Imagem da matéria: Pesquisadores descobrem que ‘gato de energia’ minerou Bitcoin em universidade pública do Rio
Foto: Shutterstock

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram que a energia da instituição foi usada ilegalmente para minerar criptomoedas, principalmente Bitcoin e Monero.

De acordo o estudo, divulgado no ArXiv no início deste ano, entre janeiro e fevereiro de 2018 pessoas de dentro da universidade ou atacantes de fora instalaram nos computadores da instituição cryptojackings, que são malwares que infectam e controlam o uso de CPU e memória de máquinas para minerar criptomoedas.

Publicidade

No total, segundo a pesquisa, ocorreram 144 ataques no período analisado. Os pesquisadores responsáveis pelo trabalho – Felipe Ribas Coutinho, Victor Pires, Claudio Miceli e Daniel S. Menasche, todos da UFRJ – nomearam a investida virtual criminosa de ‘crypto-hotwire’. Hotwire, em inglês, se refere à prática de fazer ligações diretas na rede eletrônica para roubar energia – o famoso ‘gato’.

Motivação

A mineração ilegal de criptomoedas foi identificada por meio dos sistemas de segurança utilizados pela instituição de ensino superior.

“A proposta de estudo veio após descobrirmos anomalias no sistema e um computador minerando criptomoedas dentro de um laboratório. Depois percebemos que isso é muito comum em universidades lá fora, uma vez que elas têm um grande número de máquinas, largura de banda de Internet significativa e energia abundante, e resolvemos estudar para ver o que poderia ser feito”, disse Claudio Miceli, professor de engenharia de sistemas e computação da UFRJ e um dos autores do estudo.

No paper, Miceli e os outros pesquisadores também publicaram uma estimativa dos ganhos obtidos pelos mineradores ilegais e dos custos gerados para a instituição.

O lucro diário das máquinas onde foram encontrados os vírus – uma com processador Intel Pentium Dual Core, outra com Intel Core i3 e uma teceira com Intel Core i5 – foi pegueno: R$ 0,27, R$ 0,28 e R $ 5,61, respectivamente.

Publicidade

Os custos de energia para a universidade, no entanto, foram de R$ 61.69, R$ 117.50 e R$ 117.50 em cada equipamento, o que dá cerca de R$ 296 no período analisado. Depois dos ataque em 2018, disse Miceli, a instituição não identificou mais cryptojackings.

Cryptojacking

Os principais alvos de cryptojacking são dispositivos conectados à internet, como computadores e telefones celulares, bem como infraestruturas em nuvem, segundo a Agência da União Europeia para a Cibersegurança (ENISA, na sigla em inglês).

No ano de 2019, de acordo com a entidade, 64,1 milhões de ataques foram feitos, sendo 39% deles contra instituições japonesas e 20,8% contra grupos da Índia. Alguns dos mais conhecidos são ‘Jsecoin’, ‘XMRig’, ‘RubyMiner’, ‘Cryptoloot’, ‘Coinhive’ e ‘WannaMine’.

Em 2018, o Brasil foi o principal alvo de ataques do ‘Coinhive‘, segundo a CERTCC, autoridade iraniana que combate crimes cibernéticos.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Veja quem são as 22 pessoas mais ricas do setor de criptomoedas em 2024

Veja quem são as 22 pessoas mais ricas do setor de criptomoedas em 2024

Conheça as pessoas mais ricas do mercado cripto que apareceram na lista de bilionários da Forbes de 2024
Imagem da matéria: Grupo de bancos centrais lança projeto de tokenização para aprimorar sistema financeiro global

Grupo de bancos centrais lança projeto de tokenização para aprimorar sistema financeiro global

Projeto quer aproveitar contratos inteligentes e tokenização para acelerar os serviços que os bancos centrais oferecem às instituições financeiras globais
Imagem da matéria: Como saber o dia e hora que vai acontecer o halving do Bitcoin?

Como saber o dia e hora que vai acontecer o halving do Bitcoin?

O halving, que ocorre a cada 210 mil blocos do Bitcoin, está previsto para acontecer em abril, mas o momento exato segue mudando; entenda
Imagem da matéria: Dogwifhat (WIF) cai 15% em meio à fase de baixa das memecoins

Dogwifhat (WIF) cai 15% em meio à fase de baixa das memecoins

Dogwifhat (WIF) caiu dois dígitos durante a noite e continua a se distanciar de sua máxima histórica