Imagem da matéria: Patrocínios da Crypto.com podem atrair a SEC, mas risco vale a pena
Foto: (Divulgação/Twitter)

A Crypto.com pode não ser a maior exchange cripto em volume de negociação, mas é certamente uma das mais conhecidas.

Afinal, Lebron James joga em uma arena com o nome da empresa, e a exchange tem acordos de patrocínio com times como Philadelphia 76ers, e esportes globais como a Fórmula 1 e o UFC, entre outros.

Publicidade

Todos esses relacionamentos com grandes nomes provavelmente colocam um alvo nas costas da Crypto.com nos EUA, especialmente enquanto a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) continua sua repressão às criptomoedas. Mais recentemente, a agência informou ao Uniswap Labs, o desenvolvedor por trás de uma das exchanges cripto descentralizadas mais populares do mercado, que ela era alvo de um possível litígio.

No entanto, o presidente e COO da Crypto.com, Eric Anziani, disse ao Decrypt que qualquer atenção que os patrocinadores possam atrair vale a pena. “Ser conhecido nos EUA significa que você também é conhecido no resto do mundo”, disse ele durante uma entrevista no Parque Hyatt, no centro de Paris. “E, você sabe, isso traz um certo tipo de compensação… mas acho que é fundamental para cumprirmos nossa missão”.

Ao longo de cerca de meia hora, no lobby lotado de um hotel, Anziani também abordou a concorrência entre exchanges, memecoins e, claro, regulamentação.

Escrutínio da SEC — ou falta dele

Ao contrário de outras exchanges conhecidas, como a Coinbase e a Binance, a Crypto.com conseguiu evitar pelo menos a menção pública da SEC em uma ação judicial ou acordo. “Estabelecemos uma base muito sólida para o negócio na forma como operamos”, disse ele ao Decrypt. “E temos envolvimento com reguladores em todo o mundo, inclusive nos EUA”.

Publicidade

Ele disse que, como não existe uma regulamentação de criptoativos “adequada” nos EUA, a Crypto.com deve aderir às regras e regulamentos que regem as empresas que se situam diretamente no domínio das finanças tradicionais.

Mas ele estaria disposto a falar sobre qualquer litígio previsto ou em andamento com a SEC ou reguladores nos EUA? “Não tenho muito o que comentar”, disse o presidente da Crypto.com.

Memecoins, memecoins, memecoins

Dê uma olhada no feed do perfil X da Crypto.com e você verá postagens e mais postagens comemorando a listagem de tokens como Crob Mob, Degen ou Pepe. Para uma exchange que está tentando se estabelecer como uma instituição financeira legítima aos olhos dos reguladores, sua constante celebração de tokens semelhantes aos de cassino pode causar espanto.

“É uma nova maneira de as pessoas se expressarem”, disse ele sobre as memecoins. “E queremos estar lá para oferecer um pouco disso de maneira funcional aos nossos clientes.”

Publicidade

No entanto, Anziani enfatizou que, ao contrário de outras plataformas, a Crypto.com não está lucrando completamente com a mania das memecoins. “Somos sempre um pouco conservadores”, acrescentou ele, “e queremos ter certeza de que oferecemos coisas que fazem sentido para nossa comunidade”.

Competição entre exchanges

A FTX faliu, Changpeng Zhao da Binance está aguardando sentença e o Departamento de Justiça dos EUA acaba de acusar a KuCoin e seus dois fundadores de desrespeitarem as leis americanas de lavagem de dinheiro.

Em meio à repressão aos seus concorrentes e ao recente mercado de alta, a Crypto.com viu desde então seu volume de negociação na exchange aumentar de entre US$ 100 a US$ 200 milhões por dia em abril de 2023 para uma alta recente de quase US$ 3 bilhões no início de março, de acordo com dados do CoinGecko.

“Tivemos uma consolidação”, disse ele. “E nos beneficiamos disso porque fomos mais conservadores nas nossas práticas de gestão de risco e [nos envolvemos] com reguladores em todo o mundo.”

No entanto, Anziani não quer que apenas algumas exchanges tenham o domínio do mercado. “Ao mesmo tempo, ainda queremos que as pessoas possam inovar”, acrescentou. “E queremos que novas startups cheguem.”

Publicidade

Sem surpresa, o presidente da Crypto.com apontou para um espectro mais comum que inibe o crescimento das empresas de criptoativos: a falta de clareza regulatória. “Queremos apoiar essas startups para que possam crescer”, disse ele, “apesar do custo crescente de gestão de estruturas regulatórias”.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: El Salvador lança site de Bitcoin e revela quantas criptomoedas possui hoje; confira

El Salvador lança site de Bitcoin e revela quantas criptomoedas possui hoje; confira

Segundo os dados do mempool, El Salvador comprou 30 bitcoins no último mês
Vitalik Buterin criador do Ethereum

A proposta de taxas de gás de Vitalik Buterin tornará o Ethereum mais parecido com a Solana?

Vitalik propõe “taxas de gás multidimensionais” e afirma que é uma busca para um sistema mais personalizado e equitativo
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
pilhas de moedas douradas à frente da bandeira da Colômbia

Maior banco da Colômbia lança corretora de criptomoedas

A plataforma Wenia visa atrair pelo menos 60.000 clientes em seu primeiro ano de operação