Imagem da matéria: Os brasileiros que estão em El Salvador vendo o Bitcoin se tornar uma moeda oficial
Marcos Amaral e André Velozo em El Salvador (Foto: divulgação)

Os brasileiros Marcos Amaral e André Velozo viajaram para El Salvador nesta semana para testemunhar em primeira mão como está sendo a implementação do Bitcoin como uma moeda de curso legal no primeiro país do mundo

A dupla de entusiastas de criptomoedas resolveu vivenciar o momento histórico da criptomoeda de perto e vem compartilhando a experiência nas redes sociais da Btreze, um projeto que criado no ano passado para falar sobre educação financeira.

Publicidade

Poucas horas antes de partirem para El Zonte, o pequeno vilarejo no litoral de El Salvador que ficou conhecido como a praia do bitcoin, Amaral conversou com o Portal do Bitcoin sobre como estava o clima da capital São Salvador no dia em que a lei entrou em vigor. 

Ele contou que o primeiro contato com um motorista de Uber ilustrou bem o sentimento de incerteza que se alastra entre boa parte dos salvadorenhos com quem conversou ao longo da visita no país:

“Ele era super jovem e pensei ‘com certeza ele já deve manjar tudo de bitcoin’, mas quando conversamos com ele foi o contrário. Ele disse que achava interessante, mas que assim como a maioria da população, estava preocupado por não saber quanto o governo está se arriscando e que se algo desse errado na questão econômica, o que isso poderia significar para um povo que já tem muito pouco”.

Esse sentimento ficou ainda mais explícito no dia 7, quando aconteceu a maior manifestação contra a implementação da lei do bitcoin em El Salvador. No meio do protesto, Amaral notou que embora o símbolo da criptomoeda ilustrasse os cartazes e as camisetas dos manifestantes, o ato em si demonstrou a revolta de um povo que perdeu confiança no seu governo ao longo dos anos.

Publicidade
el salvador bitcoin
Salvadorenhos protestam no dia 7 de setembro. (Foto: Marcos Amaral)

“Quando você escuta as pessoas, todos os relatos são relacionados a pautas muito maiores, em relação às políticas do governo do que ao bitcoin e a sua tecnologia em si. El Salvador é um país muito pobre e com muitas dificuldades, então é aquela coisa, acham que ‘se está vindo do governo’ é porque está errado”.

A obrigatoriedade é um ponto complicado para a recepção do bitcoin por parte da população, uma vez que “as pessoas não gostam de se sentir pressionadas a usar uma coisa que não conhecem”, avalia Amaral. “A partir do momento que pegarem na mão e ver que o bitcoin funciona, eles vão entender que não é um bicho papão”.

Bitcoin na prática

Amaral e Velozo notaram que a implementação do bitcoin está sendo mais ágil em lugares de maior porte, como Mcdonald’s e Pizza Hut. 

Na terça, a dupla pagou o almoço com BTC. “Compramos duas pizzas e pagamos com bitcoin, com a intenção de sermos no futuro os loucos que pagaram 47 mil satoshis em duas pizzas”, brincou Amaral em referência a famosa história do homem que pagou  10 mil bitcoins em duas pizzas em 2010 — o equivalente a R$ 2,4 bilhões nos dias de hoje.

Publicidade

Eles pagaram as pizzas em segundos escaneando um QR Code e toda a transação foi processada usando a rede Lightning do bitcoin. Os brasileiros conversaram com a gerente e com os funcionários da pizzaria, que disseram que foram treinados uma semana atrás quando a diretoria foi ao local explicar como seria o uso da criptomoeda.

Por enquanto, o mesmo não acontece em outros comércios do país. No restaurante do hotel em que estão hospedados, por exemplo, os brasileiros tentaram pagar a conta com bitcoin mas o local ainda não dava essa opção.

el salvador bitcoin
Marcos Amaral e André Velozo no Pizza Hut. (Foto: Divulgação)

Para acelerar a adoção do bitcoin entre a população, o governo lançou na terça a sua própria carteira digital chamada Chivo. O presidente Nayib Bukele chegou a prometeu distribuir US$ 30 para cada cidadão que baixar e criar uma conta no aplicativo, mas mesmo assim a adoção ainda parasse estar baixa.

Entre as pessoas que a dupla conversou, praticamente ninguém tinha baixado a carteira do governo por receio. Já aqueles que baixaram, sofreram com os problemas técnicos que o aplicativo teve o lançamento.

Os brasileiros disseram que ainda não utilizaram os caixas eletrônicos da Chivo que foram espalhados pelo país. “Não é por todo lado que tem e não estamos vendo essa curiosidade toda, as pessoas não estão fazendo fila”, disse Amaral.

Publicidade

Deixando um pouco de lado os problemas técnicos e políticos do experimento, os brasileiros acreditam que o bitcoin pode ter um impacto positivo ao povo salvadorenho a longo prazo.

“Se for bem conduzido acho que pode ser um vetor de transformação para o país. Lá 70% da população não tem acesso a serviços bancários e o bitcoin poderia servir como mecanismo de inclusão, e até mesmo para atrair outras coisas positivas como recursos, turismo e mineração”, contou Amaral.

Ele também está otimista que com o tempo, a população pode reverter o cenário e utilizar o bitcoin ao seu favor como uma ferramenta de combate a censura. “Na história de El Salvador ninguém fez muito por eles, então se tem em mãos uma ferramenta de transformação, por que não tentar!? O bitcoin é agnóstico, não está nem aí para a opinião política de A ou de B, ninguém pode controlar”, concluiu.

Após a conversa, Amaral e Velozo se preparavam para ir para a cidade litorânea de El Zonte, onde começou a onda de experimentação monetária que acabaria tomando conta do país.

VOCÊ PODE GOSTAR
ilustração 3D de console de videogame

W-Coin: como ganhar o máximo de moedas no jogo cripto do Telegram

A W-Coin baseia-se na premissa do jogo tap-to-earn do Telegram Notcoin, com atualizações exclusivas e prêmios de staking
mão segura celular com logo do whatsapp

WhatsApp pirata pode estar minerando criptomoedas no seu celular sem você saber

Conhecidos como WhatsApp GB, Aero e Plus, as cópias não autorizadas do app oficial da Meta podem abrir portas para vazamento de mensagens, fotos e áudios, dizem especialistas
Imagem da matéria: Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

“Definitivamente, não precisamos de tanto ETH em staking,” disse o proeminente pesquisador de Ethereum Evan Van Ness ao Decrypt
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Notcoin salta 25% na semana e é a criptomoeda com melhor desempenho no top 100

Apesar dos ganhos recentes de 25%, a volatilidade ainda dita o tom do Notcoin (NOT)