Imagem da matéria: Plataforma de criptomoedas que travou saques de clientes pede recuperação judicial
(Foto: Shutterstock)

Há mais de uma semana, a turbulenta credora de criptomoedas Hodlnaut travou o saque de usuários na plataforma. Nesta terça-feira (16), a empresa de Singapura entrou com um pedido de recuperação judicial.

A Hodlnaut é uma credora cripto que permite que usuários depositem criptomoedas, como bitcoin (BTC) e ether (ETH), e ganhem juros. É uma dentre as diversas credoras cripto a serem afetadas pela recente queda do mercado.

Publicidade

Acima de tudo, a solicitação, enviada oficialmente no dia 13 de agosto, evita que a empresa tenha de vender seus ativos para compensar o déficit em seu livro contábil.

“Pretendemos evitar uma liquidação forçada de nossos ativos, pois seria uma solução inviável que iria exigir que vendêssemos as criptomoedas de nossos usuários, como BTC, ETH e WBTC, a baixos preços atuais desses ativos”, segundo o anúncio.

O pedido também concede outras vantagens em seu caminho conturbado até a recuperação.

A primeira vantagem é que um terceiro independente irá substituir os diretores da Hodlnaut para gerenciar a empresa e supervisionar assuntos.

A empresa pediu que Chee Chong Tam, ex-parceiro da Deloitte no Sudoeste Asiático e atual diretor da Kairos Corporate Advisory, fosse o gestor judicial. Tam também é a escolha da Hodlnaut para gestor judicial interino enquanto os tribunais de Singapura revisam o pedido da empresa.

Publicidade

A segunda vantagem (talvez a mais importante) é que o pedido irá temporariamente pausar qualquer processo judicial aberto contra a empresa.

“Essa pausa nos fornecerá o fôlego para focar nossas iniciativas no plano de recuperação para reabilitar a empresa”, de acordo com o comunicado da empresa.

Em relação aos usuários afetados, o comunicado acrescentou: “embora a Hodlnaut esteja enfrentando uma difícil situação financeira no momento, nem todos os seus ativos se foram”.

Hodlnaut e a crise de liquidez cripto

Hodlnaut é uma das credoras cripto, incluindo Celsius, Voyager e BlockFi, que enfrentaram dificuldades financeiras após a queda do mercado de criptomoedas deste ano.

Publicidade

O pedido de recuperação do tipo “Chapter 11” da Celsius — para manter a empresa operando e pagar os credores ao longo do tempo — revelou que os passivos da credora superavam seus ativos em US$ 1,2 bilhão.

No dia 6 de julho, a Voyager também entrou com um pedido de recuperação judicial após ter suspendido saques de usuários cinco dias antes.

Em relação à BlockFi, Sam Bankman-Fried, o CEO da corretora cripto FTX, forneceu um pacote de resgate de US$ 250 milhões com planos de adquirir a credora com sede no estado americano de Nova Jersey.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Tether e Circle "imprimem" US$ 1,25 bilhão em stablecoins em um único dia

Tether e Circle “imprimem” US$ 1,25 bilhão em stablecoins em um único dia

Desde o início do ano já foram emitidos US$ 30 bilhões em stablecoins; aquecimento parece estar relacionado à expectativa pelos ETFs de Ethereum
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Os maiores tokens de jogos lançados em 2024 – até agora

O Notcoin aparece na lista dos maiores tokens de jogos deste ano, ao lado de Pixels, Portal, Saga e muito mais
tornado cash 1

Desenvolvedor do Tornado Cash é condenado a 5 anos de prisão por lavagem de dinheiro

“O Tornado Cash, em sua natureza e funcionamento, é uma ferramenta destinada a criminosos”, disse um dos juízes ao condenar Alexey Pertsev
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro