Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank
(Foto: Shutterstock)

O Nubank anunciou nesta quarta-feira (12) em um comunicado à imprensa a Fireblocks como provedora estratégica de tecnologia para desenvolvimento de novas soluções em blockchain. Segundo a empresa de serviços financeiros, a parceria permitirá expandir a experiência Nubank Cripto, solução dentro do app para compra e venda de criptomoedas atualmente disponível para os clientes Nu do Brasil. 

Conforme descreve o Nubank, a Fireblocks é uma plataforma empresarial que gerencia operações de ativos digitais e constrói negócios inovadores em blockchain. Sediada nos EUA, a empresa é desenvolvedora de uma plataforma modular para criar produtos disruptivos e gerenciar de forma segura transações envolvendo ativos de criptomoedas.

Publicidade

Com efeito imediato, a parceria possibilita ao time de engenharia do Nubank dedicado ao desenvolvimento do Nubank Cripto a utilização da plataforma Fireblocks para a criação de novas experiências a partir da tecnologia blockchain e o potencial disruptivo das criptomoedas. Entre elas, está o avanço no projeto piloto do Real Digital, diz o comunicado.

O Nubank ressalta que foi um dos selecionados para realizar simulações de transações com a Moeda Digital do Banco Central (CBDC) e as representações digitais (tokens) de Moeda Eletrônica (MEt) e de Títulos Públicos Federais (TPFt).

“Com a Fireblocks como nossa provedora de infraestrutura de ativos digitais, o Nubank reafirma o compromisso de longo prazo para criar valor para o nosso cliente em torno da tecnologia blockchain, um mundo repleto de oportunidades para implementar reais inovações no sistema financeiro do Brasil e da América Latina. Queremos ser protagonistas neste movimento para continuar reduzindo complexidade e devolver aos nossos clientes o controle sobre suas vidas financeiras”, afirma na nota Thomaz Fortes, líder do Nubank Cripto.

Michael Shaulov, cofundador e CEO da Fireblocks, disse que a empresa está entusiasmada com a integração e com as novas soluções inovadoras que eles têm reservadas para seus clientes, pois “o Nubank sempre empoderou seus clientes, colocando-os no controle de sua vida financeira por meio da adoção de tecnologias financeiras avançadas”. Ele acrescentou:

Publicidade

“No contexto global, a América Latina e, em especial, o Brasil têm abraçado o potencial das criptomoedas e avançado significativamente na utilização dos ativos digitais”.

Custódia proprietária: maior segurança para os clientes Nubank Cripto

O uso da plataforma Fireblocks, além de permitir expandir soluções em blockchain, abre o caminho para o Nubank desenvolver sua própria solução de custódia dos criptoativos de clientes Nubank Cripto, diz a nota.

Com esta nova tecnologia — que já possui aderência global entre os maiores custodiantes de cripto do mundo —, explica o documento, “o Nubank garante aos seus usuários a aplicação das melhores práticas de governança”.

Fortes concluiu: “Ter dentro do ambiente do Nubank a custódia institucional dos criptoativos significa que o cliente passa a ter ainda mais segurança em relação à proteção das suas moedas digitais”.

Publicidade

Liquidação de compra e venda 

A partir da parceria com a Fireblocks, a liquidação de compras e vendas no Nubank Cripto poderá ser viabilizada pela funcionalidade Fireblocks Network, parte integrante da plataforma que conecta o maior consórcio de instituições financeiras regulamentadas que implementaram ativos digitais na blockchain, explica. Esta ferramenta, ressalta, permitirá ao Nubank o acesso aos seus parceiros de liquidez para realizar a liquidação das compras e vendas de forma segura e otimizada.

“Com operações em seis continentes e escritórios localizados em oito países, incluindo Estados Unidos, Brasil, Israel, Reino Unido, Singapura, Hong Kong, Suíça, Alemanha e França, e mais de 1,8 mil clientes corporativos, a Fireblocks já assegurou a transação de mais de US$ 4 trilhões em ativos digitais”, conclui o Nubank.

VOCÊ PODE GOSTAR
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

ETF de Ethereum tem 50% de chance de ser aprovado em maio, diz JP Morgan

O gigante bancário é o último a reduzir suas expectativas em relação à revisão das propostas da SEC para oferecer fundos vinculados ao preço do ETH
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo
moeda de bitcoin à frente da bandeira de hong kong

Aprovação de ETFs de Bitcoin e Ethereum pode ocorrer segunda em Hong Kong

O esperado aceno regulatório abriria um dos maiores mercados financeiros do mundo para os ETFs de Bitcoin e Ethereum