Imagem da matéria: Pai e filho são condenados por usar bitcoin para lavar dinheiro de esquema de venda de maconha
(Foto: Shutterstock)

Na terça-feira (31), o Departamento de Justiça dos EUA (ou DOJ, na sigla em inglês) anunciou a sentença de um pai e um filho — residentes da cidade de Monroe, na capital de Washington — a cinco anos de prisão após serem condenados por operar um negócio ilegal de maconha e usar bitcoin (BTC) para lavar dinheiro.

O DOJ acusou a dupla após uma investigação feita pelo Departamento de Segurança Nacional (ou DHS) e a Administração de Fiscalização de Drogas (ou DEA) em 2020.

Publicidade

Kenneth Warren Rhule, 28, foi sentenciado a cinco anos por supostamente lavar dinheiro e conspirar para cultivar e distribuir maconha. Seu pai, Kenneth John Rule, 47, foi sentenciado a cinco anos de prisão por conspiração para cultivar e distribuir maconha.

Segundo o DOJ, Kenneth Warren Rhule concordou em converter bitcoin em dinheiro em espécie, chegando a oferecer consultoria sobre o uso da moeda digital para esconder fundos. Rhule converteu US$ 142 mil de bitcoin em dinheiro com agentes que se passavam por traficantes que queriam lavar dinheiro.

No momento de sua prisão, em 11 de março de 2020, o bitcoin estava sendo negociado a US$ 7.950,81, segundo dados do CoinMarketCap.

Ao mesmo tempo, o DOJ alega que a dupla operava uma empresa não licenciada de produtos usando dinheiro em espécie e criptomoedas para realizar vendas para clientes no mundo inteiro. O DOJ afirma que a operação gerou mais de US$ 13 milhões, com um lucro líquido de US$ 2,5 milhões.

Publicidade

“A dupla não apenas cultivava e distribuía produtos de cannabis na dark web, violando o esquema regulatório do estado, como também ilegalmente lavavam enormes quantias de bitcoin que sua empresa ganhava”, afirmou o promotor americano Nick Brown.

“Quando as autoridades invadiram [o local], havia mais de uma dúzia de armas de fogo — algumas estavam carregadas e prontas para serem usadas na proteção de seu comércio de drogas.”

O uso do bitcoin no crime continua sendo um argumento que reguladores usam para regular a ampla adesão das criptomoedas.

Em maio, Jeremy Spence, 25, residente de Rhode Island e trader de criptomoedas conhecido como “Coin Signals” nas redes sociais, foi sentenciado a 42 meses — pouco menos de quatro anos — de prisão por operar o que o DOJ chamou de esquema de investimento cripto “do tipo Ponzi”.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Estátua da justiça e martelo de juiz à frente de bandeira do Canadá

Canadá multa Binance em R$ 22,5 milhões por violar as leis de combate à lavagem de dinheiro 

Agência do governo menciona falta de registro e ausência de relatório de transações enquanto corretora operou no país
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop
o que é mineração de bitcoin

Dificuldade de mineração de Bitcoin está despencando, mas por quê?

A redução no preço do Bitcoin, combinada com a diminuição das recompensas de mineração, resulta em menos mineradores e em uma rede menos robusta — pelo menos por enquanto