Imagem da matéria: O Bitcoin está prestes a entrar em um ciclo de alta? Veja o que dizem os especialistas
Foto: Shutterstock

O Bitcoin atingiu esta semana US$ 39 mil pela primeira vez desde uma brutal queda das criptomoedas em maio de 2022, que trouxe consigo um longo e doloroso mercado de baixa.

Desde então, a criptomoeda líder do mercado teve uma recuperação impressionante: no início de janeiro, estava sendo negociada por menos de US$ 17 mil por moeda; agora está com um ganho de 128% no ano.

Publicidade

Isso poderia significar o início de uma tendência de alta do Bitcoin? Alguns especialistas afirmam que só há espaço para crescimento a partir daqui.

Muita coisa aconteceu no espaço das criptomoedas desde o colapso do projeto blockchain Terra (LUNA) no ano passado, que resultou em uma queda em todas as moedas e tokens virtuais, além de muitas falências, notavelmente a da mega exchange FTX.

Perseguido por uma mistura tóxica de falhas na indústria junto com taxas de juros historicamente altas, parecia que as criptomoedas nunca se recuperariam.

No entanto, as instituições, incluindo a gigante de Wall Street, BlackRock, mostraram grande interesse na esfera das criptomoedas desde então: a empresa e outros nomes prestigiosos no setor financeiro solicitaram à Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) a criação de um fundo negociado em bolsa (ETF) de Bitcoin.

Publicidade

Leia também: O que é um ETF de Bitcoin à vista e por que os investidores dos EUA querem um?

E o Federal Reserve pode ter encerrado a política de aperto fiscal, que no ano passado fez com que os investidores evitassem ativos “de risco”, como ações e criptomoedas.

Em um relatório na sexta-feira (1º), a equipe de pesquisa da gestora de ativos cripto Grayscale afirmou que vê os “fundamentos de cripto gradualmente melhorando”, desde que o banco central “tenha encerrado o aperto e a economia dos EUA consiga evitar um ‘pouso forçado’ (recessão)”.

A Grayscale também mencionou o halving do próximo ano, que verá as recompensas dos mineradores de Bitcoin reduzidas pela metade, resultando em mais escassez no mercado e, portanto, “deverá ser positivo para as valorações”.

Publicidade

James Butterfill, chefe de pesquisa da gestora de ativos digitais CoinShares, disse ao Decrypt que os investidores estão buscando diversificação, o que poderia ser positivo para o Bitcoin.

“A crescente correlação entre títulos e ações – agora em um recorde de 42%, excluindo o período da COVID-19 – está incentivando a busca por uma diversificação eficaz entre os investidores”, disse ele, acrescentando que “o Bitcoin provou oferecer diversificação significativamente maior em comparação com outras classes de ativos”.

À medida que mais investidores percebem isso, ele argumentou, o preço do ativo subirá no novo ano.

Enquanto isso, Greg Magadini, diretor de derivativos da Amberdata, disse que os dados mostram que “os traders de opções estão muito otimistas em relação aos preços à vista do BTC e esperam que os preços subam relativamente em breve”.

Se os investidores finalmente obtiverem o ETF de Bitcoin à vista que a SEC tem repetidamente rejeitado há quase uma década, o capital poderá inundar o mercado, previram os analistas da CryptoQuant.

Embora o futuro possa parecer promissor agora, há outras considerações a serem feitas.

“Há também ventos contrários enfrentando o preço do Bitcoin”, disse Sam Callahan, da Swan Bitcoin. “Isso inclui o risco de uma recessão e a potencial negação de um ETF de Bitcoin à vista”, continuou, acrescentando que uma negação da SEC poderia levar a um “choque no mercado”.

Publicidade

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: BitMEX se declara culpada de violar lei de sigilo bancário nos EUA

BitMEX se declara culpada de violar lei de sigilo bancário nos EUA

O Departamento de Justiça dos EUA disse que a BitMEX se envolveu em “evasão intencional” das leis combate à lavagem de dinheiro
Sheik das criptomoedas Francisley Valdevino

Cúmplices de pirâmide do “Sheik das Criptomoedas” se declaram culpados nos EUA

Nestor Nunez e Ramon Perez atuaram na Forcount, uma pirâmide liderada por Francisley da Silva para fraudar falantes da língua espanhola
Bandeira do Japão

Gate.io de saída do Japão: empresa vai transferir clientes para corretoras de criptomoedas locais reguladas

A exchange deixará de aceitar novos registros de contas de residentes japoneses e iniciará o encerramento gradual dos serviços
Imagem da matéria: Criador da pirâmide BlueBenx, Roberto Cardassi é preso em Portugal

Criador da pirâmide BlueBenx, Roberto Cardassi é preso em Portugal

Cardassi e a BlueBenx pararam de pagar os milhares de clientes em 2022, deixando um prejuízo estimado em R$ 160 milhões