Imagem da matéria: O que está por trás da cisão entre Itaú e XP e como ficam ITUB4, ITUB3 e ITSA4
Foto: Shuttestock

A cisão da participação do Itaú na XP é um dos eventos mais esperados no mercado para esse ano. Entenda por que o Itaú quer se desfazer da sua participação na XP Investimentos, e como essa cisão vai impactar Itaú, Itausa e XP. 

O investimento do banco Itaú na XP, começou com a compra de 49,9% da companhia por cerca de R$ 6 bilhões em maio de 2017. Nesse momento, a corretora XP foi avaliada em R$ 12 bilhões. 

Publicidade

Em 2019 ocorreu o IPO (oferta inicial de ações) da XP Investimentos, a listagem das ações foi efetuada na bolsa de valores dos Estados Unidos, a ação da XP foi precificada em US$ 27,00, equivalente a um valor de mercado (número de ações emitidas multiplicado pela cotação) de US$ 14,89 bilhões.  

Desde o IPO até agora, as ações valorizaram bastante. No momento que eu escrevo esse texto, o valor de mercado da XP passa de 27 bilhões de dólares, cerca de R$ 140 bilhões. 

Por que o Itaú quer a cisão?  

A participação atual do Itaú na XP, após vender uma parcela na abertura de capital e uma fatia de 5% em dezembro de 2020 é de 41,05%. 

Colocando em termos financeiros nas cotações atuais da ação e do dólar, equivale a mais de R$ 60 bilhões, ou seja, a negociação do Itaú na XP rendeu mais de 10 vezes. Se o Itaú efetuar a venda, vai embolsar um bom lucro, além disso a XP representa hoje 20% do valor de mercado do Itaú. Antes do IPO da XP em dezembro de 2019, essa relação era de 11%. 

Publicidade

Um dos objetivos do Itaú com a venda é destravar valor no preço das suas ações, esperando que o mercado reinvista parte desse ganho com a venda de participação da XP novamente em Itaú 

Como será feita cisão  

Será feita através de um spin-off, que é a criação de uma nova companhia independente a partir de uma empresa já existente, listada na bolsa de valores. 

Para a cisão houve a criação de uma holding, denominada XPart, para recebimento dos recursos da cisão por parte dos acionistas do Itaú. No caso 41,05% do capital da XP Investimentos. 

O último passo para a finalização dessa operação é a incorporação da XPart pela XP, evento previsto para aprovação em assembleia na metade do segundo semestre deste ano. 

Publicidade

Como fica o acionista de ITUB4 e ITUB3

Nada está definido até esse momento. É necessário aguardar as aprovações das assembleias, mas provavelmente haverá emissão de valores mobiliários da XP em substituição às ações da XPart, em formato de ação classe A ou BDR, que não se tornará um ativo listado em bolsa pois será extinto com sua incorporação pela XP e o acionista de Itaú receberá XP via “dividendos extraordinários”  

Como fica a ITAUSA (ITSA4) 

Provavelmente apenas os acionistas de Itaú receberão BDRs da XPart, enquanto os acionistas da Itaúsa ficarão expostos indiretamente, pois essa participação já está no portfólio de ativos da Itaúsa. 

A Itaúsa passou a ter direito à participação acionária na XPart na mesma proporção das ações que possui no Itaú Unibanco (ITUB3 e ITUB4). Ou seja, possui, indiretamente via XPart, cerca de 15% do capital total da XP, tornando-a a segunda maior empresa do portfólio da Itaúsa em valor de mercado. 

Transação ganha-ganha  

Esse movimento é positivo para todos: os acionistas do Itaú receberão participação na XP de forma direta. 

A Itaúsa se beneficia indiretamente com a potencial valorização das ações do Itaú e incorporação da Xpart 

Do ponto de vista da XP, o movimento traz mais segurança e liberdade para a gestão da empresa, centralizando o poder de voto E se desobrigando de apresentar dados operacionais a um de seus principais concorrente 

Segundo uma reportagem do Estadão, com o Itaú fora, a XP estuda voltar ao mercado de negociações de criptoativos, possivelmente oferendo novas soluções aos seus clientes. A reportagem informa que o Itaú atuava como um entrave para a XP lançar um sistema próprio com exposição em criptoativos. 

Publicidade

O principal objetivo de um spin-off é esse mesmo, a criação de valor. Ou seja, que as empresas atuando de forma independentes e separadas sejam mais valiosas do que juntas. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide