O que é um market maker e como ele lucra em cima dos seus trades

Foto: Shutterstock

O que faz um market maker?

O market maker inicialmente surgiu nas bolsas de valores pra reduzir o spread, diferença entre a oferta de compra e venda. Aos poucos foram criando novos “produtos” incluindo o estímulo a liquidez, visando aumentar o volume.

O market maker faz trades pequenos, várias vezes ao dia e tenta zerar seu risco (comprado ou vendido) assim que possível. Na maioria dos casos não paga corretagem e alguns são remunerados pela exchange ou emissor da moeda.



Isso é legal? Estão roubando os clientes?

Não é exatamente ilegal, basta os clientes darem autorização pra que a própria corretora, ou market maker, possa operar simultaneamente. No Brasil, a XP Investimentos foi multada há poucos meses atrás em R$ 10 milhões justamente por este motivo. Nos EUA este é o modelo de negócio das corretoras que não cobram taxas de corretagem, por exemplo Robinhood, que também foi multada há alguns dias.

Como estas exchanges ganham dinheiro?

Estas exchanges que não cobram corretagem são remuneradas pelos  market makers. Através de conexões mais rápidas conseguem em milésimos de segundo decidir se querem comprar ou vender antes dos clientes.

Mesmo que você não faça giro, em algum momento precisou comprar. O market maker pode sempre colocar uma oferta de compra 1 centavo acima, ou optar por vender para você se ele consegue comprar mais barato em outra exchange. 

Que outras técnicas sujas ele utiliza?

Spoofing – ordens fantasma: oferta de compra que é automaticamente cancelada quando alguém tenta vender pro market maker

Front running – furar a fila: Se sua ordem de venda for grande o suficiente, o market maker vai vender 1 centavo abaixo nesta e em outras exchanges, derrubando o preço



Stop hunt pump que volta rápido: alta repentina seguida de uma queda (ou vice-versa) pra fazer com que o stop (limite de alavancagem) do povo seja ativado

Flashing: envio e cancelamento instantâneo de ordens, mantendo somente as ofertas que tenham um “competidor” no mesmo preço. O objetivo é ficar na frente dos clientes na fila

Wash trading, popularmente conhecido como “zé com zé”: quando a mesma pessoa (ou pequeno grupo) compra e vende entre si pra fingir que há liquidez ou manipular o preço

Buy walls – famosos paredões: ordens grandes que afetam o psicológico do trader e acabam influenciando os demais robôs. Na maioria das vezes são canceladas quando o preço do mercado chega muito próximo

Como fugir destes golpes?

Simplesmente ignore o livro de ofertas e passe a olhar somente o gráfico de 2h. Quanto menor a escala, mais influência estes market makers têm sobre a cotação. Evite ao máximo operar alavancado e tenha em mente que quando você coloca um stop loss numa exchange centralizada você está vendendo de graça esta informação pra alguém.


Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017, faz arbitragem e trading de criptomoedas, além de ser cofundador do site de análise de criptos RadarBTC.