Imagem da matéria: O que é arbitragem com criptomoedas e como ganhar dinheiro com o sistema?
Foto: Shutterstock

Todos os dias, dezenas de bilhões de dólares equivalentes a criptomoedas são negociadas em milhões de trades. No entanto, diferente de corretoras tradicionais de ações, existem dezenas de corretoras de criptomoedas que mostram diferentes preços para os mesmos criptoativos.

Para traders mais experientes (e que não têm aversão a um pouco de risco), existe uma oportunidade de obter vantagem em comparação a outros investidores: usar essas corretoras umas contra as outras. Bem-vindo ao mundo da arbitragem.

Publicidade

O que é arbitragem com cripto?

Arbitragem é uma estratégia de negociação na qual um ativo é adquirido em um mercado e vendido imediatamente em outro mercado a um preço mais alto, explorando a diferença de preço para lucrar.

A arbitragem com cripto é quase autoexplicativa: é uma arbitragem usando cripto como o ativo em questão. Essa estratégia obtém vantagem de como criptomoedas são precificadas de forma diferente em corretoras distintas.

Na Coinbase, o bitcoin pode estar precificado, por exemplo, a US$ 10 mil enquanto, na Binance, pode estar a US$ 9,8 mil.

A exploração dessa diferença no preço é fundamental na arbitragem. Um trader pode comprar bitcoin na Binance, transferi-lo à Coinbase e vender o bitcoin (lucrando cerca de US$ 200).

Publicidade

Velocidade é o nome do jogo, pois essas diferenças de preço não duram muito tempo. No entanto, os lucros podem ser imensos se o árbitro cronometrar o mercado de forma correta.

Quando filecoin (FIL) chegou às corretoras em outubro de 2020, algumas corretoras listaram o preço de US$ 30 nas primeiras horas de negociação. Outras, listaram a US$ 200.

Como funciona a precificação de criptomoedas?

Como criptomoedas obtêm seu valor? Alguns críticos afirmam que criptomoedas não têm lastro em nada, então qualquer valor informado é puramente especulativo. O contra-argumento é que, se as pessoas estiverem dispostas a pagar por uma criptomoeda, então essa moeda tem valor.

Em corretoras, o jogo funciona nos livros de oferta. Esses livros de oferta contêm ordens de compra e venda a preços diferentes.

Publicidade

Por exemplo, um trader pode realizar uma ordem de “compra” para comprar 1 BTC por US$ 60 mil. Essa ordem pode entrar no livro de ofertas. Se outro trader quiser vender 1 BTC por US$ 60 mil, podem acrescentar uma ordem de “venda” ao livro, além de preencher a negociação.

Em seguida, a ordem de compra é removida do livro de ofertas, pois foi preenchida. Esse processo é chamado de “trade”.

Corretoras cripto precificam uma criptomoeda no trade mais recente. Pode vir na forma de uma ordem de compra ou de venda.

Considerando o exemplo original, se a venda de 1 BTC por US$ 60 mil foi o trade mais recente a ser completado, a corretora o precificaria a US$ 60 mil.

Um trader que, em seguida, vende 2 BTC por US$ 60,1 mil cada faria com que o preço chegasse a US$ 60,1 mil e assim por diante. A quantidade de criptomoedas negociadas não importa, e sim o preço mais recente.

Publicidade

Cada corretora cripto precifica criptomoedas dessa forma, fora algumas corretoras que baseiam seus preços em outras corretoras.

Diferentes tipos de arbitragem

Arbitragem entre corretoras

Um método de arbitragem cripto é comprar uma criptomoeda em uma corretora e, em seguida, transferi-la a outra corretora onde a criptomoeda é vendida a um preço mais alto. Porém, existem alguns problemas com esse método.

Geralmente, “spreads” (diferenças de preço) apenas existem por uma questão de segundos, mas a transferência entre corretoras pode demorar alguns minutos.

Taxas de transferência também são outro problema, pois movimentar cripto de uma corretora para outra requer uma cobrança, seja na forma de saque, depósito ou taxas de rede.

O preço do bitcoin pode diferenciar entre corretoras (Imagem: CoinRanking.com)

Uma forma de árbitros lidarem com a taxa de transação é ter a mesma criptomoeda em duas corretoras diferentes. Um trader que aplica esse método pode comprar e vender uma criptomoeda de forma simultânea.

Um trader pode ter US$ 60 mil em uma stablecoin lastreada no dólar americano na Binance e 1 BTC na Coinbase.

Quando o bitcoin estiver precificado a US$ 60,2 mil na Coinbase, mas apenas US$ 60 mil na Binance, o investidor pode comprar o bitcoin (usando a stablecoin) na Binance e vender o bitcoin na Coinbase.

Publicidade

Podem não ganhar nem perder um bitcoin, mas lucrariam US$ 200 por conta do spread entre as duas corretoras.

Tether (USDT) é uma criptomoeda ligada ao preço de US$ 1. Geralmente, traders de criptomoedas a utilizam por conta de sua relativa estabilidade. Facilita o armazenamento de criptomoedas sem o risco de que seu preço diminua drasticamente.

A vantagem de ter stablecoins como USDT, em vez de converter cripto em dinheiro, é que transferências de cripto para fiduciária têm altas taxas.

