Miniaturas de homens em cima de moeda de Bitcoin gigante fazendo medição pela metade
Shutterstock

Resumo

  • O halving do Bitcoin é um evento em que as recompensas da mineração são reduzidas pela metade.
  • O evento acontece a cada quatro anos, de acordo com regras pré-estabelecidas no código do Bitcoin.

A cada quatro anos, a quantidade de Bitcoin distribuída aos mineradores de criptomoedas é reduzida pela metade, em um processo conhecido como halving (ou halvening). Veja por que — e como — funciona.

Limite de fornecimento de Bitcoin

Para entender o halving do Bitcoin, devemos primeiro entender a teoria por trás de seu fornecimento.

Publicidade

O criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, acreditava que a escassez poderia criar valor onde antes não havia. Afinal, só existe uma Mona Lisa, apenas alguns Picassos, e um suprimento limitado de ouro na Terra.

O Bitcoin foi revolucionário porque pode, pela primeira vez, tornar um produto digital escasso — existirão apenas 21 milhões de bitcoins.

A ideia de limitar a oferta de Bitcoin está em clara oposição à forma como funcionam as moedas fiduciárias, como o dólar americano.

As moedas fiduciárias foram inicialmente criadas com regras firmes — para criar um dólar, o governo dos EUA precisava de ter em reserva uma certa quantidade de ouro. Isso ficou conhecido como padrão ouro.

Com o tempo, estas regras foram desgastadas à medida que as economias em modernização, durante períodos de extrema incerteza financeira — como a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial — imprimiam mais dinheiro para ajudar a estimular as economias em dificuldades.

Publicidade

Com o tempo, estas regras evoluíram para o sistema atual, no qual os governos podem (em termos gerais) imprimir dinheiro sempre que desejarem.

Satoshi Nakamoto acreditava que esta desvalorização da moeda fiduciária poderia ter efeitos desastrosos e, assim, com o código, impediu que qualquer parte fosse capaz de criar mais Bitcoin.

O que é o halving do Bitcoin?

Incorporado no código Bitcoin está o limite máximo de 21 milhões de moedas. Novos bitcoins são liberados por meio da mineração como recompensas em bloco. Os mineradores fazem o trabalho de manter e proteger o livro-razão do Bitcoin e são recompensados ​​com bitcoins recém-cunhados.

No entanto, a cada quatro anos, a recompensa pela mineração é reduzida pela metade, e cada redução pela metade reduz a taxa de entrada de novos bitcoins na oferta— um processo que provavelmente durará até o ano 2140.

Publicidade

Você sabia?

O primeiro milhão de bitcoins foi extraído por Satoshi Nakamoto em 2009. Desde então, cerca de 90% do fornecimento total foi extraído e apenas cerca de 1,95 milhão de Bitcoins adicionais serão criados.

Uma breve história

  • 2009 – As recompensas de mineração de Bitcoin começam em 50 BTC por bloco.
  • 2012 – O primeiro halving do Bitcoin reduz as recompensas de mineração para 25 BTC.
  • 2016 — No segundo halving , as recompensas da mineração caem para 12,5 BTC.
  • 2020 — No terceiro halving , as recompensas da mineração caem para 6,25 BTC.
  • 2024 — No quarto halving, as recompensas da mineração caem para 3,125 BTC.
  • 2140 — Ocorre o 64º e último halving e nenhum novo Bitcoin é criado.

O que há de tão especial no halving?

Se se confia em uma pessoa, grupo ou governo para estabelecer a oferta monetária, também se deve confiar neles para não mexer com ela. Supõe-se que o Bitcoin seja descentralizado e sem confiança — ninguém no controle e ninguém em quem confiar.

Como o Bitcoin não é controlado por nenhuma pessoa ou grupo, deve haver regras rígidas sobre quanto Bitcoin é criado e como é lançado.

Ao escrever um evento de fornecimento total e o halving no código Bitcoin, o sistema monetário do Bitcoin é essencialmente imutável e praticamente impossível de mudar. Este “hard cap” significa que o Bitcoin é uma espécie de “dinheiro forte” como o ouro, cuja oferta é praticamente impossível de alterar.

O que acontece com os mineradores de Bitcoin?

Os mineradores de Bitcoin investem dinheiro em hardware de mineração especializado, bem como na eletricidade necessária para operar suas plataformas. O custo disso é compensado pelas recompensas de mineração, mas o que acontece quando as recompensas são reduzidas à metade?

Publicidade

Como o corte pela metade reduz as recompensas, o incentivo para os mineradores trabalharem na rede Bitcoin também é reduzido, levando a menos mineradores e menos segurança para a rede.

Por esse motivo, assim que o último Bitcoin for extraído, os mineradores (assumindo que não houve grandes mudanças no protocolo Bitcoin) receberão recompensas na forma de taxas de transação pela manutenção da rede.

