras. Ao invés de receberem a ilustração de estatuetas 3D como prometido, os usuários ganharam um conjunto aleatório de emojis, conforme mostra a imagem abaixo:

Usuários receberam conjuntos aleatórios de emojis ao invés da obra NFT. (Foto: Reprodução/Twitter)

Ao todo, o adolescente conseguiu faturar 1.000 SOL com a venda da sua falsa coleção de NFTs. A quantia de criptomoedas é equivalente a cerca de US$ 152 mil na atual cotação da Solana. Segundo o CoinMarketCap, a moeda é negociada a US$ 152, em alta de 10% no dia.

Publicidade

Após aplicar o rug pull (puxada de tapete) — golpe em que a equipe por trás de um projeto desaparece com o dinheiro dos investidores —  o adolescente fechou o grupo do Discord e desativou o seu perfil do Twitter @IconicsSol.

Alvo na comunidade Solana

O adolescente conseguiu enganar diversos investidores de NFTs da comunidade Solana, inclusive o popular perfil @SOLBigBrain. “Droga.. @IconicsSol acabou de puxar o tapete. Fez uma pré-venda de 2K a 0,5 e fugiu com 1000 SOL. Eu comprei um monte também porque a arte parecia boa. Lição aprendida”, escreveu.

O caso logo ganhou repercussão da comunidade que começou a notar uma série de bandeiras vermelhas que deixaram passar, como o fato da pré-venda não ter acontecido em um site conhecido e haver pouca informação disponível sobre o suposto artista por trás da coleção.  

“Brutal. Minha solidariedade a quem foi vítima aqui. Deveríamos ter um grupo de vigilância para fazer uma análise profunda em projetos e avaliar o risco”, sugeriu o usuário @gamingdotgeek.

Publicidade

Um grupo de usuários que perderam dinheiro no golpe se reuniu em um novo grupo do Discord para tentar recuperar as perdas. No canal, eles aconselham a comunidade a enviar queixas ao FBI para que o caso seja investigado.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: FBI intima participantes de evento de 2022 após roubo de dev do Bitcoin Core

FBI intima participantes de evento de 2022 após roubo de dev do Bitcoin Core

Dashjr, cofundador do pool de mineração Ocean, teve um montante de Bitcoin roubado que hoje vale mais de US$ 14 milhões
Imagem da matéria: Wormhole diz pagar mais de 999% na semana em staking de novo token

Wormhole diz pagar mais de 999% na semana em staking de novo token

Token W, lançado esta semana, está chamando atenção ao render mais de 999% em staking na plataforma Kamino
Imagem da matéria: Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Alto número de operações de spam estão fazendo com que a Solana fique mais lenta e que transações não sejam processadas
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

Polícia Civil de SP pede prisão de donos da Braiscompany e mais dois funcionários

Antônio Neto Ais já está preso na Argentina, enquanto Fabrícia Campos está em liberdade condicional