Arbitragem triangular

Esse método envolve três criptomoedas e negociar a diferença entre elas em uma corretora. Já que tudo acontece em uma corretora, taxas de transferência não são um problema.

Então, um trader pode ver uma oportunidade de arbitragem envolvendo bitcoin, ether e XRP. Uma ou mais dessas criptomoedas podem estar a um valor inferior em uma corretora.

Assim, um trader pode obter vantagem de oportunidades de arbitragem ao vender seus bitcoins por ether, usando esse ether para comprar XRP antes de finalizar ao comprar bitcoin com o XRP comprado. Se sua estratégia fizer sentido, o trader terá mais bitcoins no fim do que tinha no começo.

Arbitragem estatística

A arbitragem estatística envolve o uso de modelos de dados quantitativos para a negociação de criptomoedas.

Um bot de arbitragem estatística pode negociar centenas de diferentes criptomoedas de uma só vez, calculando cuidadosamente as chances de que um bot pode lucrar com um trade baseado em um modelo matemático e comprar (“long”) ou vender (“short).

Geralmente, um bot dará uma classificação muito baixa a uma criptomoeda que teve um ótimo desempenho e uma classificação muito alta a uma criptomoeda que teve um péssimo desempenho.

Existem maiores lucros a serem obtidos dessas criptomoedas com ótimo desempenho. Um digno algoritmo de negociação será ótimo na criação de modelos matemáticos que podem prever o preço das criptomoedas e negociá-las umas com as outras.

Arbitragem de Finanças Descentralizadas (DeFi)

Finanças Descentralizadas (ou DeFi) se refere a protocolos financeiros não custodiais que operam, sem intervenção humana, como grandes protocolos, stablecoins e corretoras. Sua arquitetura repleta de códigos de programação os torna perfeitos para arbitragem.

Existem diversas estratégias diferentes que “degens das DeFi” (investidores que desafiam os limites do setor), em busca de arbitragem, podem implementar.

Uma estratégia visa gerar lucro de diversos rendimentos oferecidos por grandes protocolos DeFi.

Se uma plataforma oferece um rendimento de 10% para uma stablecoin e outra oferece 11% para uma stablecoin diferente, um trader pode converter sua stablecoin de baixo rendimento em uma stablecoin de alto rendimento e ganhar com aquele 1% extra.

Diversas plataformas fazem isso de forma automática. Yearn.Finance, o projeto DeFi de Andre Cronje, automaticamente movimenta fundos entre diferentes protocolos DeFi para obter o melhor rendimento.

Outra técnica é lucrar com o preço em diferentes corretoras. Isso funciona assim como o tipo de arbitragem entre corretoras, mas depende de corretoras descentralizadas (ou DEXs), como a Uniswap.

Algumas DEXs oferecem diferentes preços para moedas e é possível ganhar dinheiro ao lucrar com a diferença.

Também é possível lucrar ao passar na frente (“front-run”) de outros trades. Se um trader DeFi vê uma ótima oportunidade, pode querer realizar esse trade o mais rápido possível para ganhar dinheiro.

No entanto, um bot pode pagar um pouquinho mais para garantir que seu trade seja processado primeiro. Ao passar na frente da fila ao pagar taxas mais altas de gás, um bot de negociação pode ganhar uma graninha extra.

Riscos da negociação com arbitragem

Existem muitos riscos associados à negociação com arbitragem.

Um deles é “slippage”, que acontece quando um trader realiza uma ordem para comprar uma criptomoeda, mas o tamanho de sua ordem é maior do que a oferta mais barata no livro de ofertas, fazendo com que a ordem “escorregue” e custe mais do que o esperado.

Esse é um problema para traders, pois as margens são tão pequenas que slippage pode destruir possíveis lucros.

A movimentação de preço é outro risco associado à arbitragem. Traders têm de ser rápidos para obter vantagem de spreads que se formam, pois o spread pode sumir em poucos segundos.

Alguns traders programam bots para realizar a negociação com arbitragem, o que só aumenta a competição.

Por fim, traders podem levar taxas de transferência em consideração. Spreads são raramente muito grandes para a maioria das criptomoedas e, com margens reduzidas, uma taxa de transferência ou transação pode eliminar possíveis ganhos.

Essas margens reduzidas também significam que qualquer trader que quiser obter lucros significativos deve realizar inúmeros trades.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Bitcoin em gráfico de alta com seta azul apontado para o alto

Traders esperam que Bitcoin supere a máxima de US$ 74 mil em breve

“Esperamos um impulso de alta aqui que pode nos levar de volta às máximas de US$ 74 mil”, disse a QCP Capital sobre o momento do Bitcoin
SBF da FTX no Congresso dos EUA

Criador da FTX diz que divide presídio com assassinos e brinca que arroz virou moeda com “boas oportunidades” de arbitragem

Sam Bankman-Fried, fundador da FTX, falou sobre sua vida na prisão, a visão diferenciada que tem sobre o que poderia ter sido sua vida e sua tentativa de apelação da condenação
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Bitcoin é uma “forma de arte” e uma moeda de desconfiança, diz filósofo Yuval Noah Harari

O filósofo, no entanto, mostrou desconfiar se realmente o Bitcoin será o futuro do dinheiro como algumas pessoas defendem
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance