Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil
Shutterstock

Fundos com exposição a criptomoedas registraram saída de US$ 126 milhões globalmente, segundo dados da CoinShares, marcando a primeira semana negativa do segmento desde o período entre 18 e 22 de março. Apesar disso, o Brasil segue registrando entradas de recursos.

“Os investidores estão aparentemente hesitantes, uma vez que a dinâmica positiva dos preços estagnou”, disse o chefe de pesquisa da CoinShares, James Butterfill. “Os volumes aumentaram um pouco, de US$ 17 bilhões para US$ 21 bilhões semana após semana, mas a atividade de ETP/ETF caiu em relação ao mercado geral, de 40% do volume total em exchanges confiáveis no último mês para 31% na semana passada, demonstrando essa cautela entre os investidores”.

Publicidade

Mesmo com a semana negativa, os fundos no Brasil tiveram entrada de US$ 3 milhões (cerca de R$ 15,5 milhões), mantendo o país no segundo lugar no ano, com US$ 118 milhões captados, atrás apenas dos Estados Unidos, que já tiveram a entrada de US$ 14,2 bilhões em 2024.

Na última semana, o Brasil também ficou em segundo lugar, atrás da Alemanha, que registrou um fluxo positivo de US$ 28,6 milhões, o que, segundo a CoinShares, foi reflexo da recente queda dos preços das criptomoedas, o que foi visto como uma oportunidade de compra pelos investidores locais.

Do lado negativo, os EUA tiveram a saída de US$ 145 milhões, seguidos por Canadá (US$ 6 milhões), Suíça (US$ 5,7 milhões) e Suécia (US$ 5,2 milhões).

Entre os fundos, o ETF da BlackRock, iShares, segue liderando, com a entrada de US$ 486 milhões na última semana, chegando a US$ 15,3 bilhões captados no ano até agora.

Publicidade

Já entre as perdas, o ETF da Grayscale segue sofrendo com fortes saída, desta vez de US$ 751 milhões. Em 2024, até o momento, já foram retirados US$ 16,2 bilhões do produto.

Entre as criptomoedas, o Bitcoin (BTC) registrou saídas de US$ 110 milhões, mas manteve suas entradas positivas no acumulado do mês de US$ 555 milhões. Já fundos com posições vendidas (short), ou seja, que apostam na queda do BTC, quebraram o período de 3 semanas de saídas, com entradas de US$ 1,7 milhão, provavelmente aproveitando a recente fraqueza dos preços.

O Ethereum (ETH), por sua vez, foi o que mais sofreu em termos relativos, com saídas de US$ 29 milhões na semana passada, marcando sua quinta semana negativa consecutiva.

Apesar da Solana (SOL) ter visto saídas de US$ 3,6 milhões na semana passada, as altcoins tiveram outra boa semana, com nomes como Decentraland, Basic Attention Token e LIDO com entradas de US$ 4,9 milhões, US$ 2,9 milhões e US$ 1,8 milhões, respectivamente.

VOCÊ PODE GOSTAR
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

Trader transforma R$ 2 mil em R$ 17 milhões graças ao triunfo da Pepecoin (PEPE)

Ao comprar a memecoin após o lançamento, o trader teve um ganho de 7.368x no investimento
Imagem da matéria: Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

O executivo Leo Kahn destacou no Ethereum Rio 2024 que apesar dos custos, indústria cripto deve incentivar ao máximo a descentralização
Sam Bankman-Fried da FTX falando em vídeo

Criador da FTX vai mudar de presídio nos Estados Unidos

Transferência de presídio pode durar até um mês nos EUA, com o detento sendo levado para várias penitenciárias até chegar ao destino final
Sheik das criptomoedas Francisley Valdevino

Sheik das Criptomoedas usou “Banco do Crime” para lavar R$ 600 mil da pirâmide Rental Coins

Autoridades apontam a Cash Back como um dos maiores esquemas de lavagem de dinheiro em São Paulo