Atualmente, as taxas de transação representam apenas uma pequena proporção das receitas de uma mineradora — mineradores atualmente cunham cerca de 900 BTC (cerca de US$ 33,5 milhões) por dia, mas ganham entre 60 e 100 BTC (US$ 2,2 milhões a US$ 3,7 milhões) em taxas de transação diárias.

Isso significa que as taxas de transação representam atualmente apenas 6,5% da receita de uma mineradora — mas em 2140, esse número subirá para 100%.

“As taxas de transação provavelmente crescerão em uma correlação inversa e como compensação pelos retornos decrescentes da mineração”, disse ao Decrypt o CEO da exchange de criptomoedas ByBit, Ben Zhou.

Também é possível que o mecanismo de recompensa do Bitcoin mude antes que o bloco final seja extraído. Atualmente, o Bitcoin funciona com um mecanismo de consenso de prova de trabalho (proof of work, ou PoW), que atraiu críticas de pessoas como o CEO da Tesla, Elon Musk, por seu alto consumo de energia.

Publicidade

A criptomoeda rival Ethereum migrou do consenso de prova de trabalho para a prova de participação (proof of stake, ou PoS), que consome menos energia, no qual a rede é protegida por validadores que bloqueiam sua criptomoeda.

De acordo com o Centro de Tecnologia Blockchain da University College London, as blockchains de prova de participação usam muito menos energia.

É possível que o Bitcoin siga o exemplo. Em uma entrevista originalmente filmada para o programa de TV alemão “Galileo”, Niklas Nikolajsen, fundador da corretora de criptomoedas suíça Bitcoin Suisse, foi citado como tendo dito “Tenho certeza, uma vez que a tecnologia [de prova de participação] for comprovada, que o Bitcoin se adaptará a isso também.”

No entanto, apesar dos grupos ambientalistas apelarem a uma mudança para a prova de participação, continua a ser improvável que um número suficiente de validadores Bitcoin apoiasse qualquer hard fork que mudasse a rede para um mecanismo de consenso alternativo.

Impacto no preço

O debate sobre se as reduções do Bitcoin pela metade afetam o preço da criptomoeda, ou se elas já estão “precificadas”, continua acirrado.

De acordo com as leis da oferta e da procura, a oferta cada vez menor de Bitcoin deveria aumentar a procura por Bitcoin e, presumivelmente, aumentaria os preços.

Uma teoria, conhecida como modelo stock-to-flow, calcula uma proporção com base na oferta atual de Bitcoin e quanto está entrando em circulação, com cada halving (sem surpresa) tendo um impacto nessa proporção. No entanto, outros contestaram os pressupostos subjacentes nos quais a teoria se baseia.

Historicamente, após eventos anteriores de halving, o preço do Bitcoin aumentou — mas não imediatamente, e outros fatores tiveram um papel importante.

Na época do halving de junho de 2016, o preço do Bitcoin estava em torno de US$ 660; após o halving, o Bitcoin continuou a ser negociado horizontalmente até o final do mês, antes de cair para US$ 533 em agosto. Porém, o preço do Bitcoin disparou para a sua máxima histórica de mais de US$ 20 mil no final do ano, um aumento de 2.916%.

Da mesma forma, após o halving de 2020, o preço do Bitcoin aumentou de pouco mais de US$ 9 mil para mais de US$ 27 mil no final do ano — mas nos dois meses seguintes ao halving, o preço não ultrapassou a casa de US$10 mil.

Também é importante notar que outros fatores influenciaram a alta do Bitcoin em 2020, principalmente o crescimento do investimento institucional de empresas como a MicroStrategy e a decisão do PayPal de permitir que seus usuários comprem e mantenham Bitcoin.

*Traduzido com autorização do Decrypt

Quer desvendar os mistérios do Bitcoin? Adquira “O Livro de Satoshi”, um compilado de escritos e insights de Satoshi Nakamoto

VOCÊ PODE GOSTAR
bitcoin e ethereum em grafico vermelho de queda

Bitcoin e Ethereum passam a cair e provocam liquidações de US$ 150 milhões

Tanto o Bitcoin quanto o Ethereum despencaram na manhã de sexta-feira (10), provocando uma onda de liquidação de longo prazo
Moeda do Bitcoin envolta por raios (Lightning Network)

Lightning Labs está trazendo stablecoins para a blockchain do Bitcoin

“Ideia é ter dólares criptografados e stablecoins na blockchain do Bitcoin”, explicou Elizabeth Stark, CEO da Lightning Labs
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia movimenta R$ 321 milhões em Bitcoin pela 1ª vez em uma década

Quando o investidor desconhecido adquiriu os bitcoins em 2013, a cotação do ativo não passava de US$ 120
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas