Imagem da matéria: Plataforma perde criptomoedas após cometer erro e acusar corretora
Foto: Shutterstock

A plataforma de criptomoedas RichQUACK foi ao Twitter em sua conta oficial, na quarta-feira (5), para acusar a corretora Hotbit de orquestrar um golpe no estilo “Rug Pull”, ao vender seus tokens, e de outros investidores.

A acusação foi compartilhada por grandes influenciadores e páginas de notícias, mas havia um “pequeno detalhe” que foi esclarecido posteriormente: nenhum golpe foi aplicado. Os acusadores apenas perderam um prazo de retirada que havia sido informado previamente pela Hotbit.

Publicidade

No dia 22 de maio, a Hotbit comunicou aos seus clientes, mediante múltiplos canais, que interrompeu as operações, dando abertura a um processo de falência. Na ocasião, a corretora instruiu seus usuários a retirarem “com urgência” seus fundos da plataforma até o dia 21 de junho.

Conforme comunicado, todas as criptomoedas que continuassem sob propriedade da empresa após esta data seriam liquidadas dentro do processo legal de falência. O prazo parece ter sido estendido, pois as vendas aconteceram apenas no início desta semana (4).

No entanto, nem mesmo a extensão da data limite foi suficiente para que investidores, como o dono da RichQUACK e seus seguidores, conseguissem proteger seus fundos investido na empresa em memecoins e outros ativos.

A página QUACKNews — responsável por atualizar os investidores do token $QUACK e usuários da plataforma RichQUACK — reproduziu a informação acusatória. Os proprietários deste criptoativo e de algumas memecoins foram os mais afetados pela liquidação judicial da corretora Hotbit. Segundo a BSC News, também em tom acusatório, RichQUACK perdeu cerca de US$ 100 milhões em ativos digitais com as liquidações.

Publicidade

Ao todo parecem ter sido liquidado de falência o equivalente em 4.000 BNB (~US$ 1 milhão) com a venda de uma memecoin na PancakeSwap; e cerca de outros US$ 500 mil em vendas na Uniswap de outra memecoin.

Hotbit havia comunicado falência

A exchange de criptomoedas Hotbit parou as operações no dia 22 de maio, citando uma série de questões e sugerindo que é improvável que as exchanges centralizadas sejam viáveis a longo prazo.

“Queremos agradecer e fazer uma reverência agora”, escreveu a equipe em uma publicação. “Ainda acreditamos em um futuro brilhante quanto à inovação no setor cripto e alguns de nós ainda lutaremos por isso.”

A plataforma, que afirma ter servido 5 milhões de usuários, disse que a decisão acontece devido à deterioração das condições operacionais, que foram pioradas após uma suspensão forçada por várias semanas em agosto do ano passado, quando um ex-funcionário foi colocado sob investigação

Publicidade

A Hotbit também disse que o rumo da indústria cripto deixa incerto o futuro das exchanges centralizadas. Com os colapsos da FTX e outras grandes instituições cripto, a indústria ficou com uma escolha entre regulamentação ou aumento da descentralização, disse a empresa.

“A equipe da Hotbit acredita que as exchanges centralizadas (CEX) estão se tornando cada vez mais complicadas, com negócios altamente complexos e interconectados que são difíceis de cumprir, seja para conformidade ou descentralização, e é improvável que atendam às tendências de longo prazo”, disse o post.

A empresa também apontou para outros problemas, incluindo altos riscos em certas criptomoedas e repetidos ataques de cibersegurança, o que tornou seu modelo de oferecer uma ampla gama de investimentos “insustentável.”

Seu fim ocorre no mesmo mês que a exchange centralizada Bittrex entrou com o pedido de recuperação judicial, dizendo que não era “economicamente viável” continuar a administrar o negócio no “atual ambiente regulatório e econômico dos EUA.”

VOCÊ PODE GOSTAR
Donald Trump é fotografado em comício nos EUA

Trump agora aceita doações em Bitcoin e cumpre promessa com relação às criptomoedas

Bitcoin, Ethereum, Dogecoin, Solana, Shuba Inu e XRP estão entre criptomoedas aceitas pela candidato Donald Trump 
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Bandeira da Argentina com moeda de Bitoin do lado

Argentina se reúne com autoridades de El Salvador para discutir adoção de Bitcoin

Há cerca de três anos, El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a incorporar o Bitcoin, junto com o dólar, como moeda oficial
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop